23/12/2019

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.


127-SUBTILEZAS

Porque é tentador fazer
o que é proibido




RESUMO ANIMADO


FONTE:   Minutos Psíquicos
..

.
12-𝑳'𝑰𝑵𝑪𝑶𝑹𝑶𝑵𝑨𝒁𝑰𝑶𝑵𝑬 𝑫𝑰 𝑷𝑶𝑷𝑷𝑬𝑨 
Cʟᴀᴜᴅɪᴏ Mᴏɴᴛᴇᴠᴇʀᴅɪ



INTÉRPRETES
Davide Pozzi-Cembalo e Leitung 
Giuseppina Bridelli-Nerone 
Emanuela Galli-Poppea 
Xenia Mejer-Ottavia 
Filippo Mineccia-Ottone 
Salvo Vitale-Seneca 
Luca Dordolo-Lucano 
Alberto Allegrezza-Arnalta 
Alessio Tosi-Nutrice 
Vittoria Giacobazzi Virtù-Damigella 
Lucia Cortese-Amore e Valletto 
Riccardo Pisani-Soldato e Liberto 
Silvia Rosati-Fortuna e Drusilla 
Sophia Patsi-Cori 
Massimo Altieri-Soldato coro familiari 
Davide Benetti-Mercurio e Littore 


SINOPSE
L'Incoronazione di Poppea, de Monteverdi, trata de um caso de amor para além de todas as regras morais e sociais: o imperador Nero, um fraco, viola a esposa para elogiar a amante calculista, Poppea Empress; a imperatriz traída incita o marido traído de Poppea a assassinar a mulher infiel.

Esta ópera não é sobre amor, mas sobre ambição, gratificação submissa, falta de escrúpulos. 

Com um cinismo incomparável na história da ópera, o libretista Francesco Busenello repudiou todos os personagens. E assim a conclusão da ópera não pode ser chamada senão a apoteose do sarcasmo: os adúlteros em triunfo no trono romano; o garoto assassino e seu novo companheiro alegremente unidos; o autor da tentativa de assassinato pingando de autopiedade. Monteverdi foi mais gracioso: a música devolveu dignidade aos papéis traçados com grotesca decadência romana tardia e permitiu vislumbrar  sentimentos ocultos,  esperanças e medos.

Atenção: esta ópera é uma obra extensa muitíssimo bonita e com excelentes cantores, à medida que os vídeos forem editados aconselhamos a rever pelo menos parte do anterior.


FONTE:  SWR Classic

.
.
HOJE NO
"OBSERVADOR"
Isabel dos Santos publica versão
 alterada da entrevista ao Observador

A empresária angolana deu uma entrevista ao Observador na semana passada. Este domingo, nas redes sociais, publicou uma versão alterada, com destaque e fotos diferentes e sem algumas perguntas.

Isabel dos Santos publicou nas suas redes sociais uma versão alterada da entrevista que deu na semana passada ao Observador. A empresária angolana anunciou este domingo no Twitter que seria possível ler “a primeira parte” da entrevista no seu Facebook — um conteúdo premium do Observador, que só pode ser lido por assinantes do jornal. Naquela outra rede social, publicou 14 imagens com a entrevista paginada como se de um jornal se tratasse.
.

Aquela não é, porém, a entrevista feita e publicada pelo Observador. A nova versão — entretanto retirada — tem pequenas alterações nos subtítulos, mas grandes mudanças nos destaques escolhidos e algumas perguntas em falta. Aqui foram postas em destaque as declarações que Isabel dos Santos considerará mais revelantes de tudo o que disse na entrevista que durou duas horas e meia — muito diferentes dos destaques que, segundo critérios jornalísticos e editoriais, o Observador tinha escolhido.

Além disso, faltam algumas perguntas e respostas, que estariam dentro da primeira parte da entrevista, escolhida para esta versão — as que dizem respeito à proveniência do dinheiro do general Leopoldino Fragoso Nascimento, mais conhecido como general Dino, para deter 25% da UNITEL.

A nova versão tem também caixas para temas específicos a que o Observador não deu qualquer destaque. A equipa da empresária escolheu também outras fotografias para acompanhar o texto.

Ao final da tarde, a publicação de Isabel dos Santos já tinha sido partilhada dezenas de vezes. Depois de um contacto do Observador, por causa das alterações feitas, o post foi retirado.

Na entrevista feita pelo Observador na quinta-feira passada, Isabel dos Santos nega ter sido favorecida pelo pai, fala sobre os negócios em Portugal e Angola e das alegadas irregularidades no BIC, critica a política atual do MPLA e revela que não vai a Angola há um ano e meio, por sentir que “não é um lugar seguro”.

Pode ver alguns dos principais momentos aqui e ouvir a versão integral aqui, no podcast do programa Sob Escuta da Rádio Observador.

* Uma situação para a chefia editorial do OBSERVADOR reflectir sobre facultar páginas, microfones e câmaras a uma energúmena que não sabe se é a mulher mais rica de Angola mas será certamente a mais vigarista.

.
.

MINUTOS DE
CIÊNCIA/260

ORDEM DAS OPERAÇÕES QUE 
MUITA GENTE ERRA!



FONTE:  Matemática Rio com Prof. Rafael Procopio

.
.
HOJE NO 
"RECORD"
Rúben Amorim assume lugar
 de Sá Pinto no Sp. Braga

Treinador da equipa B dos minhotos assume comando técnico da equipa principal

Rúben Amorim é o novo treinador do Sp. Braga. Record sabe que o até agora treinador da equipa B dos minhotos assinou por duas épocas e meia, uma decisão tomada por António Salvador há uma semana.
 .
Aos 34 anos, o antigo jogador havia assumido o comando da equipa B do Sp. Braga em setembro tendo, na altura, rubricado um contrato válido por três temporadas com o clube que representou enquanto jogador, entre 2012 e 2013, tendo contribuído para a conquista da Taça da Liga, em 2013.

Recorde-se que Sá Pinto deixou esta segunda-feira o comando técnico da equipa, um dia depois de ter assegurado o passaporte para a 'final four' da Taça da Liga com uma goleada diante do P. Ferreira. No comunicado emitido esta segunda-feira, o conjunto de Braga agradece ao agora ex-treinador de 47 anos pelo trabalho desenvolvido e comunicou que a nova equipa técnica será anunciada antes do regresso do plantel ao trabalho, na sexta-feira.

Ao que Record apurou, a decisão de afastar Sá Pinto do comando técnico terá sido tomada há uma semana pelo presidente da SAD dos minhotos, mas apenas esta manhã foi comunicada pelo líder do clube em reunião. Na base desse período de espera esteve, sabe o nosso jornal, o facto de neste período os minhotos estarem num ciclo de jogos importante, o qual desaconselhava uma mudança no comando da equipa.

* Nunca percebemos como é que um agressor dum seleccionador nacional é contratado para treinar um clube, da mesma maneira não entendemos como um agressor dum árbitro internacional num jogo do mundial pode ser director da FPF.

.


XLI - MEGA MÁQUINAS

LOCOMOTIVAS A DIESEL
6-RODAS-arranjos e truques



O título da rubrica MEGA MÁQUINAS não se conforma apenas com as enormes dimensões de algumas que temos exibido, abrange todas as que têm MEGA INFLUÊNCIA nas nossas vidas.

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


FONTE: Canal Decapod
   
.
.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
Gondomar. 
Resgatados do rio vão pagar
 10 mil euros por salvamento

Quatro homens que arriscaram atravessar de jipe o rio Ferreira, em S. Pedro da Cova, Gondomar, tiveram de ser resgatados pelos bombeiros

Num post no Facebook, e a sentir-se "indignado", o presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins, relata que "4 indivíduos decidiram pôr em risco a vida e atravessar de jipe o rio Ferreira com uma forte corrente, que acabou por os vencer".
.
Marco Martins classifica esta aventura no rio, na tarde de sábado, numa altura em que já se fazia sentir a depressão "Fabien". "Uma IRRESPONSABILIDADE felizmente sem grandes danos graças ao trabalho do INEM, GNR, SM Proteção Civil e em especial dos Bombeiros Voluntários de São Pedro da Cova que ARRISCARAM a vida para fazer o resgate", escreveu o autarca.

O autarca remata a dizer que que "obviamente que estes Srs receberão a conta!!!" Segundo o JN, essa conta será acima de 10 mil euros, tendo em conta os meios de resgate envolvidos (num total de 11 viaturas) e operacionais.

Os homens ficaram presos no rio por volta das 15:20 foi uma moradora da zona que avistou o jipe e chamou as autoridades, que rapidamente chegaram ao local. Dois homens acabaram por ser transportados para o Hospital de Santo António, no Porto e os outros dois não quiseram ser assistidos, escreve o JN.

* Bela atitude do autarca, os idiotas do jeep arriscaram a vida de terceiros por um preço bastante baixo.

.

RUI PATRÍCIO

.





O Brexit
 (ou outra coisa qualquer) 
visto de Savile Row

Savile Row é liberdade de comércio, é facilidade de circulação, é generosidade migratória. É a velha Londres na nova Londres, que é o ponto de encontro do mundo.

Savile Row é uma das ruas que elejo na cidade que prefiro a todas as que conheço (e suspeito que mesmo às que ainda não conheci).

Num tempo em que a popularidade (e não só) se conquista e cavalga dizendo o que muitos querem ouvir - o que lamento -, talvez devesse dizer que é Lisboa. Mas não é, embora lhe seja muito afeiçoado; e também não estou no campeonato da popularidade. Pois aqui fica a verdade: Londres é, exceção feita porventura às cidades invisíveis de Calvino, a cidade que coloco no topo. E nem é a mais bonita, nem a mais isto ou a mais aquilo, mas, juntando tudo, é a que tem, para mim, um especialíssimo "it".

Como escreveu João Bénard da Costa sobre Anna Karina ("Anna Karina e o Carinho Desmedido"), terá havido melhores atrizes, terá havido mulheres mais belas, mas com aquelas pestanas batejantes e aqueles olhos que nos lambem, ninguém. E Savile Row também não é das suas ruas mais bonitas, embora não esteja mal e fique numa zona em que, podendo, eu não me importaria nada de habitar. E, embora aprecie um bom corte, não é pela sedução da alta alfaiataria que aí se pratica que a escolho. Gosto dela - como gosto de outras, por exemplo a pequena James Street - como local de observação; e, valha a verdade, também gosto porque sim, já que no gostar (qualquer que seja) há sempre uma boa pitada de inexplicável (que, aliás, também pode facilmente fenecer com o mesmo mistério com que nasceu).

Como posto de observação, é do melhor que há. E, sendo-o, em tempos de Brexit no horizonte é simultaneamente causa de atormentada perplexidade e de humilde aprendizagem. Percorrendo-a, olhando para quem circula e entra e sai, perscrutando as casas de alfaiataria (quer os seus glamorosos andares térreos ou altos, quer as subcaves e caves onde se corta e cose), e também pensando um pouco, vemos logo duas ou três coisas que o Brexit parece negar, mas que são o coração da vida de Savile Row e da alfaiataria que hoje ali se faz pela mão de poucos caucasianos, que ali é comprada por gente (com cabedais) de todo o mundo e que dali sai facilmente "urbi et orbi".

Savile Row é liberdade de comércio, é facilidade de circulação, é generosidade migratória. É a velha Londres na nova Londres, que é o ponto de encontro do mundo. E, no entanto, isso é em grande parte, e simplificando, o que o Brexit parece não pretender. Bem sei que Londres não é o Reino Unido, e bem sei que eu - como outros que não pensam que o Brexit seja coisa boa - poderia rapidamente alinhavar meia dúzia de causas para o que a maioria dos que votaram e votam parece querer (mas será?), e poderia, do alto de uma confortável e superior sensação de saber melhor, apontar-lhes equívocos, falsas nostalgias pela "Pax Britannica", um mítico espírito cavalheiresco cunhado desde a fábula do Rei Artur, ou superficialidade de pensamento, sobranceria, cinismo, raiva, medo; e tantas outras coisas. Mas isso não chega, nem creio que seja o melhor caminho.

Quanto aos que não pensam como nós, e sobretudo quando os que não pensam como nós elegem ou ganham (nesse regime que é o pior, à exceção de todos os outros - como disse Churchill sobre a democracia, o homem que tanto ajudou a ganhar a guerra e que logo depois foi apeado do poder pelo voto), talvez seja mais avisado não apaziguar as perplexidades tão rapidamente. Será melhor aprofundar um pouco mais, escavar, tentarmo-nos colocar no lugar do outro, verificar o que se calhar não estamos a ver (ou a fazer) bem. Mesmo que seja para depois de um longo caminho chegarmos à mesma conclusão, é bom que, quando discordam de nós e/ou quando perdemos, e também quando não gostam ou deixam de gostar de nós, questionemos: "Que diabo, porque será realmente, vejamos ponto a ponto?" Essa indagação séria e calma é a humilde aprendizagem que nos pode ajudar a perceber melhor, e, depois, a tomar as melhores decisões, sejam elas: continuar a lutar, desistir, calar, gritar, mudar de ideias ou conduta, ou fugir a sete pés - seja da minha amada Londres seja de outra coisa qualquer. Mas não sem antes tentar, e tentar uma e outra vez, compreender. 

* Advogado

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
19/12/19

.
.


2131.UNIÃO



EUROPEIA



.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/  
/DA MADEIRA"
Apenas 104 militantes do PSD-Madeira têm as quotas em dia

O secretário-geral adjunto do PSD Hugo Carneiro destacou hoje a atualização dos dados de mais de 30 mil militantes do partido e relativizou a diminuição do universo eleitoral, esperando uma menor abstenção.
.
Pelo menos 40 mil militantes do PSD têm as quotas em dia e podem votar nas diretas de 11 de janeiro para escolher o próximo presidente, de acordo com dados ainda provisórios disponibilizados hoje no ‘site’ do partido.

Questionado sobre a diminuição do universo eleitoral em relação a 2018 - cerca de 70.000, mas só votaram 60% -, Hugo Carneiro relativizou, lembrando que há dois anos só votaram 42.000 militantes, próximo do número dos que agora participaram no processo.

“Seguramente, nestes 40 mil casos o militante participou no processo de pagamento de quotas”, frisou, uma vez que a referência para o pagamento apenas era fornecida ao próprio.

Por outro lado, destacou que, a par do pagamento de quotas, todos os militantes que não tinham os seus dados atualizados junto do partido tiveram de o fazer.

“Fizemos, desde 01 de outubro, 32.211 atualizações de dados de militantes. A base de dados do partido ficou mais enriquecida”, realçou.

O secretário-geral adjunto enalteceu ainda “o empenhamento das três candidaturas na ajuda aos militantes” neste processo, tendo no último mês de pagamento duplicado o número de militantes com quotas em dia.

“É bom para o partido e para as candidaturas”, afirmou Hugo Carneiro, desejando que não se verifiquem mais “quezílias” à volta do tema.

Os números disponíveis no ‘site’ - pelas 19:00 de hoje eram 40.476 os militantes do PSD em condições de votar nas diretas de 11 de janeiro - ainda estão a ser atualizados para incluir pagamentos recebidos por cheque que tenham dado entrada até ao prazo-limite (as 00:00 de 22 de dezembro) e fazer “outras conciliações contabilísticas”, o que poderá demorar alguns dias, mas a diferença não ultrapassará as 200 pessoas.

Há dois anos, o universo eleitoral foi de mais 30 mil militantes: 70.385, mas acabaram por votar 42.655, cerca de 60% do total.

Por estruturas, é a distrital do Porto, como habitualmente, que regista o maior número de militantes em condições de votar, 7.663 (18,8% do total), seguindo-se a de Lisboa Área Metropolitana, com 5.751 (14,2% do total).

Seguem-se Braga e Aveiro com, respetivamente, 5.660 e 4.342 militantes com quotas válidas.
Desta forma, Porto, Lisboa Área Metropolitana, Braga e Aveiro centralizam 57,78% dos militantes do PSD com as quotas em dia.

Seguem-se, por ordem de número de militantes com quotas válidas, Leiria, Coimbra, Guarda, Viseu, Bragança, Vila Real, Viana do Castelo, Santarém, Faro e Setúbal, com entre 2.000 e 1.000 militantes com quotas válidas.

Com menos quotas pagas, estão as estruturas de Fora da Europa - apenas 10 -, da Europa (99) e da Madeira, onde apenas 104 dos 10.270 militantes ativos pagaram a sua quota, cerca de 1% do total.
Este ano foram aprovadas novas regras de pagamento de quotas no PSD que determinam que os militantes recebem, por via postal ou eletrónica, uma referência de multibanco aleatória e apenas com validade de 90 dias - para novo pedido é preciso enviar um comprovativo de residência -, enquanto antes a referência para pagamento de quotas correspondia ao número de militante, antecedido de zeros.

Se do lado da direção se destaca o objetivo de introduzir “mais transparência” e evitar o pagamento de quotas em massa por grupos de pessoas, a candidatura de Luís Montenegro tem contestado que se tenham introduzido novas regras em cima do processo eleitoral e já pediu ao Conselho de Jurisdição Nacional que garanta igualdade no processo eleitoral, impedindo que “quem tem a chave do cofre” das bases de dados dos militantes possa ter vantagens.

São candidatos à liderança do PSD o atual presidente do PSD, Rui Rio, o antigo líder parlamentar do PSD Luís Montenegro e o atual vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz.

* Caloteiros....

.
.

Nabucodonosor
O Mistério Babilônico/3


.
.


6. Inesquecíveis Viagens
de Comboio

6.5-Passeio pela ROMÉNIA




* Estas viagens que desfrutaremos são também observação atenta às pessoas com que o viajante se cruza, problemas sociais, conformismo e também ilusões, vai perceber porque as viagens são inesquecíveis.


FONTE: DOCUMENTÁRIOS ptfelicitas

.
.
HOJE NO
"O JORNAL ECONÓMICO"
Arábia Saudita condena cinco pessoas
 à morte pelo assassinato do
 jornalista Jamal Khashoggi

O assassinato do jornalista causou uma discussão global, e acabou a manchar a imagem e reputação do príncipe herdeiro. A CIA e alguns governos ocidentais acreditam que o príncipe saudita ordenou o assassinato, embora tal não tenha sido comprovado.

As autoridades sauditas, nomeadamente o promotor público da Arábia Saudita, anunciaram esta segunda-feira o desfecho do processo judicial sobre a assassinato do jornalista Jamal Khashoggi. No total, cinco pessoas foram condenadas à morte e outras três foram condenadas a 24 anos de pena de prisão, sendo que um conselheiro da família real foi investigado mas ilibado.
.
OS VELHACOS ENTENDEM-SE
O ex-editor-chefe da Al-Arab News Channel foi assassinado em outubro de 2018, em Istambul, e agora os alegados responsáveis pela morte foram condenados. residia nos Estados Unidos e era crítico do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, atualmente governando o reino da Arábia Saudita.

O jornalista foi visto pela última vez no consulado da Arábia Saudita, precisamente em Istambul, a 2 de outubro de 2018, de forma a receber os documentos necessários para o seu casamento. O corpo de Khashoggi foi desmembrado e removido do consulado onde se encontrava, sendo que os restos mortais nunca foram encontrados. O jornalista estava acompanhado da sua noiva, a turca Hatice Cengiz, que esperou pelo futuro marido algumas horas, até que este não voltou a aparecer.

O assassinato do jornalista causou uma discussão global, e acabou a manchar a imagem e reputação do príncipe herdeiro. A Agência Central de Inteligência (CIA) e alguns governos ocidentais acreditam que o príncipe saudita ordenou o assassinato, mas as autoridades sauditas afirmam que este não teve nenhuma papel na morte do jornalista. O promotor saudita, ao ler o veredicto no julgamento, disse que o ex-consultor real saudita de alto perfil foi investigado, embora não tenha sido acusado.

* Até parece um julgamento em tribunal plenário português no tempo da ditadura salazarenta.
.
.
Carolina Pinto vs Margarida Andrade

“De mulher para mulher”


The Voice Portugal - Batalhas

.
.
HOJE NO 
"CORREIO DA MANHÃ"
Heróis salvam mulher 
arrastada pelo mar em Cascais

Vítima, de 75 anos, estava caída na areia, “totalmente roxa”.

Estava no miradouro e reparei numa onda grande. E logo a seguir vi três pessoas encharcadas. Desci um pouco e vi logo um ‘corpo’ inerte na areia, de cabeça para baixo. Eu e o Bernardo [Rebelo] despimo-nos e corremos. Virámos o corpo e quando vi a cara da senhora, totalmente roxa, temi o pior. Veio outra onda grande e ainda fomos arrastados, mas conseguimos segurá-la e trazê-la para terra. Depois, foi quase um milagre, ia começar a fazer manobras de reanimação quando ela voltou a respirar e ganhou consciência."
.
O relato é de Filipe Mayer Reis, um designer gráfico que juntamente com outro homem salvou uma mulher de 75 anos que tinha sido arrastada por uma onda, ontem de manhã, no paredão entre as praias da Poça e da Azarujinha, no Estoril, Cascais.

Filipe é nadador-salvador há 17 anos e surfista, fatores que foram fundamentais para o resgate com sucesso. Não quer ser um herói e questiona por que motivo o paredão da marginal de Cascais não tinha sido fechado ao público antes deste acidente quase mortal. "Só depois do salvamento, quando os bombeiros e o INEM saíram do local é que fecharam o paredão", garante ao CM. E diz que a vítima "teve sorte".

