12/10/2017

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.


154-ACIDEZ

FEMININA


ELA USOU FANTASIA

DE MARINHEIRA

com Mussum Alive


A IMPRESCÍNDIVEL TATY FERREIRA

* Uma produção "ACIDEZ FEMININA" - BRASIL

** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.

ÁGUA VIVA


Esse curta metragem do ituiutabano (MG) Raul Maciel foi premiado pela oficina de roteiros do VIII Projeto Sal Grosso, organizado pelo 13°FBCU, e mostra um universo surrealista em que as personagens vão ganhando profundidade num processo delicado e criativo. Usando câmeras estáticas consegue levar o espectador a um novo universo onde a verdade se faz naturalmente feito poesia. O filme tem um final surpreendente que choca os mais céticos e alimenta a alma dos mais criativos.

FONTE: Arth Silva


.
.
HOJE NO 
"RECORD"

Valérie Fourneyron preside 
nova Autoridade de Controlo
.Independente da AMA

A antiga ministra francesa dos Desportos Valérie Fourneyron foi esta quinta-feira nomeada para encabeçar a nova entidade de controlo criada pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), que estará pronta antes dos Jogos Olímpicos de inverno de Pyeongchang.
 .
Valérie Fourneyron vai presidir à Autoridade de Controlo Independente (ACI), que reunirá outros quatro membros, dois dos quais em representação do Comité Olímpico Internacional (COI).

Reclamada pelo COI para reforçar o sistema antidopagem internacional, a nova entidade colocar-se-á à disposição das federações desportivas ou dos organizadores de grandes eventos que solicitem a sua colaboração.

Assim, instituições que já possuem mecanismos e estrutura implantadas para o controlo, como a União Ciclista Internacional (UCI), a FIFA ou a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), não deverão pedir a ajuda da ACI.

"O COI poderá contar com os serviços da ACI já nos Jogos Olímpicos de inverno Pyeongchang2018", especificou, em comunicado, o presidente do organismo, Thomas Bach.

Num primeiro momento, a nova entidade deverá ser financiada pelo COI, mas a médio prazo pretende-se que sejam os próprios clientes a suportar os seus gastos, revelou uma fonte da luta antidopagem à AFP. 

A antiga ministra dos Desportos (2012-2014) de François Hollande foi presidente do Comité Médico da AMA e conduziu o grupo de trabalho que esteve na base da criação da ACI.

Os outros membros da entidade são o turco Ugur Erdener, em representação do COI, o italiano Francesco Ricci Bitti, pelas federações internacionais, a ex-nadadora do Zimbabué Kirsty Coventry, nomeada pela comissão de atletas do COI, e o chinês Peilie Chen, como membro independente.

* Oxalá a nova autoridade chegue a tempo para inverter este tipo de crime no desporto.

 .
.
XLVIII- O UNIVERSO

2- CONGELAMENTO PROFUNDO



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Inexperiência torna Portugal um "local conveniente" para ataques terroristas

Especialista em contraterrorismo explica que os serviços de informações dos países vizinhos estão a tornar-se mais experientes, o que pode desviar as atenções para Portugal

O especialista em contraterrorismo israelita Boaz Ganor considerou hoje que o crescente número de turistas e o aumento da segurança nos países vizinhos tornam Portugal "um local conveniente" para as organizações terroristas concentrarem ataques ou infiltrarem operacionais.
.
"NÃO TERRORISTA"
PERIGOSO
"Portugal é afortunado por não sofrer ataques terroristas. Não estou é certo de que não venham a acontecer no futuro", considerou hoje à Lusa o especialista israelita, à margem de uma conferência no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa.

Ganor é o fundador e diretor-executivo do Instituto Internacional de Combate ao Terrorismo, no Centro Interdisciplinar de Herzliya, em Israel, além de autor de diversos livros sobre as formas de lutar contra este fenómeno.

Questionado sobre as razões que têm afastado Portugal do mapa dos atentados terroristas, nomeadamente sobre se é irrelevante para a mensagem que os grupos terroristas querem passar, Boaz Ganor respondeu negativamente.
 .
"NÃO TERRORISTA"
PERIGOSO
"Diria que fazer parte do espaço Schengen e da União Europeia coloca Portugal como alvo valioso no mapa mundial do terrorismo 'jihadista' global, do [grupo extremista] Estado Islâmico, da Al Qaeda e de outros", salientou o perito.

