quinta-feira, 20 de julho de 2017

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.
OPINIÕES


.
.


147-ACIDEZ

FEMININA


COMO SUPERAR
uma TRAIÇÃO

video

A IMPRESCÍNDIVEL TATY FERREIRA
  
* Uma produção "ACIDEZ FEMININA" - BRASIL

.
.
 Cómo conocí
a tu padre  

video

.
.
XLVI- O UNIVERSO


2- O TECIDO DO COSMOS

Salto Quantico

video



As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.

XII- Cidades

e soluções


1 - Economia e sustentabilidade

video


FONTE: GLOBONEWS

.

PEDRO TADEU

.





Um académico 
armado em parvo

Das vezes que vi e ouvi o jurista André Ventura opinar na televisão do Correio da Manhã fiquei impressionado: "Eis aqui um provável belo espécime de parvo", conjeturei. Ontem, o professor auxiliar da Universidade Autónoma de Lisboa obrigou-me a reconhecer que o mero palpite inicial, afinal, tinha sustentação, apesar dos 18 valores com que o próprio publicita na internet, num curriculum vitae "abreviado", a conclusão do ensino secundário no Externato Penafirme, instituição que para este poliglota, com "conhecimento aprofundado" de arábico e hebraico, é designável em português por uma palavra saudosista: "liceu".

Entende o dirigente social-democrata e atual candidato numa coligação PSD-CDS à presidência da Câmara Municipal de Loures que as pessoas de "etnia cigana" (sic) acham "que estão acima das regras do Estado de direito".

O professor convidado da Universidade Nova (onde se licenciou em Direito, divulga, com nota 19) informa, numa entrevista ao jornal i, que "vários munícipes queixam-se de pessoas de etnia cigana que entram nos transportes, usam os transportes e nunca pagam, e ainda geram desacatos".

O apaixonado defensor do Benfica em frequentes zaragatas televisivas, o paladino da restauração da prisão perpétua, indigna-se por na Quinta da Fonte haver "situações em que são ocupados imóveis ilegalmente" pelas tais "pessoas de etnia cigana".

A melhor definição da palavra "parvo" encontro-a no dicionário de José Pedro Machado: "Aquele que tem mentalidade infantil." Pode ser-se inteligente, culto e continuar a pensar-se como um menino: uma coisa é aprender, outra é crescer. Pode ser-se um académico mas ser-se politicamente parvo. Exemplos ilustrativos não faltam.

Não há problemas de segurança na Quinta da Fonte? Há. Não há problemas de integração e socialização com minorias étnicas em Loures? Há. Algum político responsável deve ignorar essa realidade? Não. Então, onde está o infantilismo de André Ventura?

Tal e qual uma criança ansiosa por aprovação no mundo adulto, o coautor de Justiça, Corrupção e Jornalismo tenta ser visto como um herói e recusa o "medo de dizerem que estamos a ser "fascistas", "racistas", "xenófobos"". André Ventura, putativo herói contra o politicamente correto e o "aproveitamento político, sobretudo do espectro da esquerda", avança "que numa candidatura devemos ter a coragem de dizer aquilo que está mal".

Dizer o que se pensa, porém, nada tem de heroísmo para quem pode contar, sempre, com um microfone apontado à boca. E ainda bem que assim é...

Heroísmo é trabalhar como assistente social na Quinta da Fonte. Heroísmo é ser-se polícia e ir à Quinta da Fonte só para falar com quem lá mora. Heroísmo é formar um grupo de teatro na Quinta da Fonte. Heroísmo é manter um negócio aberto na Quinta da Fonte. Heroísmo é morar na Quinta da Fonte e vencer a segregação, o preconceito e a injustiça. Heroísmo é ser cigana, viver na Quinta da Fonte e insistir em enviar os filhos à escola, em lutar para eles terem um futuro melhor. Heroísmo não é atiçar o ódio da turba para, no fim, receber o apoio do líder neofascista do PNR e, ironicamente, a crítica violenta de um dirigente do CDS.

Ser inteligente, culto, querer lugar na política mas não tentar compreender porque Portugal, país de emigração e de imigração, de penas baixas, de aparente laissez-faire, se mantém um país pacífico numa Europa cada vez mais policiada e cada vez mais violenta é, portanto, infantil. É, inelutavelmente, parvo.


IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
18/07/17

.
.


1297.UNIÃO



EUROPEIA



.

2- A vida secreta do
seu relógio biológico

video


FONTE: BBC

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.
.
.
11-ABANDONADOS
PAVILHÃO CARLOS LOPES
LISBOA

video


* EXCELENTE TRABALHO DE REPORTAGEM DA "SIC"

** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.
.

..
.
HOJE NO 
"AÇORIANO ORIENTAL"

Cristas defende que democracia cristã
 é incompatível com racismo

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, justificou com os princípios da democracia cristã o abandono da coligação com o PSD em Loures, considerando que jamais deixará o partido ser associado ao racismo e xenofobia.
.
"O CDS tem um património longo, ainda ontem [quarta-feira] fizemos 43 anos. Basta olhar para a nossa carta fundadora e de princípios para perceber que tudo o que lá está continua a ser atual: princípios fundados na democracia cristã, no respeito absoluto por todo e qualquer ser humano", defendeu Assunção Cristas aos jornalistas, durante uma visita ao bairro do Loureiro, em Lisboa, enquanto candidata autárquica à capital.

A líder centrista argumentou que também faz parte do património do CDS "defender uma justa atribuição dos subsídios sociais e uma eficaz fiscalização de eventuais abusos nesses mesmos subsídios sociais", mas advertiu que "coisa diversa é querer associar práticas de abuso a conjuntos específicos de pessoas".

"Isso é racismo, isso é xenofobia, e nós não vamos por essa linha e eu jamais deixaria que o CDS pudesse ser associado a essa linha", declarou.

Questionada sobre o futuro cabeça-de-lista do CDS-PP a Loures, Assunção Cristas disse que os centristas terão "um bom candidato" e estão "a trabalhar nisso".

A número três da lista liderada pelo PSD em Loures, a centrista Isaura Mariño Lourenço, revelou na quarta-feira à Rádio Renascença ter recusado encabeçar uma lista própria do CDS-PP, após o abandono da coligação com os sociais-democratas e PPM, sublinhando concordar com as posições assumidas por André Ventura sobre a comunidade cigana.

A distrital de Lisboa do CDS-PP anunciou na terça-feira que vai seguir "um caminho próprio" nas eleições autárquicas em Loures e expressou um "profundo incómodo" pela forma como o candidato se referiu à comunidade cigana.

O presidente social-democrata, Passos Coelho, defendeu na terça-feira à noite que o candidato do partido à Câmara Municipal de Loures "clarificou a sua posição", sublinhando que o PSD não tem, nem terá posições racistas ou xenófobas.

"A clarificação que o doutor André Ventura fez de uma entrevista que deu clarifica muito bem a posição, quer dele quer do PSD, quanto à matéria. Eu estou tranquilo quanto àquilo que é a nossa posição, uma posição não racista, não xenófoba: nunca foi, não é e, atrevo-me a dizer, nunca será", afirmou o líder social-democrata.

O secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, considerou, por seu turno, que tal posição de Passos Coelho desonra o PSD.

Entre outras referências, André Ventura afirmou numa entrevista publicada na segunda-feira pelo jornal i que há pessoas que "vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado" e que acham "que estão acima das regras do Estado de direito", considerando que tal acontece particularmente com a comunidade cigana.

Ainda na segunda-feira, a candidatura do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Loures apresentou uma queixa-crime ao Ministério Público e à Ordem dos Advogados contra André Ventura, pelas "novas declarações racistas e xenófobas para com a comunidade cigana".

Na quinta-feira, o candidato já tinha falado sobre uma alegada "excessiva tolerância com alguns grupos e minorias étnicas", numa entrevista ao portal Notícias ao Minuto, o que motivou uma queixa à Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial contra o candidato do PSD/CDS-PP/PPM, por parte do candidato do BE em Loures, Fabian Figueiredo, por "declarações contra as minorias étnicas".

Em comunicado na segunda-feira, André Ventura afirmou ter criticado situações de incumprimento da lei, independentemente de questões étnicas.

