sexta-feira, 5 de maio de 2017

.

HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Médico que filmou pacientes adolescentes nuas condenado a pena suspensa

O médico de família acusado de filmar com o telemóvel as suas pacientes nuas durante as consultas que dava no Centro de Saúde de S. Roque, em Oliveira de Azeméis, foi condenado esta sexta-feira a três anos e cinco meses de pena suspensa pelo Tribunal de Santa Maria da Feira, à qual acresce a pena acessória de proibição de exercício da função de médico por dois anos e seis meses.

Augusto Correia, que surgiu no tribunal disfarçado com uma peruca, optou por remeter-se ao silêncio durante todo o processo. O tribunal deu como provados quatro crimes de devassa da vida privada e o crime de pornografia de menores agravada.
.
video
Vídeo do CM em dezembro de 2016

O médico, de 64 anos, foi acusado de gravar com o telemóvel imagens de pacientes suas, com idades entre os 11 e os 18 anos, enquanto as auscultava e lhes retirava os respetivos soutiens. O primeiro caso conhecido remonta a 2014 e, segundo a acusação, o clínico pousava o telemóvel em cima da secretária dentro de um porta-lápis transparente. Augusto Correia pedia às pacientes que subissem as camisolas para as auscultar, e era ele próprio que desapertava o soutien das jovens de forma a que os seios ficassem expostos.

Foi durante uma consulta destinada a três irmãs, de 18, 15 e 11 anos, em julho de 2015, que duas delas se aperceberam da captação de vídeo no telemóvel do médico. "Fui com as minhas irmãs a uma consulta e quando uma de nós estava a ser auscultada, as outras aperceberam-se que o telemóvel em cima de secretária estava a gravar as imagens", contou ao JN uma das vítimas.

Os pais das três irmãs vítimas das gravações do clínico mostraram-se revoltados com a decisão, sublinhando o impacto deste episódio na vida das filhas, que desde então não conseguem confiar em ninguém.

De acordo com a juíza Conceição Nogueira, "o tribunal criou a convicção séria de que o arguido filmou as pacientes nas circunstâncias que elas descreveram". Para além disso, a juíza reconheceu "a desnecessidade da exposição dos seios durante a auscultação". Durante a investigação, foram encontradas pastas com imagens e ligações de visualização de sites com pornografia de menores, o que ajudou a cimentar a credibilidade das testemunhas.

* Este médico é um tarado, devia cumprir a pena na prisão e nunca mais poder exercer clínica. Quando acabar a  proibição  de exercer clínica pode pedir a reforma e ir para o sector privado continuar a filmar mamas.
Qual a posição da Ordem?

.

Sem comentários: