07/11/2019

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.


258-ACIDEZ
FEMININA


ENGRAVIDOU
E MUDOU de IDEIA

#TatyResolve


A IMPRESCÍNDIVEL TATY FERREIRA

* Uma produção "ACIDEZ FEMININA" - BRASIL

.
.
IMPRUDÊNCIA




FONTE:  AeroJoinville

.
.
HOJE  NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"
Candidatos ao PSD entre "vigarice", "desgraça" e "Star Wars"

Os candidatos à liderança do PSD envolveram-se esta quinta-feira numa animada troca de acusações. Para Rui Rio, que tinha prometido lutar contra "as vigarices" nas eleições diretas, Luís Montenegro vaticinou resultados medíocres e falou de "desgraça" interna. Miguel Pinto Luz lamentou o teor da discussão dos adversários pelo "debate Star Wars" sobre a origem da força.

Tudo começou com as declarações de quarta-feira do presidente do PSD e recandidato ao cargo, Rui Rio. No Parlamento, referiu-se ao "slogan" da candidatura de Luís Montenegro: "há quem diga que a força vem de dentro, a minha força vem de fora, dos portugueses".
 .
Esta quinta-feira, Montenegro respondeu via Facebook. "Acredito na força que os portugueses têm dentro de si e que o nosso país tem como um todo. A força que os portugueses deram a Rui Rio foi 21 e 27%. Uma das explicações desta desgraça é ele não perceber que só um PSD forte por dentro é confiável lá fora", escreveu o ex-líder parlamentar. E "quem não respeita nem aproveita a força dos militantes, dos deputados, dos dirigentes e dos autarcas está condenado a resultados medíocres", acrescentou.

Já Pinto Luz comparou a discussão sobre a "origem da força do PSD" entre aqueles dois adversários à Guerra das Estrelas, numa publicação também via Facebook, ilustrada com a imagem do "mestre Yoda", personagem do filme.

"Mais do que divagar sobre a origem da nossa força, estou determinado em unir e liderar um partido que dê mais força aos portugueses", afirmou. Referiu ainda que António Costa deve "adorar assistir ao debate 'Star Wars' que se instalou no PSD" e apelou à união para "não dividir mais" o PSD.

Pelo meio, Rui Rio voltou a falar e disse esperar que a campanha interna decorra "com respeito mútuo, sem vigarices".

No final da reunião da bancada parlamentar do PSD, que também lidera, foi questionado sobre se espera que a apresentação formal da candidatura de Luís Montenegro, domingo, aumente a dinâmica da campanha. "A partir do Conselho Nacional, faz sentido que cada um dos candidatos a líder aperte um bocado mais a sua atividade. Espero que haja respeito mútuo, que não haja as tais vigarices de que falam, que seja tudo claro e depois um ganha e dois perdem", resumiu.

* Ódio laranja é venenoso.

.
.
Astronomia
Uma visão Geral

Classificação Espectral
A temperatura das estrelas/1



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

 .
.
HOJE  NO 
"O JORNAL ECONÓMICO"
Ricardo Salgado e Manuel Pinho
 vão ser acusados de mais crimes 
no processo EDP

O Ministério Público tem suspeitas de que o patrão do Banco Espírito Santo (BES) dava ordens ao antigo ministro da Economia de José Sócrates nos projetos de Potencial Interesse Nacional (PIN).

Ricardo Salgado e Manuel Pinho vão ser acusados de mais crimes no âmbito do processo EDP. Em causa estão suspeitas do Ministério Público (MP) de diversos crimes de corrupção ativa e passiva e participação económica no negócio, segundo avança a edição do “Correio da Manhã” desta quinta-feira, 7 de novembro.
.
Os projetos de Potencial Interesse Nacional (PIN) criados pelo antigo ministro da Economia de José Sócrates, em 2005 e vendidos como uma “via verde” para o investimento, foram pedidos e analisados ao detalhe pelos procuradores do MP, que apurou que os mesmos serviam diretamente os interesses do Grupo Espírito Santo (GES), numa lógica de subordinação hierárquica de Manuel Pinho a Ricardo Salgado, tendo como justificação a contrapartida de 15 mil euros mensais pagos pelos BES ao então ministro da Economia em funções.

De acordo com o “Correio da Manhã” antes de qualquer decisão relativa aos PIN, Manuel Pinho reunia-se com Ricardo Salgado, dando como exemplos os casos da Herdade do Pinheirinho e da Comporta, no concelho de Grândola, e aos quais foram atribuídos o estatuto de Potencial Interesse Nacional.

No caso da Herdade do Pinheirinho, o BES iria financiar com 200 milhões de euros a promotora Pelicano. Já no que diz respeito à Comporta, tratava-se de uma propriedade da própria família Espírito Santo.

* Gente séria a ser enxovalhada desta maneira, o destino dos pobres é aceitar as decisões dos ricos.

.
.
LXXII-Cidades e soluções

Saiba como produzir energia solar e eólica
para ser consumida na própria casa/2




FONTE:   andryoamorim

.
.
HOJE  NO 
"AÇORIANO ORIENTAL"
AIPA organiza festival para “valorizar
 a diversidade cultural”

A Associação dos Imigrantes nos Açores (AIPA) organiza na sexta-feira e no sábado, em Ponta Delgada, o festival "O Mundo Aqui", que tem o objetivo de "valorizar a diversidade cultural" existente na região.
.
"Esta é décima primeira edição do festival, que visa valorizar a diversidade cultural que existe nos Açores, fruto da existência de cidadãos emigrantes de 96 países diferentes. O que pretendemos é evidenciar essa diversidade cultural", disse à Lusa o vice-presidente da direção da AIPA e responsável pela organização do festival, Leoter Viegas.

O evento irá decorrer no Pavilhão do Mar, em Ponta Delgada, e irá abranger as áreas da culinária, música, dança e teatro.

"Teremos a vertente da culinária, paladares do mundo, com a participação de países como Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Paquistão. Vamos ter vertente de música com quatro bandas convidadas e 'workshop' de Kora (instrumento da Gâmbia). Vamos ter ainda 'workshops' de kizomba e semba, duas danças com origem em Angola e Brasil", assinalou Leoter Viegas, destacando, também, a sessão de teatro a cargo do grupo de teatro Oprimidos de Lisboa, que abordará as "temáticas das migrações, racismo, discriminação e igualdade de género".

O festival irá apresentar três exposições: uma de artesanato do mundo com obras de vários imigrantes; outra, em parceria com a Cáritas, intitulada "migrações e desenvolvimento"; e uma da autoria de um artista russo residente em Ponta Delgada, Maxim Pavlov.

"Para quem gosta de festa, quem gosta de diversidade e comunga do espírito da integração e acolhimento dos emigrantes e de vivências da diversidade, o festival 'O Mundo Aqui' é o festival ideal para as pessoas frequentarem", aponta o organizador.

A entrada no festival terá o custo de dois euros, valor que reverterá a favor da AIPA.

* Que seja uma festa portuguesa

.

MÁRIO RAMIRES

.





A Justiça, aqui entre nós
e quem quiser que oiça

José Sócrates foi ouvido por Ivo Rosa, esta semana, no âmbito da instrução do ‘processo Marquês’

António Ventinhas, magistrado do Ministério Público e dirigente máximo do Sindicato dos Magistrados do MP, veio publicamente denunciar que «há interferências superiores» nos processos mais mediáticos e ‘instruções’ das hierarquias aos magistrados do Ministério Público para que não peçam a absolvição dos arguidos, mesmo quando considerem que a prova produzida em julgamento foi manifestamente insuficiente. Em declarações à TSF, Ventinhas adiantou que essas ‘orientações superiores’ têm por base um acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, a fazer jurisprudência, segundo o qual o MP não pode recorrer para instâncias superiores caso se tenha pronunciado a favor da absolvição do arguido nas suas alegações finais em primeira instância.
Volta a ouvir-se e não se acredita!

Então o Ministério Público, defensor primeiro do princípio da legalidade e dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, constitucionalmente protegidos, faz tábua rasa dos mais elementares pilares da Justiça e do estado de direito democrático?