"O que preocupa a candidatura são questões de segurança e cumprimento da lei, na defesa do património público e das pessoas de bem, independentemente da raça ou etnia. [...] Boa parte das pessoas que fica muito incomodada quando são denunciadas estas situações nunca se deslocou a algumas dessas zonas e não tem ideia do 'barril de pólvora' que lá se vive diariamente", defendeu.

* Aceitamos e ficamos satisfeitos por a sra. D. Assunção  Cristas não ser racista, mas relembramos-lhe que a "cristandade" foi sempre racista.


.
.

Thalia

Equivocada

video
.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"
Investigação do Hospital de Guimarães ajuda em 
diagnóstico precoce da Doença de Pompe

Doença "é altamente incapacitante", sendo que 290% dos doentes acabam em cadeira de rodas e 60% a precisar de máquinas para respirar.

Uma "investigação inovadora" liderada por uma pneumologista do Hospital de Guimarães concluiu que a Doença de Pompe "tem que ser considerada" em todos os doentes com paralisia do diafragma, ajudando no diagnóstico precoce daquela enfermidade. 

Em declarações à Lusa, Maria José Guimarães, que liderou o trabalho científico "Prevalence of late-onset pompe disease in Portuguese patients with diaphragmatic paralysis - DIPPER study", recentemente publicado num portal de investigação clínica internacional, explicou, "em termos simples", que a Doença de Pompe é uma doença rara caracterizada pela "falta de uma enzima responsável por degradar o glicogénio", levando as células musculares a acumular gordura e a deixar de funcionar "o que leva à perda de força". 

Segundo a clínica, a investigação centrou-se em 18 casos de doentes com paresia do diafragma - "diafragma elevado, que não baixa com a respiração e obriga o doente a forçar para que baixe" - sem explicação aparente, tendo sido diagnosticada a Doença de Pompe em quatro daqueles pacientes. "Foi uma investigação inovadora, porque pesquisou de forma original a incidência da doença em doentes que tinham o diafragma parado e não se sabia qual é a causa", explicou Maria José Guimarães.

 A investigação envolveu um trabalho "multicêntrico, que contou com a participação de outros investigadores de dez hospitais do país" e levou a que se diagnosticasse a Pompe em quatro pacientes. "A nível nacional há apenas 30 casos diagnosticados, por isso o impacto foi muito grande, daí o reconhecimento científico que o trabalho teve", explicou. 

A investigadora explicou que o objetivo era "criar um protocolo específico para que em doentes com paresia de diafragma, sem causa aparente, e em que tudo já foi despistado, fosse procurada a Doença de Pompe". O objetivo não foi conseguido - "porque houve doentes que fizeram a determinação da enzima" e, por isso, não foi possível quer diagnosticá-los, quer criar um protocolo, mas, para a investigadora, foram atingidas conclusões importantes. "A conclusão do estudo é que todos os doentes com paresia diafragmática devem fazer despiste para doença de Pompe. 

Conseguimos que a partir de agora a doença de Pompe seja considerada em todos os doentes com paresia do diafragma desconhecida", salientou. Esta nova abordagem pode levar ao diagnóstico precoce desta doença rara - a taxa de incidência é de um para 40 mil - uma vez que, embora seja fácil de diagnosticar, só é procurada "muito tempo depois", num processo que chega a demorar "quase 10 anos". 

Além da paresia do diafragma, a Doença de Pompe tem outras manifestações como "grande dificuldade em sentar e levantar, a marcha alterada em que o pé fica pendente, sintomas que facilmente se atribuem a outras patologias, como problemas de coluna, por exemplo". 

A Doença de Pompe, explicou, "é altamente incapacitante", sendo que 290% dos doentes acabam em cadeira de rodas e 60% a precisar de máquinas para respirar, suporte ventilatório", pelo que o diagnóstico precoce assume particular importância, embora não seja ainda conhecida uma cura. Mas, refere o Hospital de Guimarães em comunicado, "existe um tratamento dirigido à própria doença que ajuda a controlar e reduzir de forma significativa os sintomas dos doentes: a terapêutica de substituição enzimática" que, conjuntamente com "o manuseamento e tratamento por uma equipa multidisciplinar especializada, poderão levar a uma melhoria dos sintomas".

