31/07/2018

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
49-ARTE ARRISCADA

VIOOL IN DE NACHT

Interpretação de:
Anatole Babenko

Realização de:
Altin Kaftira

Coreografia:
Toer van Schayk





FONTE:   altin


.
.

GRANDES LIVROS/51

AUTORES DO MUNDO

3- O LIVRO PERDIDO


de Nostradamus



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
-

4-OS SAMURAIS



UMA EXCELENTE SÉRIE DO CANAL HISTÓRIA 

Os Samurais existiram por quase 8 séculos (do VIII ao XV), ocupando o mais alto status social porquanto existiu o governo militar nipônico denominado xogunato. Pessoas treinadas desde pequenos para seguir o Bushido, o caminho do guerreiro. O samurai era uma pessoa muito orgulhosa, tanto que se seu nome fosse desonrado ele executaria o seppuku, pois em seu código de ética era preferível morrer com honra a viver sem a mesma. Seppuku, suicídio honrado de um samurai em que usa uma tanto (faca) e com ela enfia no estômago e puxa-a para cima eviscerando-o. Uma morte dolorosa e orgulhosa. Inicialmente, os samurais eram apenas coletores de impostos e servidores civis do império. Era preciso homens fortes e qualificados para estabelecer a ordem e muitas vezes ir contra a vontade dos camponeses. Posteriormente, por volta do século X, foi oficializado o termo "samurai", e este ganhou uma série de novas funções, como a militar. Nessa época, qualquer cidadão podia tornar-se um samurai, bastando para isso adestrar-se no Kobudo (artes marciais samurais), manter uma reputação e ser habilidoso o suficiente para ser contratado por um senhor feudal. Assim foi até o xogunato dos Tokugawa, iniciado em 1603, quando a classe dos samurais passou a ser uma casta. Assim, o título de "samurai" começou a ser passado de pai para filho. O samurai mais famoso de todos os tempos foi Miyamoto Musashi (1584—1645), um guerreiro que veio do campo, participou da batalha de Sekigahara e iniciou um longo caminho de aperfeiçoamento. Ele derrotou os Yoshioka em Edo (atual Tóquio) e venceu o grande Sasaki Kojirō, outro grande samurai. Pelo fim da era Tokugawa, os samurais eram burocratas aristocráticos ao serviço dos daimiô, com as suas espadas servindo para fins cerimoniais. Com as reformas da era Meiji, no final do século XIX, a classe dos samurais foi abolida e foi estabelecido um exército nacional ao estilo ocidental. O rígido código samurai, chamado bushido, ainda sobrevive, no entanto, na atual sociedade japonesa, tal como muitos outros aspectos do seu modo de vida. Os Samurais, como classe social, deixaram de existir em 1868, com a restauração Meiji, quando o imperador do Japão retomou o poder do país. Seu legado continua até nossos dias, influenciando não apenas a sociedade japonesa, mas também o ocidente. 


WIKIPEDIA

.
.
VI-EXPEDIÇÃO AVENTURA

5- AFRICA ANIMAL
2- DENTES CORTANTES


COM RICHARD RASMUSSEN

As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.

ADRIANO MOREIRA

.







Mandela e a igual 
dignidade dos homens

Quando falamos de "santidade", no âmbito de uma tradição religiosa, temos a tendência para consagrar o sentido da palavra ao conjunto daqueles que reconhecidamente, pelas instâncias competentes, se dedicaram "exclusivamente à oração", tendo um comportamento de autenticidade da relação dela com a intervenção no mundo em que lhes aconteceu viver.

De facto, aquilo que reconhecidamente necessitamos hoje, perante a falta de governança do que chamamos globalismo, e do encontro inevitável de todas a etnias, culturas, crenças, e falta destas, é que tal virtude, no dizer do Dalai Lama, é mais necessária do que apenas a prática reconhecida pelas "religiões tradicionais". Para tentar manter o tema com uma dimensão que ultrapassa o âmbito da doutrina e da ação católica, começarei por recordar palavras do lembrado Dalai Lama, que me levaram a juntar os nomes de Mandela, do Mahatma Gandhi, e em nossos dias mais recentes, de Luther King, o último assassinado ao pregar o seu - I Have a dream, o penúltimo assassinado quando e porque pregava a união da igualdade entre hindus e muçulmanos na Grande Índia, e Mandela dando o exemplo de pregar e praticar a igual dignidade dos homens, com o perdão intimo de todas as amarguras que sofrera pela vigência do regime que se chamou apartheid na África do Sul.

Serão certamente inspiradoras de meditação estas palavras de Dalai Lama, que há anos tive a honra de apresentar no auditório da Reitoria da Universidade de Lisboa, e que retiro da entrevista que concedeu a Franz Alt, publicada com o título "Um Apelo ao Mundo" (20-20 Editora, 2018) e que são os seguintes: "O Mahatma Gandhi era um homem profundamente religioso, mas também tinha uma mente secular. Nas suas sessões diárias de oração liam-se e cantavam-se textos de todas as grandes religiões e fontes de saber. Gandhi era um grande amigo de Jesus e do pacifismo que revelou no Sermão da Montanha.

É o meu modelo porque incorporou essencialmente a tolerância religiosa. Esta tolerância possui raízes ancestrais na Índia. A Índia alberga hindus, muçulmanos, cristãos, sikhs, jainistas, budistas, zoroastrianos, agnósticos, e ateus, e vivem juntos pacificamente - com poucas exceções". É por isso que não são inoportunas, estas palavras do Francisco, Bispo de Roma, recolhidas por Paulo Neves da Silva (Papa Francisco, Frases e Reflexões, 20/20 Editora, Lisboa, 2017): "Não são as coisas exteriores que nos fazem santos ou não santos, mas é o coração que expressa as nossas intenções, as nossas escolhas, as atitudes exteriores são a consequência do que decidimos no coração, mas não o contrário... A fronteira entre o bem e o mal não passa fora de nós, mas sim, dentro de nós".

Não obstante tal doutrina ter herdado o legado da chamada Doutrina Ibérica da Paz, resultante do ensino das Universidades de Coimbra, de Évora, de Salamanca, o contexto das etnias e culturas diferentes produziu uma teoria de mitos raciais, que na expressão mais severa foi a escravatura, praticada por europeus, africanos, orientais, este ajudando a construir, sob a direção dos Brancos, o que são hoje os EUA, que se povoaram de emigrantes europeus depois de extinguirem os nativos em que avultava a grande Nação dos Iroqueses, e a escravatura que exigiu uma guerra civil para ser extinta, e mais tempo para terminar com a descriminação de que foi vitima o também santo Luther King. Tais mitos raciais, têm relevo nas memórias dos vivos pelo exercício brutal do nazismo, que tornou esdruxula a tradição antiga da própria Europa, mas sobretudo na África e, nesta, pelo regime do Apartheid que Mandela teve de enfrentar.

A superioridade que os brancos se atribuíam tem não apenas, neste caso, motivações económicas, mas é menos explicável que os atingidos pelos mitos de superioridade branca tenham em muitas regiões considerado que tal cor era preferível à sua.

Recentemente, Martin Jacques, "visiting fellow at the London School of Economics", dedicou parte das suas longas investigações à busca das razões pelas quais as tendências ocidentais da moda, do vestuário, da estética feminina, sejam facilmente adotadas pelas regiões que foram colonizadas pelos ocidentais, procurando aproximar a cor das peles diversas, das técnicas embelezadoras das mulheres brancas (Martin Jacques, Quando a China Mandar no Mundo, Circulo de Leitores, Lisboa, 2012).

Trata-se de um escritor que evidentemente não dá apoio a nenhum mito racial, mas este tema passou a ter interesse quando os europeus tendem para ser uma minoria nesta "terra casa comum dos homens" se a demografia continuar no sentido atual. É destes homens, aos quais atribuo santidade, a que também me parece existir nos lideres europeus que procuraram, depois de viver a guerra de 1939-1945, organizar a Europa e o Ocidente sob o sonho de "nunca mais". E foi esse sonho de "nunca mais" que marcou a intervenção de Mandela no mundo em que lhe aconteceu viver.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
30/07/18

.
.


1623.UNIÃO



EUROPEIA



.
192-BEBERICANDO


COMO FAZER
"RUIVA RUSSA"

.
.
.
31-O SEGREDO DOS DEUSES



A Mutilação ordenada pelo Bispo Macedo/2


* Extraordinária série informativa "O Segredo dos Deuses",  grande reportagem da Investigação TVI, levada a cabo por Judite França e Alexandra Borges.

* A grande reportagem irá certamente ter novos desenvolvimentos, este é o último vídeo da presente série.


.
.

Elida Almeida

Forti Dor


.
.
.

XIII-TABU


E.U.A.


4.VIDAS SECRETAS




* Nesta nova época de "bloguices" que vai de Setembro/17 a Julho/18, iremos reeditar algumas séries que de forma especial sensibilizaram os nossos visitadores alguns anos atrás, esta é uma delas. É natural que dada a extensão de algumas séries as mesmas se prolonguem por mais meses do ano corrente.

** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

. .
.
OS BELGAS...
Inspetores proíbem observar nus



FONTE: TVI24

.
.
BELGRADO
Entre a boémia e a história




FONTE: euronews

.
.
LISBOA
1947


FONTE: tavares1896

.
.

O INFERNO

É muito mais fácil lutar por princípios, do que praticá-los depois.
(Sigmund  FREUD)


O Inferno, explicado por um estudante de Engenharia:


O que se segue é (alegadamente) uma pergunta que saiu num exame de um curso de Engenharia numa universidade americana. A resposta de certo estudante foi tão criativa que o professor a partilhou por e-mail com vários colegas.


-- Pergunta: O Inferno é exotérmico (liberta calor) ou endotérmico (absorve calor)?

A maioria dos alunos respondeu baseando as suas opiniões na lei de Boyle (o gás arrefece quando se expande e aquece quando é comprimido), ou nalguma variante disso. 

Houve um aluno que, no entanto, deu a resposta que se segue:

"Primeiro, precisamos de saber como a massa do Inferno está a variar com o tempo. Portanto, precisamos de saber a taxa a que as almas se estão a mover para o Inferno e a taxa a que o estão a deixar. Acho que podemos assumir seguramente que uma vez que uma alma entra no Inferno ela nunca mais de lá sai. Portanto, não há almas a sair. Para verificarmos qual a quantidade de almas que entram no Inferno, vamos olhar para as diferentes religiões que existem no mundo actual. A maioria dessas religiões afirma que quem não é membro dessa religião vai para o Inferno. Como há mais do que uma dessas religiões, e como as pessoas não pertencem a mais do que uma religião, podemos prever que todas as almas vão para o Inferno. Com as taxas de natalidade e mortalidade actuais, podemos esperar que o número de almas no Inferno aumente exponencialmente.
.
Agora, vamos olhar para a taxa de variação de volume do Inferno, porque a lei de Boyle afirma que, para que a temperatura e a pressão no Inferno se mantenham constantes, o volume do Inferno tem de se expandir proporcionalmente à medida que são adicionadas mais almas. Isto abre duas possibilidades:


1. Se o Inferno se expandir a uma taxa inferior à da taxa a que as almas entram, então a temperatura e a pressão no Inferno vão aumentar até ele explodir.

2. Se o Inferno se expandir a uma taxa superior à do aumento de almas no Inferno, então a temperatura e a pressão irão baixar até que o Inferno congele.

Então, qual das hipóteses é a correcta?


Se aceitarmos a afirmação da Mary no meu ano de caloiro de que “o Inferno vai congelar antes de eu ir para a cama contigo”, e tendo em conta o facto de que eu dormi com ela a noite passada, então a hipótese número 2 deve ser a verdadeira, e portanto tenho a certeza de que o Inferno é exotérmico e já congelou.


O corolário desta teoria é que, uma vez que o Inferno congelou, então já não aceita mais nenhuma alma e está, portanto, extinto, passando a existir apenas o Céu e provando assim a existência de um ser divino, o que explica porque é que ontem à noite a Mary gritava “Oh, meu Deus! Oh, meu Deus!”


Dizem que este estudante teve a única nota máxima!



 .

Obrigado ROBERTO pelo envio


.
.

1687
Senso d'hoje
LUÍS PEDRO NUNES
CLARA FERREIRA ALVES
PEDRO MARQUES LOPES
DANIEL OLIVEIRA
ANALISTAS POLÍTICOS
PROGRAMA "EIXO DO MAL"
"RICARDO ROBLES,
especulador imobilário?"



FONTE: SIC NOTÍCIAS


.
.

O BANHO DO PANDA


.
.

BOM DIA


.
.


69-CINEMA
FORA "D'ORAS"
IV-O IMPÉRIO DOS
SENTIDOS



(IMAGENS DE SEXO EXPLÍCITO)


SINOPSE
Do cineasta japonês Nagisa Oshima, O Império dos Sentidos é um dos mais controversos filmes da história do cinema, que esteve proibido em vários países. 

Sada (Eiko Matsuda), uma antiga geisha, envolve-se numa relação amorosa com o seu atual patrão Kichizo. A sua paixão depressa se transforma numa extrema obsessão pelo prazer onde não existem limites para alcançar o êxtase. Num gesto último de posse absoluta, Sado estrangula e castra o seu amante. 

Do cineasta japonês Nagisa Oshima (1932-2013), Império dos Sentidos é um dos mais controversos filmes da história do cinema, que esteve proibido em vários países. Com um forte conteúdo sexual, o filme é baseado numa história verídica, ocorrida no Japão antes da Segunda Guerra Mundial, de um amor obsessivo e fatal. Nagisa Oshima assinou o seu primeiro filme em 1959, quando Mizoguchi já tinha falecido e Ozu estava quase a chegar ao fim da sua carreira. 

O seu cinema, que em pouco tempo passou para o seu direto controlo em termos de produção, marca o surgimento de uma nova geração no cinema nipónico, com uma visão muito mais agressiva, irónica e desmistificadora da realidade, de que ele é um dos mais notáveis representantes. 

Antes de O Império dos Sentidos, que data de 1976, Oshima já tinha assinado 22 filmes dos quais muito poucos eram conhecidos no Ocidente. A polémica e o escândalo que o filme provocou, acabaram por criar primeiro curiosidade e depois surpresa pela sua fascinante e importante obra. O Império dos Sentidos é uma história de amor e morte, entre um homem e uma mulher no Japão dos anos trinta, vagamente inspirada em factos reais. 

Porém, Oshima rompe, com delirante ousadia, as fronteiras da mera história de "amor louco" e transforma um caso de "amantes malditos" num prodigioso filme de sexo, erotismo, desejo, prazer, sangue, sofrimento e morte, que andam sempre associados às grandes histórias de amor.


* Não encontrámos versão deste filme legendado ou dobrado em língua portuguesa

.

30/07/2018

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.


54-SUBTILEZAS
Distorções cognitivas



RESUMO ANIMADO


FONTE:   Minutos Psíquicos

..

.

4-ENGENHO


COREOGRAFIA DE

Felix Rucket




O Balé Teatro Castro Alves é a companhia de dança oficial da Bahia, criada em 1º de abril de 1981, pelo Governo do Estado e mantida pela Fundação Cultural - unidade da Secretaria de Cultura. Desde a sua criação, a companhia assumiu o perfil de dança contemporânea, apresentando coreógrafos como Victor Navarro, Lia Robatto, Antonio Carlos Cardoso, Carlos Moraes, Luis Arrieta, Oscar Arraiz, Guilherme Botelho, Tíndaro Silvano, Mario Nascimento, Ismael Ivo, Henrique Rodovalho e Claudio Bernardo, entre outros. Hoje, o BTCA conta com mais de 50 montagens em seu repertório, sendo uma presença destacada no cenário da dança nacional e internacional. A direção artística é de Antrifo Sanches.


 FONTE: Balé Teatro Castro Alves

.
.

MINUTOS DE
CIÊNCIA/191

Geometria Plana, Perímetro,
Área, Percentagem, Decimais
e Frações Equivalentes

FONTE: MATEMÁTICA RIO

.
.
XXIV- MEGA MÁQUINAS

1-KAWASAKI
PAIXÃO SOBRE RODAS



*Interessante série reveladora da quase perfeição mecânica, notável produção do Discovery Turbo.

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

..

ÂNGELA MARQUES

.






A falta que a Internet faz

"A meio da conversa, e ainda que a partir de diferentes latitudes, atropelámo-nos para dizer o mesmo: aqueles três dias estavam a saber a seis. "É que quase não tenho wi-fi", ouvi. "Eu praticamente não tenho rede", respondi."

A casa tinha um quintal do tipo "eu desisto", uma sala com tecto de telhas mais velhas do que o sol e dois quartos com cara de casulo. Quando as seis da tarde de domingo chegaram a casa à boleia de um passeio pela costa, o galo (também havia um galo) cantou: era hora da sesta. Com as tradições alentejanas debaixo de olho, decidi que ia dormir até entediar o corpo. Entediado, ele então haveria de cutucar o estômago para o jantar. Recolhi.

Já tricotava lã de mil carneiros quando o telemóvel tocou. Tocou alto, tocou forte, tocou escondido mas tocou certo - eram notícias de longe. Enquanto fazia o caminho entre a cama e o sofá onde o diabo tinha ficado esquecido, pensei que já mal me lembrava daquele toque. Naqueles dias, o que eu mais tinha exigido do meu telemóvel tinha sido que tirasse boas fotografias. Cumprindo, ele tornara-se invisível.