Para o Ministério Público, afinal, deixaram de valer os princípios basilares  do in dubio pro reo, da presunção de inocência e da não perseguição ou condenação sem provas irrefutáveis e legalmente obtidas?

Onde está, então, o estado de direito? E o princípio da legalidade? E a Constituição?

Independentemente da resposta da procuradora-geral da República, que se impunha e estranhamente ainda inexiste, a verdade é que o magistrado do MP disse o que disse.

As declarações de António Ventinhas coincidiram no tempo com o início do interrogatório de José Sócrates no âmbito da instrução do processo conhecido como ‘Operação Marquês’.

Inocente não foi com toda a certeza.

Sobretudo quando, em matéria de ‘Operação Marquês’, o que mais se tem discutido é se existem ou não provas bastantes para levar a julgamento o ex-primeiro-ministro pela prática de crimes de corrupção ou apenas pelos crimes de evasão fiscal e branqueamento de capitais.

Pelo que agora veio dizer Ventinhas, a equipa liderada pelo procurador Rosário Teixeira, mesmo que não tivesse a convicção de ter provas suficientes para acusar Sócrates por corrupção, teria sempre deduzido essa acusação contra ele?

O problema é que a convicção, para o ordenamento jurídico-penal português, não chega.
São precisas provas. E provas legalmente obtidas e produzidas em sede judicial.

Se Ivo Rosa já tinha uma ‘batata muito quente’ nas mãos, as declarações de Ventinhas vieram atiçar ainda mais o lume.

E a fogueira já vai tão alta que provavelmente vão sair todos muito chamuscados, se não queimados.

Respeitar a separação de poderes que caracteriza um estado de direito democrático não quer dizer que o poder político não tenha de atuar perante a Justiça e vice-versa.

O poder político pode e deve intervir para que a Justiça tenha meios de atuar com eficácia e seja efetivamente exercida em qualquer caso, seja quem for o visado.

Por outro lado, a Justiça tem de ser cega para ser justa. Não pode olhar a quem, seja no sentido que for e muito menos para não ‘incomodar’ quem quer que seja.

E quando assim não é, deve o poder político intervir, mas no sentido de evitar o condicionamento dos Tribunais e dos seus agentes, desde aqueles a quem cabe a livre e autónoma administração da Justiça àqueles a quem incumbe defender o respeito pela legalidade e pelos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos – sendo que estes são todos iguais aos olhos vendados da Justiça.

O que é totalmente errado é uma imiscuir-se na outra sem razão legal ou tão só promiscuírem-se.

Correu tinta no mundo inteiro a passagem de Sérgio Moro da magistratura para a política, com a aceitação do convite do Presidente Bolsonaro para integrar o seu Governo.

Portugal não é o Brasil, nem Francisca Van Dunem, Mário Morgado ou Antero Luís estão para a magistratura portuguesa como Carlos Alexandre, Ivo Rosa ou Rosário Teixeira.

Mas uns são tão magistrados como os outros e aceitaram integrar o Governo de António Costa.

Aqui, sim, valeria a pena lembrar ao próprio primeiro-ministro o que passa a vida a evocar: à política o que é da política, à Justiça o que é da Justiça.

Mas é claro que António Costa faz uso deste ‘chavão’ só quando lhe convém.

Quanto aos demais, a independência dos magistrados impõe limites: o exercício de cargos políticos não é mas devia ser um deles. Nem que fosse por causa das coisas.

Porque, aqui entre nós e quem quiser que nos oiça, Justiça assim dificilmente será cega.

IN "SOL"
01/11/19

.
.


2085.UNIÃO



EUROPEIA



.
.
HOJE  NO 
"DESTAK"
Arquiteto Álvaro Siza Vieira 
galardoado com o Prémio Nacional 
de Arquitetura espanhol 2019

O arquiteto português Álvaro Siza Vieira foi hoje galardoado com o Prémio Nacional de Arquitetura 2019, anunciou o ministro espanhol do Fomento em funções, José Luís Ábalos, numa mensagem que publicou na rede social Twitter. 
.
"Acabo de informar Álvaro Siza que foi galardoado com o Prémio Nacional de Arquitetura 2019. Um arquiteto português reconhecido mundialmente, que tanto tem contribuído para a arquitetura e as cidades espanholas", escreveu o ministro espanhol nas redes sociais.