* A investigação em Portugal é muito boa, contraria a certeza das religiões.

.
. 
HOJE  NO 
"OBSERVADOR"

Governo português pede cuidado
 nas estradas aos emigrantes 
que regressam de férias

O Governo apelou aos emigrantes que pretendam regressar a Portugal, em férias, para que tenham cuidado na viagem, em particular por estrada.

O Governo apelou, esta quinta-feira, aos emigrantes que pretendam regressar a Portugal este mês, em férias, para que tenham cuidado na viagem, em particular por estrada, evitando excessos de velocidade e de carga, sem álcool nem “distrações tecnológicas”.
 .
Numa mensagem dirigida aos emigrantes que tradicionalmente aproveitam o mês de agosto para regressar a Portugal e “revisitar a terra, a família e os amigos”, os secretários de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Caneiro, e da Administração Interna, Jorge Gomes, pedem que os portugueses que viajam por estrada façam “uma condução defensiva” e “sem excessos de velocidade e de carga, sem consumo de álcool e sem distrações tecnológicas”.

“Nunca se esqueçam do cinto de segurança e de fazer os necessários períodos de descanso“, afirmam os dois governantes, em comunicado, que pedem ainda aos emigrantes que “circulem com a máxima precaução” pelas “maravilhosas aldeias, vilas e cidades, de modo a não colocar em perigo os peões e os ciclistas”.

O Governo recorda ainda que os portugueses que residem no estrangeiro contam, em território nacional, com “uma cada vez maior rede de Gabinetes de Apoio ao Emigrante“, instalados em 133 municípios e freguesias.

Os espaços destinam-se aos portugueses ainda emigrados, aqueles que já regressaram ou que irão regressar, bem como os que pretendem iniciar um processo migratório.

Os gabinetes funcionam numa lógica de Loja do Cidadão, onde os portugueses podem “tratar dos assuntos inerentes à vivência passada de emigrante (segurança social, equivalência de estudos, investimentos, duplas-tributações, etc.), bem como à intenção de iniciar uma experiência de emigração”.

* Em todo o mundo o problema das mortes na estrada é uma questão de civilidade, quem não é  educado pode matar.

.
.
 NÃO É FÁCIL!!

video



.
.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
Cientistas propõem suspensão 
da pesca da sardinha por 15 anos

Associação de Produtores da Pesca do Cerco perplexa com recomendação

O presidente da Associação de Produtores da Pesca do Cerco disse hoje estar "perplexo" com a recomendação do organismo científico sobre a suspensão da pesca da sardinha por 15 anos, considerando que é um "cenário apocalíptico" e injustificado.
 .
O presidente da Associação Nacional das Organizações de Produtores da Pesca do Cerco (ANOP-Cerco) comentava em declarações à agência Lusa a notícia, do jornal de Negócios, de que o Conselho Internacional para a Exploração do Mar, organismo científico que aconselha a Comissão Europeia sobre as quotas de captura de peixe, recomenda a suspensão total da sardinha por um período mínimo de 15 anos.

O parecer do organismo científico, que não é vinculativo e a que jornal de Negócios teve acesso, diz que "Portugal deve parar por completo a pesca da sardinha e durante um período mínimo de 15 anos para que o stock de sardinha regresse a níveis aceitáveis".

"Estamos perplexos. Discordamos totalmente deste parecer e não o compreendemos de todo. Não compreendemos como passamos de um cenário relativamente positivo, com uma ligeira recuperação do recurso e com base na recomendação do ano anterior, para este cenário tão pessimista, eu diria até apocalíptico", disse à Lusa Humberto Jorge.

O presidente da ANOP -- Cerco disse que a associação discorda "do cenário traçado" porque o que "se está a verificar no terreno é uma abundância e regularidade das capturas e desembarques como há muitos anos não se verificava".

Segundo Humberto Jorge, as informações científicas recolhidas durante o ano de 2017 não estão contidas no parecer do organismo científico.

Humberto Jorge lembra que o stock tem problemas há cerca de 10 anos, sobretudo com recrutamento de juvenis, por motivos que nem os cientistas sabem explicar, embora possam estar relacionados com alterações climáticas, que não têm a ver com a pesca.