Lancei-me para o apanhar antes que se calasse, escolhendo ignorar que todas as chamadas podem ser devolvidas. Atendi a tempo (e com isso nada ganhei, se descontarmos a vitória num desafio auto-imposto). Do lado de lá, as notícias vinham como vêm quando são boas, aos pulos, e a conversa despertou-me. Eram histórias de dias fáceis e de noites sem fim nem frio nem futuro. Eram histórias de um refém da felicidade a viver o síndrome de Estocolmo com tudo aquilo a que tinha direito.

A meio da conversa, e ainda que a partir de diferentes latitudes, atropelámo-nos para dizer o mesmo: aqueles três dias estavam a saber a seis. "É que quase não tenho wi-fi", ouvi. "Eu praticamente não tenho rede", respondi. Então concordámos em concordar: estávamos a precisar de desligar. Em paz, desligámos.

Quando nos voltarmos a ver - no meio da guerra, na nossa relação Bluetooth -, já teremos toda a rede do mundo. Claro, o tempo passará a correr - que fazer? Para brindarmos ao tempo em que três dias eram seis, vou mostrar-lhe este texto. Para isso só tenho de descobrir se este hotel em que me encontro agora - sem quintal, telhas, casulos ou galos - ao menos tem wi-fi.

IN "SÁBADO"
27/07718

.
.


1622.UNIÃO



EUROPEIA



.
Os Grandes Egípcios

O Mistério de Tutankamon/2


Fonte: Documentários Discovery Channel

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
IV-A Casa e a Cidade
1. A invenção da cidade



Estando, todos nós, mergulhados em arquitetura (boa ou má, não há construção que não tenha a sua arquitetura); sendo a arquitetura uma das disciplinas em que os portugueses mais têm marcado pontos internacionalmente; sendo a arquitetura uma das atividades que mais polémica gera no espaço público é particularmente relevante a produção da série A CASA E A CIDADE. Uma encomenda da RTP2, com a Parceria da Ordem dos Arquitetos, à Produtora Pop Filmes. Em seis episódios, de 30 minutos cada um, são tratados seis temas nevrálgicos que explicam, de forma simples e direta, as implicações da arquitetura nas nossas vidas e as implicações dos nossos valores e comportamentos na arquitetura. A partir de uma ideia original da Professora de Arquitetura Ana Tostões e com o acompanhamento científico dos arquitetos Ricardo Carvalho e Nuno Grande, que desenharam os guiões e escolheram o elenco de entrevistados, Graça Castanheira realiza uma série inteligente e inteligível, elegante e pedagógica.

* Estranhamente não existe nas fontes onde recolhemos a informação que vos apresentamos o vídeo do episódio nº3, iremos envidar esforços para o encontrar


FONTE:  Reabi(li)tar
Publicado a 25/11/2013 no "youtube"

NR:  Para mais fácil visionamento decidiu a redacção do blogue dividir cada episódio em duas partes.

.
.
.

AMMAR 808


.
.
.

Portugal bem português

III-Regresso ao Mar/5
2-A Pesca Longínqua e
a Indústria do Bacalhau



* Esta é uma compilação de séries pelo  nosso país não apenas pelas prespectivas histórica ou social mas pela recolha de vídeos interessantes de várias origens, actividades e sensibilidades, com diferentíssimos temas que reflectem o nosso quotidiano de modo plural.
Desejamos muito que seja do vosso agrado.


FONTE: Fórum Oceano

.. . .
.

Palestiniana que agrediu soldados 
israelitas deixa a prisão




FONTE:  afpbr

.
.

Como o adolescente mais gordo
do mundo conseguiu perder 
um terço de seu peso 




FONTE:  BBC News Brasil

.
.
Redes de pesca fantasmas
 devastam oceanos



FONTE:   ONU Brasil

.
.
136-NO GINÁSIO
[Exercícios de Baixo Impacto]   
Emagrecer e Tonificar o Corpo/2



COM PROFESSOR DJAN ANDRADE

* Importante é não parar. Dividimos estes 20 minutos de cultura física em 2 partes por considerarmos  uma "dose" adequada para quem não tem muito fôlego. Claro que o professor Djan Andrade teve o máximo cuidado no vídeo que elaborou. Se ao fim dos 2 episódios achar que tem forças para o exercício completo vá em frente.


* Estas excelentes aulas de educação física fazem a partir de hoje um intervalo até ao início de Setembro

FONTE: EXERCÍCIO EM CASA

.
.

1686
Senso d'hoje
HUGO RODRIGUES
MÉDICO PEDIATRA
"Até ao um ano de idade
é profundamente errado
dar doces às crianças"



FONTE:   TVI - programa "A TARDE É SUA"

.
.
Pteropus


Os maiores morcegos do mundo

.