"Do paredão ao areal são 2,5 metros de altura. Não sei como não bateu com a cabeça. Podia ter sido muito pior." Nesta ocorrência estiveram 11 operacionais dos bombeiros, INEM e Polícia Marítima. A mulher foi levada ao Hospital de Cascais, onde recebeu os necessários cuidados médicos. Não corre perigo de vida.

* Até que enfim, um português notável que não quer ser condecorado.

.
.
.

Portugal bem português

V-História a História África/5
1- Os cárceres do Império



O moderno colonialismo começa com a corrida pela partilha de África entre os impérios e países coloniais europeus. Proibido o tráfico de escravos, tratava-se de ocupar militar e administrativamente os territórios e de os explorar economicamente em novos moldes. É o início do ciclo africano do Império. 

Com autoria do historiador Fernando Rosas, “História a História” regressa aos ecrãs, desta vez exclusivamente dedicada à história colonial portuguesa em África. “História a História África é uma revisitação do colonialismo moderno português desde finais do séc. XIX até 1975, que contempla as políticas coloniais dos vários regimes deste período – Monarquia Constitucional, República, Estado Novo – das resistências a elas e dos seus desenlaces. 

O programa é baseado numa investigação feita em arquivos documentais e audiovisuais e vem inserir-se no debate em curso sobre as políticas coloniais portuguesas no mundo da sua época”, conta o Prof. Fernando Rosas. Filmada em Angola, Moçambique, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Portugal, “História a História África” começa nas guerras de ocupação e nas “campanhas de pacificação”, no século XIX, e atravessa diversas dimensões da história imperial portuguesa: as políticas coloniais da Primeira República e do Estado Novo; os projetos de povoamento branco; as diferentes formas de exploração da mão-de-obra nativa e as políticas segregacionistas; as atrocidades cometidas pela PIDE nos territórios africanos; a manutenção da escravatura; os massacres não reconhecidos oficialmente; a origem dos movimentos de libertação; as grandes obras do império em Moçambique e Angola; a Guerra Colonial; a organização das lutas armadas; a insurreição dos colonos; o retorno. 

Pela mão do historiador Fernando Rosas visitam-se os espaços mais simbólicos e marcantes da história do antigo Império Português. Uma oportunidade única para ficar a conhecer alguns dos episódios da nossa história comum, como nunca antes foi contada. “História a História: África” é o resultado de dois anos de trabalho de investigação própria, recolha de materiais iconográficos e documentais, escrita dos guiões e gravações em África. 
Ao longo de 13 episódios serão abordados temas inéditos em televisão e mostrados locais de difícil acesso.

Um excelente trabalho de investigação  do Prof. FERNANDO ROSAS e uma extraordinária equipa da RTP para a execução desta série.


* Esta é uma compilação de séries pelo  nosso país não apenas pelas perspectivas histórica ou social mas pela recolha de vídeos interessantes de várias origens, actividades e sensibilidades, com diferentíssimos temas que reflectem o nosso quotidiano de modo plural.
Desejamos muito que seja do vosso agrado.


FONTE: Lusotropical

.. . .
.
𝓒𝓛𝓐𝓢𝓢𝓔 𝓝𝓞 𝓕𝓔𝓜𝓘𝓝𝓘𝓝𝓞
Modelo de lingerie aos 80 anos 
inspira outras idosas a brilhar



FONTE:  afpbr

.
.
MACAU 20 ANOS/1
ANO 2000



𝗡𝗼𝘀 𝟮𝟬 𝗮𝗻𝗼𝘀 𝗱𝗮 𝘁𝗿𝗮𝗻𝘀𝗳𝗲𝗿𝗲̂𝗻𝗰𝗶𝗮, 𝗮 𝗧𝗗𝗠 𝗺𝗼𝘀𝘁𝗿𝗮 𝗼 𝗾𝘂𝗲 𝗺𝗮𝗶𝘀 𝗶𝗺𝗽𝗼𝗿𝘁𝗮𝗻𝘁𝗲 𝗮𝗰𝗼𝗻𝘁𝗲𝗰𝗲𝘂 𝗮𝗼 𝗹𝗼𝗻𝗴𝗼 𝗱𝗲𝘀𝘁𝗮𝘀 𝗱𝘂𝗮𝘀 𝗱𝗲́𝗰𝗮𝗱𝗮𝘀. 𝗘𝗺 𝗰𝗮𝗱𝗮 𝗽𝗿𝗼𝗴𝗿𝗮𝗺𝗮 𝗲́ 𝗿𝗲𝘁𝗿𝗮𝘁𝗮𝗱𝗼 𝘂𝗺 𝗮𝗻𝗼 - 𝗱𝗲 𝟮𝟬𝟬𝟬 𝗮 𝟮𝟬𝟭𝟵 - 𝗮𝘁𝗿𝗮𝘃𝗲́𝘀 𝗱𝗮𝘀 𝗿𝗲𝗽𝗼𝗿𝘁𝗮𝗴𝗲𝗻𝘀 𝗱𝗼 𝗧𝗲𝗹𝗲𝗷𝗼𝗿𝗻𝗮𝗹.