A decisão de atribuir o prémio foi tomada durante o II Congresso Internacional "Arte, Cidade e Paisagem", que está a decorrer até sexta-feira em Cuenca (Espanha) e tem Portugal como país convidado. 

* Um enorme português muito maltratado no seu país, basta olhar para o abandono que o pavilhão de Portugal na Expo é votado, uma pouca vergonha.

.
.

III-OH MAR SALGADO

4-O mundo secreto
dos crustáceos



FONTE:   Documentarios BR

.
 .
·ï¡÷¡ï·𝓡𝓞𝓣𝓔𝓘𝓡𝓞 𝓓𝓞 𝓢𝓐𝓑𝓔𝓡·ï¡÷¡ï·
𝟏-𝓞𝓡𝓘𝓖𝓔𝓝𝓢
𝟏.2-𝓐 𝓣𝓔𝓡𝓡𝓐 𝓝𝓐𝓢𝓒𝓔



𝓣𝓮𝓻𝓪́ 𝓸 𝓾𝓷𝓲𝓿𝓮𝓻𝓼𝓸 𝓼𝓮𝓶𝓹𝓻𝓮 𝓮𝔁𝓲𝓼𝓽𝓲𝓭𝓸? 
𝓒𝓸𝓶𝓸 𝓮́ 𝓺𝓾𝓮 𝓼𝓮 𝓽𝓸𝓻𝓷𝓸𝓾 𝓷𝓾𝓶 𝓵𝓾𝓰𝓪𝓻 𝓺𝓾𝓮 𝓪𝓫𝓻𝓲𝓰𝓪 𝓿𝓲𝓭𝓪? 
𝓒𝓸𝓶𝓸 𝓽𝓮𝓻𝓪́ 𝓼𝓲𝓭𝓸 𝓸 𝓷𝓪𝓼𝓬𝓲𝓶𝓮𝓷𝓽𝓸 𝓭𝓸 𝓷𝓸𝓼𝓼𝓸 𝓹𝓵𝓪𝓷𝓮𝓽𝓪? 
𝓔𝓼𝓽𝓪𝓶𝓸𝓼 𝓼𝓸𝔃𝓲𝓷𝓱𝓸𝓼, 𝓸𝓾 𝓮𝔁𝓲𝓼𝓽𝓮𝓶 𝓶𝓾𝓷𝓭𝓸𝓼 𝓮𝔁𝓽𝓻𝓪𝓽𝓮𝓻𝓻𝓮𝓼𝓽𝓻𝓮𝓼 𝓪̀ 𝓮𝓼𝓹𝓮𝓻𝓪 𝓭𝓮 𝓼𝓮𝓻𝓮𝓶 𝓭𝓮𝓼𝓬𝓸𝓫𝓮𝓻𝓽𝓸𝓼? 
𝓥𝓮𝓳𝓪 𝓪𝓵𝓰𝓾𝓶𝓪𝓼 𝓻𝓮𝓼𝓹𝓸𝓼𝓽𝓪𝓼 𝓪𝓼𝓼𝓾𝓼𝓽𝓪𝓭𝓸𝓻𝓪𝓼, 𝓺𝓾𝓮 𝓵𝓮𝓿𝓪𝓻𝓪́ 𝓸𝓼 𝓮𝓼𝓹𝓮𝓬𝓽𝓪𝓭𝓸𝓻𝓮𝓼 𝓷𝓾𝓶𝓪 𝓿𝓲𝓪𝓰𝓮𝓶 𝓹𝓮𝓵𝓸 𝓬𝓸𝓼𝓶𝓸𝓼 𝓭𝓮𝓼𝓭𝓮 𝓸 𝓹𝓻𝓲𝓷𝓬𝓲́𝓹𝓲𝓸 𝓭𝓸 𝓽𝓮𝓶𝓹𝓸 𝓪𝓽𝓮́ 𝓪𝓸𝓼 𝓬𝓸𝓷𝓯𝓲𝓷𝓼 𝓭𝓸 𝓤𝓷𝓲𝓿𝓮𝓻𝓼𝓸, 𝓹𝓻𝓸𝓬𝓾𝓻𝓪𝓷𝓭𝓸 𝓹𝓮𝓵𝓪𝓼 𝓹𝓻𝓲𝓶𝓮𝓲𝓻𝓪𝓼 𝓹𝓲𝓼𝓽𝓪𝓼 𝓭𝓮 𝓿𝓲𝓭𝓪 𝓮 𝓸𝓼 𝓼𝓮𝓾𝓼 𝓿𝓮𝓼𝓽𝓲́𝓰𝓲𝓸𝓼 𝓷𝓸𝓾𝓽𝓻𝓸𝓼 𝓶𝓾𝓷𝓭𝓸𝓼.