"Temos reconhecido o problema e diminuímos o período de atividade ao longo de dez anos para níveis mínimos como nunca tivemos, mas também é um facto que assistimos a uma permanente estabilização da biomassa e neste ultimo ano até uma melhoria da biomassa na faixa portuguesa", disse.

Por isso, a associação não compreende esta recomendação com um cenário tão negro.
"Espero que Portugal, Espanha e a Comissão Europeia, não tanto a Comissão Europeia porque têm uma tendência forte para seguir estes pareceres, consigam contrariar esta vontade que não se baseia em dados científicos recentes, nem em dados profissionais recentes", concluiu.

Em declarações ao Negócios, o secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, esclareceu que este relatório não dispõe de informação atualizada, respeitante às zonas Centro e Norte do país - que só deverá chegar nos próximos meses e do qual resultará uma recomendação ao país".

* Na saúde são muito evidentes lobies de laboratórios que pressionam a comunidade científica para forjar teorias sobre doenças. O colesterol é uma delas e a irracionalidade é tão grande que toda a gente fala em bom e mau colesterol o que é uma asneira monstruosa, o HDL e o LDL são prioritários no corpo humano, sem eles morremos. 
Quanto à sardinha temos quase a certeza que haverá um lobie, talvez o do arenque, que quer dar cabo do ganha pão de muitos portugueses.

.
.
HOJE NO 
"RECORD"
Frederico Morais: 
«Estou a sentir muitas coisas, 
estou sem palavras»

Primeiro surfista português a disputar a final de uma etapa do circuito mundial

Frederico Morais, finalista da etapa sul-africana do circuito mundial surf, disse esta quinta-feira ter vivido uma semana espetacular em Jeffreys Bay, que lhe possibilitou estar na final da prova.
 .
'Kikas' tornou-se hoje no primeiro surfista português a disputar a final de uma etapa do circuito mundial, que perdeu para o brasileiro Filipe Toledo por uma diferença de 0,27 pontos.

"Esta foi a minha primeira final de sempre no 'world tour', até porque é o meu primeiro ano, é fantástico. Estou a sentir muitas coisas, estou sem palavras. Poder surfar contra o John John [Florence], o Mick [Fanning], o Adriano [de Souza], o Filipe [Toledo] ou o [Gabriel] Medina, foi uma grande semana", disse 'Kikas', na cerimónia do pódio.

Frederico Morais referiu-se ainda sobre como enfrentou os diversos desafios no Corona J-Bay, quando teve de defrontar os melhores do circuito.

"É sempre um grande desafio e tens sempre de elevar o teu surf quando defrontas estes rapazes. São os melhores surfistas do mundo, são espetaculares, são campeões mundiais e, se quiseres derrotá-los, não podes hesitar, tens de estar preparado para tudo e elevar-te. O 'Dog' Marsh [Richard 'Dog' Marsh, seu treinador] foi uma grande ajuda, ele é o melhor de sempre", sublinhou.

'Kikas' mostrou-se igualmente feliz por ter sido o primeiro português a alcançar pela primeira vez a final de uma etapa do circuito, mas não se esqueceu de Tiago 'Saca' Pires, a quem 'sucedeu' no circuito.

"É espetacular poder representar Portugal e ser o primeiro português na final do 'world tour'. O Tiago [Pires] foi o primeiro a introduzir Portugal no circuito e agora estou aqui a fazer uma final, o que é espetacular. Obrigado a todos em casa, obrigado rapazes, obrigado Portugal", disse.

Depois de se ter tornado no primeiro português a marcar presença numa final de uma prova do circuito mundial de surf, ao derrotar nas meias-finais outro brasileiro, Gabriel Medina, Frederico Morais perdeu hoje a final com uma diferença de 0,27 pontos, ao efetuar 8,33 e 9,40 (17,73), contra os 8,83 e 9,17 (18,00) de Toledo.

O brasileiro conquistou a sua quarta vitória entre a elite, regressando aos triunfos depois da conquista da etapa de Peniche em 2015.