** Aqui todas as segundas às 15 horas


FONTE:  TDM Canal Macau


.
.

𝐀 𝐋𝐄𝐈 𝐂𝐑𝐈𝐒𝐓𝐀𝐒 𝐄𝐒𝐂𝐎𝐑𝐑𝐀𝐂̧𝐀 𝐀 𝐇𝐈𝐒𝐓𝐎́𝐑𝐈𝐀
𝐅𝐄𝐑𝐍𝐀𝐃𝐎 𝐌𝐄𝐃𝐈𝐍𝐀 𝐂𝐎𝐋𝐀𝐁𝐎𝐑𝐀
Reportagem Casa Cid:
Cem anos de história acabam assim



FONTE:  EsquerdaNet


.
.
205-NO GINÁSIO
Bora trincar o abdómen juntos
Treino de 6 minutos!


COM PROFESSORA BIA

UM AVISO SÉRIO:
Quem deseje acompanhar estes exercícios mais exigentes deve ter compleição física adequada, não pretenda ser o Tarzan ou a Jane, não está no cinema.

A Bia ou qualquer pessoa associada ao Home Fit Home não se responsabilizará por lesões ou qualquer dano sofrido após a realização dos treinos exibidos pelo Home Fit Home. Procure assistência médica antes de começar qualquer programa de exercício.



FONTE:  Home Fit Home 

.
.


2193
Senso d'hoje
SIDNEY POSSUELO
ANTROPÓLOGO BRASILEIRO
INDIGENISTA
A terra é o elemento básico
sobre o qual vivemos






FONTE:  EsquerdaNet

.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS







.
.

BOM DIA


.
.


90-CINEMA
FORA "D'ORAS"
𝒱𝐼-Ơ Տҽɠɾҽɗօ ɗҽ Ɓɾօƙҽɓąƈƙ Ɱօʋղƭąíղ



Sιησρѕє:

𝔍𝔞𝔠𝔨 𝔢 𝔈𝔫𝔫𝔦𝔰 𝔠𝔬𝔫𝔥𝔢𝔠𝔢𝔯𝔞𝔪-𝔰𝔢 𝔫𝔬 𝔚𝔶𝔬𝔪𝔦𝔫𝔤, 𝔫𝔬 𝔳𝔢𝔯𝔞̃𝔬 𝔡𝔢 1963, 𝔮𝔲𝔞𝔫𝔡𝔬 𝔣𝔬𝔯𝔞𝔪 𝔱𝔯𝔞𝔟𝔞𝔩𝔥𝔞𝔯 𝔭𝔞𝔯𝔞 𝔲𝔪 𝔯𝔞𝔫𝔠𝔥𝔬 𝔮𝔲𝔢 𝔠𝔯𝔦𝔞𝔳𝔞 𝔬𝔳𝔢𝔩𝔥𝔞𝔰

𝔑𝔞𝔮𝔲𝔢𝔩𝔢 𝔞𝔪𝔟𝔦𝔢𝔫𝔱𝔢 𝔰𝔬𝔩𝔦𝔱𝔞𝔯𝔦𝔬 𝔡𝔞𝔰 𝔪𝔬𝔫𝔱𝔞𝔫𝔥𝔞𝔰, 𝔢𝔩𝔢𝔰 𝔞𝔠𝔞𝔟𝔞𝔪 𝔭𝔬𝔯 𝔱𝔢𝔯 𝔲𝔪 𝔯𝔞́𝔭𝔦𝔡𝔬 𝔠𝔬𝔫𝔱𝔞𝔠𝔱𝔬 𝔰𝔢𝔵𝔲𝔞𝔩.