FONTE: Universo do Documentário 2.0

.
.
HOJE  NO 
"i"
Economia mundial 
com endividamento recorde

Georgieva alertou para o facto de a dívida pública das economias avançadas atingiu níveis recorde desde a Segunda Guerra Mundial.

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou esta quinta-feira para o facto de a economia mundial ter registado um endividamento recorde amplamente alimentado pelo setor privado.
.
"O setor privado é um dos principais agentes desta acumulação, representando atualmente perto de dois terços do nível total da dívida", afirmou Kristalina Georgieva, citada pela agência AFP.

Recorde-se que a dívida global dos setores público e privado atingiu um montante inédito de 188 biliões de dólares, ou seja, 230% do Produto Interno Bruto mundial. Trata-se de um crescimento de 14,6% em relação à estimativa de abril de 2018.

"A dívida pública dos mercados emergentes atingiu os níveis registados durante a crise da dívida dos anos 80 e o peso da dívida nos países mais frágeis aumentou bastante nos últimos cinco anos", explicou Georgieva, frisando que a dívida pública das economias avançadas atingiu níveis recorde desde a Segunda Guerra Mundial.

“Um endividamento elevado não representa apenas um risco para a estabilidade financeira, pode tornar-se um entrave para o crescimento", acrescenta a responsável.

A solução? Mais transparência. "Em muitos países é possível reforçar de forma significativa as instituições que registam, supervisionam e declaram a dívida", diz Georgieva.

* A transparência política é como toda e qualquer religião, absolutamente falsa.

.
.

Mariana Norton

Blurry Man


.
.
HOJE NO
"A BOLA"
FC Porto perde em Glasgow
 e complica contas
.
O FC Porto foi derrotado em Glasgow pelo Rangers, por 0-2, golos na segunda parte, num espaço de quatro minutos. Desaire que deixa os dragões no último lugar do Grupo G da Liga Europa.

A equipa de Sérgio Conceição deixou pálida imagem no Ibrox Stadium e vê complicar as contas do apuramento para os 16 avos de final da competição.

O próximo jogo será na Suíça, dia 28, frente ao Young Boys, que lidera o grupo com 7 pontos.

* Esclarecimento: Apoiamos, embora não tenhamos importância nenhuma, todas as equipas portuguesas de todas as modalidades que disputam provas internacionais.
1- Parabéns aos Sporting e Braga pelos bons resultados obtidos
2- Somos solidários com as equipas que perderam
3- Gostaríamos de saber se Sérgio Conceição também se está a cagar desta vez, duas 'evacuadelas' em pouco tempo é muita diarreia mental.

.
.

ĆŘƗΜ€Ş ΜƗŁƗØŇÁŘƗØŞ
4.2-ᗰ🖤ŔƬƐ Ɛᗰ ṖᗩĿᗰ ßƐᗩƇĤ



FONTE: tbrsete

.
.