Com este resultado, o surfista português deu um salto no 'ranking' mundial, subindo de 18.º para 12.º, com 18.950 pontos, e ficando assim cada vez mais perto de assegurar a manutenção entre a elite do surf mundial. É atualmente o segundo melhor 'rookie' do ano, atrás do australiano Connor O'Leary (10.º com 20.200), que eliminou na terceira ronda na África do Sul.

Após o sexto campeonato do ano, o australiano Matt Wilkinson permanece na liderança, com 31.950 pontos, seguido de John John (31.700), do sul-africano Jordy Smith (31.350) e do australiano Owen Wright (30.150), enquanto Toledo subiu para o sétimo lugar (23.950).

* Frederico Morais fez  história, é no desporto, na cultura e na ciência que maioritariamente se faz história em Portugal, a política nacional tornou-se um excremento da vida pública, há excepções.

.
.
Para cozer os miolos/15

video


BRINQUEDOS PARA ADULTOS


.
.
HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"
PJ detém homem na Guarda 
por pornografia infantil

Um homem com 27 anos foi esta sexta-feira detido pela Polícia Judiciária da Guarda, pela alegada prática de dois crimes de pornografia de menores ocorridos no concelho de Fornos de Algodres, no distrito da Guarda.
.
O Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda refere, em comunicado hoje enviado à agência Lusa, que identificou e deteve "o presumível autor de dois crimes de pornografia de menores, ocorridos no decurso do ano de 2016, dos quais foram vítimas duas menores, de 15 e 16 anos de idade".

Segundo a fonte, o detido, trabalhador da construção civil, atuava sobre as menores "por coação psicológica", conseguindo "que elas lhe enviassem fotografias desnudadas".

O suspeito vai ser presente às autoridades judiciárias competentes para primeiro interrogatório e aplicação de adequadas medidas de coação.

* Estes bandidos têm de ser severamente punidos.

.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/
 
/DA MADEIRA"

Médicos recusam substituir 
enfermeiros especialistas em greve 
no Hospital do Funchal

Os médicos recusaram-se esta manhã, dia de greve dos enfermeiros especialistas, a fazer trabalho a mais no serviço de Obstetrícia do Hospital Dr. Nélio Mendonça, suprindo a prestação de cuidados de saúde em falta na área da saúde materna, quer de pré natal como também de pós-parto.
 .
Segundo apurou o DIÁRIO junto de fonte hospitalar, os médicos não gostaram da nova escala que foi apresentada pelo chefe do serviço de Obstetrícia, Joaquim Vieira, na reunião matinal desta quinta-feira, e recusaram-se a cumpri-la.

A proposta com a reprogramação das escalas e turnos de serviço dos clínicos nas diversas áreas hospitalares visava solicitar aos médicos que fizessem trabalho a mais de modo a suprir a ausência dos enfermeiros especialistas da Obstetrícia que cumprem hoje o primeiro dia de greve em protesto contra o congelamento das carreiras.

Recorde-se que ontem, quarta-feira, o secretário regional Pedro Ramos convocou uma reunião com representantes dos enfermeiros, da Secretaria e do Serviço de Saúde da Região (SESARAM), após a qual ficou decidido que seriam reforçadas as equipas médicas durante a greve dos enfermeiros especialistas.

Joaquim Vieira garantiu, nesse reunião, que os médicos estariam aptos a realizar todas as tarefas, desempenhadas pelos enfermeiros especialistas nas áreas da saúde materna e obstetrícia. “Não fiquem preocupadas, podem ter os bebés em segurança”, tranquilizou.

Porém, hoje de manhã, tal não aconteceu. O chefe de serviço do serviço de Obstetrícia foi confrontado com a recusa dos médicos em assegurar o trabalho dos enfermeiros especialistas em greve.

* O governo do país teve tempo suficiente para resolver a situação dos enfermeiros especialistas antes de se chegar a situação de confronto.

.
.
 "INCONVENCIONAL"
PLAGIANDO O PROLÍFERO LÉXICO DE S. EXA. A  EX-PRESIDENTE DA A.R. ASSUNÇÃO ESTEVES






 


















..
.

1311
Senso d'hoje
MEGAN BOMGARS
JOVEM COM SÍNDROME DE DOWN
"DON'T LIMIT ME!"

video



.