𝔔𝔲𝔞𝔫𝔡𝔬 𝔬 𝔱𝔯𝔞𝔟𝔞𝔩𝔥𝔬 𝔫𝔬 𝔯𝔞𝔫𝔠𝔥𝔬 𝔞𝔠𝔞𝔟𝔞, 𝔠𝔞𝔡𝔞 𝔲𝔪 𝔰𝔢𝔤𝔲𝔢 𝔬 𝔰𝔢𝔲 𝔠𝔞𝔪𝔦𝔫𝔥𝔬.

𝔈𝔩𝔢𝔰 𝔠𝔞𝔰𝔞𝔪 𝔢 𝔳𝔦𝔳𝔢𝔪 𝔠𝔬𝔪 𝔞𝔰 𝔰𝔲𝔞𝔰 𝔯𝔢𝔰𝔭𝔢𝔠𝔱𝔦𝔳𝔞𝔰 𝔢𝔰𝔭𝔬𝔰𝔞𝔰. 
𝔇𝔲𝔯𝔞𝔫𝔱𝔢 𝔪𝔲𝔦𝔱𝔬𝔰 𝔞𝔫𝔬𝔰 𝔫𝔞̃𝔬 𝔰𝔢 𝔳𝔢̂𝔪 𝔞𝔱𝔢́ 𝔮𝔲𝔢 𝔲𝔪 𝔡𝔦𝔞 𝔠𝔬𝔪𝔢𝔠̧𝔞𝔪 𝔞 𝔪𝔞𝔯𝔠𝔞𝔯 𝔢𝔫𝔠𝔬𝔫𝔱𝔯𝔬𝔰 𝔢𝔰𝔭𝔬𝔯𝔞́𝔡𝔦𝔠𝔬𝔰, 𝔢 𝔪𝔞𝔫𝔱𝔢̂𝔪 𝔲𝔪 𝔠𝔞𝔰𝔬 𝔞𝔪𝔬𝔯𝔬𝔰𝔬 𝔡𝔲𝔯𝔞𝔫𝔱𝔢 20 𝔞𝔫𝔬𝔰.


ҼƖҽղƈօ: 

ℌ𝔢𝔞𝔱𝔥 𝔏𝔢𝔡𝔤𝔢𝔯 𝔠𝔬𝔪𝔬 𝔈𝔫𝔫𝔦𝔰 𝔇𝔢𝔩 𝔐𝔞𝔯
𝔍𝔞𝔨𝔢 𝔊𝔶𝔩𝔩𝔢𝔫𝔥𝔞𝔞𝔩 𝔠𝔬𝔪𝔬 𝔍𝔞𝔠𝔨 𝔗𝔴𝔦𝔰𝔱
ᾋ𝔫𝔫𝔢 ℌ𝔞𝔱𝔥𝔞𝔴𝔞𝔶 𝔠𝔬𝔪𝔬 𝔏𝔲𝔯𝔯𝔢𝔫 𝔑𝔢𝔴𝔰𝔬𝔪𝔢 𝔗𝔴𝔦𝔰𝔱
𝔐𝔦𝔠𝔥𝔢𝔩𝔩𝔢 𝔚𝔦𝔩𝔩𝔦𝔞𝔪𝔰 𝔠𝔬𝔪𝔬 𝔄𝔩𝔪𝔞 𝔅𝔢𝔢𝔯𝔰 𝔇𝔢𝔩 𝔐𝔞𝔯
𝔄𝔫𝔫𝔞 𝔉𝔞𝔯𝔦𝔰 𝔠𝔬𝔪𝔬 𝔏𝔞𝔰𝔥𝔞𝔴𝔫 𝔐𝔞𝔩𝔬𝔫𝔢
𝔏𝔦𝔫𝔡𝔞 ℭ𝔞𝔯𝔡𝔢𝔩𝔩𝔦𝔫𝔦 𝔠𝔬𝔪𝔬 ℭ𝔞𝔰𝔰𝔦𝔢 ℭ𝔞𝔯𝔱𝔴𝔯𝔦𝔤𝔥𝔱

ℜ𝔞𝔫𝔡𝔶 𝔔𝔲𝔞𝔦𝔡 𝔠𝔬𝔪𝔬 𝔍𝔬𝔢 𝔄𝔤𝔲𝔦𝔯𝔯𝔢

𝔎𝔞𝔱𝔢 𝔐𝔞𝔯𝔞 𝔠𝔬𝔪𝔬 𝔄𝔩𝔪𝔞 𝔍𝔯. (𝔞𝔬𝔰 19)


FONTE: BomBa Filmes