QUIZ COM YOUTUBERS
PARTE 1



 FONTE: Saúde da Mulher com Dra Laura Lucia
.
ℛ𝑒𝒻𝓊𝑔𝒾𝒶𝒹𝒶𝓈 𝓋𝑒𝓃𝑒𝓏𝓊𝑒𝓁𝒶𝓃𝒶𝓈
𝓇𝑒𝓃𝒹𝑒𝓂-𝓈𝑒 𝒶̀ 𝓅𝓇𝑜𝓈𝓉𝒾𝓉𝓊𝒾𝒸̧𝒶̃𝑜
𝓅𝒶𝓇𝒶 𝒶𝓁𝒾𝓂𝑒𝓃𝓉𝒶𝓇 𝑜𝓈 𝒻𝒾𝓁𝒽𝑜𝓈


E O BOLSONARO FOMENTA ESTA ESCRAVIDÃO


FONTE:  Repórter Record Investigação

.
.
Para cozer os miolos/132



Máquinas de Agricultura Modernas


FONTE:  Quantum Tech HD

.
.
O̷S̷ L̷Í̷D̷E̷R̷E̷S̷ R̷E̷L̷I̷G̷I̷O̷S̷O̷S̷ N̷U̷N̷C̷A̷ E̷N̷G̷A̷N̷A̷M̷

Autor da lei contra o adultério apanhado 
a prevaricar com mulher casada

Religioso indonésio que ajudou a elaborar a restritiva lei anti-adultério na Indonésia foi apanhado a prevaricar com uma mulher casada, num carro junto a uma praia. Foram os dois chicoteados em público.

Mukhlis bin Muhammad, de 46 anos, é um estudioso religioso do Islão na província de Banda Aceh, na Indonésia. Faz parte do Conselho de Ulemás de Aceh (MPU, na sigla original) e ajudou a redigir a lei contra o adultério, aplicada na forma mais rígida naquela região do maior país muçulmano do Mundo.
.

A 31 de outubro, foi chicoteado em público 28 vezes, por um homem totalmente tapado, como determina a lei, para que não possa ser identificado. O castigo por ter cometido adultério com uma mulher casada, que foi chicoteada 23 vezes.
"Esta é a lei de Deus. Qualquer um deve ser açoitado se for considerado culpado, mesmo que seja membro do MPU", justificou o vice-presidente do distrito de Besar, Husaini Wahab, em declarações à BBC.

Além das chibatadas, Mukhlis vai ser ainda castigado com a expulsão do MPU. A região de Aceh é a única, na Indonésia, que aplica a Sharia, a rígida lei islâmica que castiga também a produção e consumo de álcool, os jogos de azar e o sexo entre pessoas do mesmo sexo.

Mukhlis foi o primeiro líder religioso a ser açoitado desde que a Sharia entrou em vigor naquela região.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
04/11/19


.
.

2150
Senso d'hoje
DANIEL OLIVEIRA
ESCRITOR, AUTOR
ANALISTA POLÍTICO
"Um bom representante representa,
não se representa"



FONTE:  SachenSachenSachen


.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS







.


.
METAMORFOSE


.
.

BOM DIA


.
.


87-CINEMA
FORA "D'ORAS"

𝒱ℐℐ-♕ 𝒮𝐼𝒮𝒮𝐼 𝒶 𝐼𝓂𝓅𝑒𝓇𝒶𝓉𝓇𝒾𝓏 ♕



𝒮𝒾𝓃𝑜𝓅𝓈𝑒:

𝒟𝑒𝓅𝑜𝒾𝓈 𝒹𝑜 𝒸𝒶𝓈𝒶𝓂𝑒𝓃𝓉𝑜 𝒸𝑜𝓂 𝑜 𝒾𝓂𝓅𝑒𝓇𝒶𝒹𝑜𝓇 ℱ𝓇𝒶𝓃𝒸𝒾𝓈𝒸𝑜 𝒥𝑜𝓈𝑒́, 𝑒𝓂 𝒱𝒾𝑒𝓃𝒶, 𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾 𝒹𝑒𝓅𝒶𝓇𝒶-𝓈𝑒 𝒸𝑜𝓂 𝑜𝓈 𝓅𝓇𝑜𝒷𝓁𝑒𝓂𝒶𝓈 𝑒 𝒾𝓃𝒸𝑜𝓃𝓋𝑒𝓃𝒾𝑒𝓃𝓉𝑒𝓈 𝒹𝑜 𝓅𝓇𝑜𝓉𝑜𝒸𝑜𝓁𝑜 𝑒 𝒸𝑜𝓂 𝑜 𝓂𝒶𝓊 𝓇𝑒𝓁𝒶𝒸𝒾𝑜𝓃𝒶𝓂𝑒𝓃𝓉𝑜 𝒸𝑜𝓂 𝒶 𝓈𝑜𝑔𝓇𝒶. 𝒬𝓊𝒶𝓃𝒹𝑜 𝓃𝒶𝓈𝒸𝑒 𝒶 𝓈𝓊𝒶 𝓅𝓇𝒾𝓂𝑒𝒾𝓇𝒶 𝒻𝒾𝓁𝒽𝒶, 𝒶 𝒸𝓇𝒾𝒶𝓃𝒸̧𝒶 𝑒́-𝓁𝒽𝑒 𝓇𝑒𝓉𝒾𝓇𝒶𝒹𝒶 𝓅𝑒𝓁𝒶 𝓈𝑜𝑔𝓇𝒶, 𝓆𝓊𝑒 𝓃𝒶̃𝑜 𝒸𝑜𝓃𝓈𝒾𝒹𝑒𝓇𝒶 𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾 𝒶 𝓅𝑒𝓈𝓈𝑜𝒶 𝒶𝒹𝑒𝓆𝓊𝒶𝒹𝒶 𝓅𝒶𝓇𝒶 𝒹𝒶𝓇 𝓊𝓂𝒶 𝒷𝑜𝒶 𝑒𝒹𝓊𝒸𝒶𝒸̧𝒶̃𝑜 𝒶̀ 𝒻𝒾𝓁𝒽𝒶. 𝒟𝑒𝓈𝒸𝑜𝓃𝓉𝑒𝓃𝓉𝑒 𝑒 𝓂𝒶𝑔𝑜𝒶𝒹𝒶, 𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾 𝓇𝑒𝓉𝑜𝓇𝓃𝒶 𝒶̀ 𝒸𝒶𝓈𝒶 𝒹𝑜𝓈 𝓅𝒶𝒾𝓈, 𝓂𝒶𝓈 𝑜 ℐ́𝓂𝓅𝑒𝓇𝒶𝒹𝑜𝓇 𝓈𝑒𝑔𝓊𝑒-𝒶 𝑒 𝓅𝑒𝒹𝑒-𝓁𝒽𝑒 𝓆𝓊𝑒 𝓇𝑒𝓉𝑜𝓇𝓃𝑒. 𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾 𝑒𝓃𝓉𝒶̃𝑜 𝒹𝑒𝒸𝒾𝒹𝑒 𝓅𝓇𝑜𝓋𝒶𝓇 𝓆𝓊𝑒 𝑒́ 𝒶 𝓋𝑒𝓇𝒹𝒶𝒹𝑒𝒾𝓇𝒶 𝒾𝓂𝓅𝑒𝓇𝒶𝓉𝓇𝒾𝓏, 𝑒 𝓋𝑜𝓁𝓉𝒶 𝒸𝑜𝓂 𝑜 𝓂𝒶𝓇𝒾𝒹𝑜 𝓅𝒶𝓇𝒶 𝒶 ℋ𝓊𝓃𝑔𝓇𝒾𝒶, 𝑜𝓃𝒹𝑒 𝑒𝓁𝑒𝓈 𝓈𝒶̃𝑜 𝒸𝑜𝓇𝑜𝒶𝒹𝑜𝓈.



𝒜 𝓋𝑒𝓇𝒹𝒶𝒹𝑒𝒾𝓇𝒶 𝒾𝓂𝓅𝑒𝓇𝒶𝓉𝓇𝒾𝓏 𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾.
ℰ𝓁𝑒𝓃𝒸𝑜:

ℛ𝑜𝓂𝓎 𝒮𝒸𝒽𝓃𝑒𝒾𝒹𝑒𝓇 .... 𝒾𝓂𝓅𝑒𝓇𝒶𝓉𝓇𝒾𝓏 ℰ𝓁𝒾𝓈𝒶𝒷𝑒𝓉𝒽 (𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾)   
𝒦𝒶𝓇𝓁𝒽𝑒𝒾𝓃𝓏 ℬ𝑜̈𝒽𝓂 .... 𝒾𝓂𝓅𝑒𝓇𝒶𝒹𝑜𝓇 ℱ𝓇𝒶𝓃𝒸𝒾𝓈𝒸𝑜 𝒥𝑜𝓈𝑒́ 𝟣.º    
ℳ𝒶𝑔𝒹𝒶 𝒮𝒸𝒽𝓃𝑒𝒾𝒹𝑒𝓇 .... 𝒹𝓊𝓆𝓊𝑒𝓈𝒶 ℒ𝓊𝒹𝑜𝓋𝒾𝒸𝒶 𝒹𝒶 ℬ𝒶𝓋𝒶́𝓇𝒾𝒶 (𝒱𝒾𝒸𝓀𝒾𝑒), 𝓂𝒶̃𝑒 𝒹𝑒 𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾    
𝒢𝓊𝓈𝓉𝒶𝓋 𝒦𝓃𝓊𝓉𝒽 .... 𝒹𝓊𝓆𝓊𝑒 ℳ𝒶𝓍𝒾𝓂𝒾𝓁𝒾𝒶𝓃𝑜 𝒥𝑜𝓈𝑒́ 𝒹𝒶 ℬ𝒶𝓋𝒶́𝓇𝒾𝒶 (ℳ𝒶𝓍), 𝓅𝒶𝒾 𝒹𝑒 𝒮𝒾𝓈𝓈𝒾    
𝒱𝒾𝓁𝓂𝒶 𝒟𝑒𝑔𝒾𝓈𝒸𝒽𝑒𝓇 .... 𝒶𝓇𝓆𝓊𝒾𝒹𝓊𝓆𝓊𝑒𝓈𝒶 𝒮𝑜𝒻𝒾𝒶, 𝓂𝒶̃𝑒 𝒹𝑒 ℱ𝓇𝒶𝓃𝒸𝒾𝓈𝒸𝑜 𝒥𝑜𝓈𝑒́    
𝒲𝒶𝓁𝓉𝑒𝓇 ℛ𝑒𝓎𝑒𝓇 .... 𝒸𝑜𝓃𝒹𝑒 𝒜𝓃𝒹𝓇𝒶𝓈𝓈𝓎    
𝒮𝑒𝓃𝓉𝒶 𝒲𝑒𝓃𝑔𝓇𝒶𝒻 .... 𝒸𝑜𝓃𝒹𝑒𝓈𝓈𝒶 ℬ𝑒𝓁𝓁𝑒𝑔𝒶𝓇𝒹𝑒    
𝒥𝑜𝓈𝑒𝒻 ℳ𝑒𝒾𝓃𝓇𝒶𝒹 .... 𝓂𝒶𝒿𝑜𝓇 ℬ𝑜̈𝒸𝓀𝓁    
ℐ𝓋𝒶́𝓃 𝒫𝑒𝓉𝓇𝑜𝓋𝒾𝒸𝒽 .... 𝒹𝓇. ℳ𝒶𝓍 ℱ𝒶𝓁𝓀    
ℋ𝑒𝓁𝑒𝓃𝑒 ℒ𝒶𝓊𝓉𝑒𝓇𝒷𝑜̈𝒸𝓀 .... 𝒸𝑜𝓃𝒹𝑒𝓈𝓈𝒶 ℰ𝓈𝓉𝑒𝓇𝒽𝒶𝓏𝓎    
𝒰𝓉𝒶 ℱ𝓇𝒶𝓃𝓏 .... 𝓅𝓇𝒾𝓃𝒸𝑒𝓈𝒶 ℋ𝑒𝓁𝑒𝓃 𝒹𝒶 ℬ𝒶𝓋𝒶́𝓇𝒾𝒶 (𝓃𝑒𝓃𝑒) , 𝒾𝓇𝓂𝒶̃ 𝓂𝒶𝒾𝓈 𝓋𝑒𝓁𝒽𝒶 𝒹𝑒 𝓈𝒾𝓈𝓈𝒾.
 

FONTE: maria de lourdes pinheiro barzanelli