27/04/2018

.


65-CINEMA
FORA "D'ORAS"

V-DEUS, PÁTRIA,
AUTORIDADE




SINOPSE
Um filme português de Rui Simões (cineasta), um documentário de longa-metragem de actualidades históricas que retrata o regime fascista de António de Oliveira Salazar.

Uma desconstrução da ideologia fascista através de três dogmas fundamentais assinalados no discurso de Oliveira Salazar, em 1936: «Não discutimos Deus e a virtude. Não discutimos a Pátria e a Nação. Não discutimos a Autoridade e o seu prestígio». Feito sobretudo de material de arquivo, de filmes de actualidades, a narrativa surge na montagem, analisando os principais acontecimentos históricos em Portugal, desde a queda da monarquia, em 1910, até à Revolução dos Cravos, numa perspectiva social de luta de classes.

FICHA TÉCNICA: 
Argumento: Rui Simões (cineasta) 
Realizador: Rui Simões 
Assistentes de realização: Manuela Serra e Francisco Henriques 
Produtores: Instituto Português de Cinema e RTP 
Colaboradores: Artur da Costa, Alice Pinto, Noémia Delgado, José Pedro Andrade dos Santos, J.M. Diogo, Raymond Fromont, Matilde Ferreira 
Animação: Geneviève Antoine e Mário Jorge 
Fotografia: Acácio de Almeida, Gérard Collet, José Reynès, Francisco Henriques 
Directores de som: Luís Martins e Rui Simões 
Música: Carmina Burana de Carl Orff 
Sonoplastia e misturas: Rui Simões 
Montagem: Dominique Rolin 
Assistente de montagem: Manuela Serra 
Rodagem: 1975 Laboratório de imagem: Ulyssea Filme 
Laboratório de som: Nacional Filmes 
Materiais de arquivo: Ulyssea Filme, RTP, Emissora Nacional 
Formato: 35 mm p/b 
Género: documentário (histórico) 
Duração: 103’ 
Distribuição: Instituto Português de Cinema Estreia: em Lisboa, no cinema Universal, a 21 de Fevereiro de 1976.

.

26/04/2018

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.


180-ACIDEZ

FEMININA


OS HOMENS SABEM

quando

VOCÊ ESTÁ OVULANDO



A IMPRESCÍNDIVEL TATY FERREIRA

* Uma produção "ACIDEZ FEMININA" - BRASIL

.
.


A PROSTITUTA/1

CONTINUA NA PRÓXIMA QUINTA

Elenco:
Caroline Fernandes
Cristina Santos
Ricardo Vieira
Samuel Alexandre
Corália Santos
Soraia Marranita
Mariana Santos



FONTE: ScreenInside ScreenInside

.
.
HOJE NO 
"A BOLA"
«O lamaçal em que se tornou
.o futebol português...»
.
Carlos Queiroz, português selecionador do Irão, comentou nas redes sociais a denúncia anónima que aponta alegada tentativa de assédio do FC Porto a Amir, guarda-redes do Marítimo e internacional iraniano.

«Não é que seja propriamente inédito. Tristemente, o lamaçal em que se tornou o futebol português tem vindo a ser cada vez mais poluído com situações destas. Em Portugal joga-se o vale tudo nos bastidores - é um facto, eu próprio fui alvo - mas é simplesmente vergonhoso o que tem acontecido e o que acabam de fazer a mais um futebolista, neste caso particular o Amir, utilizando-se o seu nome e acabando por questionar-se a sua honra e profissionalismo. Para quem não conhece, o Amir é um guarda-redes iraniano que tem estado connosco na seleção e que hoje faz 25 anos. Infelizmente não é devido ao seu aniversário que estão a falar dele. De qualquer forma, o Amir ficará sempre com a sua honra, os outros ficam com a lama que produzem. Já agora, parabéns Amir.»

* Sem comentários.

.
.
HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"
Bloqueio do Infarmed leva grupo de
.trabalho a ameaçar demitir-se

A dois meses da entrega do relatório que determinará se o Infarmed (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde) muda ou não de Lisboa para o Porto, o presidente do Grupo de Trabalho, Henrique Luz Rodrigues, ameaça demitir-se.
 .
Em causa está a falta de condições para obter os dados sem os quais não será possível chegar a uma conclusão. "O conselho diretivo do Infarmed tem funcionado como força de bloqueio, recusando-se colaborar", lamenta Luz Rodrigues ao JN.

O responsável pelo trabalho solicitou uma reunião "de urgência" ao ministro da Saúde, que aconteceu esta tarde, e da qual saiu o "compromisso" de que "os problemas serão desbloqueados". Se nada mudar no comportamento do Infarmed, Luz Rodrigues, antigo presidente da instituição, avança com demissão. "Não tenho alternativa", salienta. "O relatório é apresentado no dia 30 de Junho. Se não tiver condições para colher os dados para fundamentar a decisão que me foi pedida, tenho de sair."

Mas não é só a liderança do Grupo de Trabalho que está em causa. É também a pareceria universitária com o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC), o Instituto Superior Técnico e a Porto Business School. "Ninguém tem tido condições para realizar um trabalho que", sublinha, "é técnico e não político".

A recusa do Infarmed na colaboração prende-se com o facto de a esmagadora maioria dos funcionários não concordar a posição do Governo, e não querer mudar de cidade. De acordo o "Expresso", haverá mesmo três dezenas de trabalhadores que preferem mudar de país, estando já a concorre à Agência Europeia do medicamento (EMA), que irá instalar-se na Holanda no início de 2019.

O Grupo de trabalho retoma o debate amanhã, sexta-feira, em Faro, cumprindo a maratona de reuniões espalhadas pelo país.

* Percebe-se que ao governo não chegavam os incêndios de 2017, arranjou esta fogueirinha para se aquecer, só que ela é bem capaz de chamuscar os testículos.

.
.

XXXII- Cidades

e soluções


2- PRODUTOS TRANSGÉNICOS





FONTE: Nereida Braz


.