O facto de os serviços de informações e contraterrorismo noutros países vizinhos - casos de Espanha, França e mesmo a Bélgica, Alemanha e Holanda - estarem a tornar-se mais experientes no campo do contraterrorismo, começa a fazer com que seja mais difícil aos terroristas estarem preparados para cometer ataques dentro desses países, referiu Boaz Ganor.

"Nesse caso podem ver em Portugal um local conveniente, tanto para organizar ataques - a cometer dentro ou fora de Portugal - como para infiltrar terroristas a partir do exterior, para cometerem ataques mesmo dentro de Portugal", explicou o especialista.
 .
"NÃO TERRORISTAS"
PERIGOSOS
Boaz Ganor considerou que o número crescente de turistas a chegar a Portugal é uma boa notícia para o país, mas contrapôs que este é um fenómeno que "também serve como uma boa plataforma para que uma organização terrorista se infiltre em Portugal".

"Por isso a minha recomendação seria: (...) apreciem o facto de não terem sofrido ataques, mas preparem-se para o dia em que poderão ser atacados", sublinhou.

Quanto à preparação das autoridades portuguesas para lidarem com um possível ataque terrorista, Boaz Ganor rejeita que Portugal seja "um alvo fácil".

"Não digo que Portugal seja um 'soft target'. Acredito que os serviços de segurança portugueses e a polícia têm conhecimentos, mantêm ligações com outras autoridades europeias, partilham experiências. Mas não tem a experiência no terreno que, infelizmente, outros têm", declarou.
Esta falta de experiência real pode ser compensada "com exercícios".
.
"NÃO TERRORISTA"
PERIGOSO
"Podem-se fazer simulações, 'red teaming' [equipas para melhorar o processo de tomada de decisões] para tentar entrar na cabeça dos terroristas. 'Se eles quisessem atacar Portugal, qual seriam os alvos valiosos? Qual seria o modus operandi?'. E depois preparem-se para essas possibilidades", enumerou o especialista israelita.

"Há coisas que podem ser feitas. Acredito que há coisas a serem feitas. Não quero parecer alarmista, isso de certeza, mas não existe isso de demasiada segurança. É preciso sempre ter mais", concluiu.

* Boaz Ganor  tem razão mas o maior problema em Portugal são os "não terroristas" perigosos.


.
.

XVIII- Cidades

e soluções


2-A solidariedade gourmet



FONTE: Refettorio Gastromotiva


As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
 HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/ 
/DA MADEIRA"
Vinho Madeira promovido 
em Londres e Paris

O Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira (IVBAM) realiza na próxima semana várias ações promocionais do Vinho Madeira nas cidades de Londres e Paris.
.
O Vinho Madeira será promovido através da realização de provas e ‘masterclass’ dirigidos exclusivamente a profissionais do sector vínico francês e inglês, bem como através da realização de um jantar de harmonizações de Vinho Madeira com iguarias da cozinha francesa.

A acção promocional arranca na cidade londrina, no dia 16, estando os restantes dois dias, 17 e 18 de Outubro, reservados para a capital francesa.

O programa das provas e ‘masterclass’ é semelhante nas duas cidades, iniciando-se às 15h30 com a realização de provas abertas até as 19 horas e onde os convidados poderão degustar uma grande variedade de Vinhos Madeira de todas as empresas presentes em cada cidade: Madeira Wine Company; Vinhos Barbeito; Justinos Madeira Wines; Henriques & Henriques; Pereira de Oliveira; HMBorges e CAF-Madeira Vintners.

Em simultâneo, decorrerão dois masterclass sobre o Vinho Madeira, em cada uma das cidades, que incluirão a apresentação de Região Vitícola da Madeira, com caraterização das suas especificidades únicas, desde o clima, o solo, o relevo e naturalmente a apresentação das castas que lhe dão origem, após o qual será realizada uma prova comentada do Vinho Madeira.

Refira-se que estes ‘masterclass’ terão como orador o conceituado crítico de vinhos, Alexandre Lalas.

Com o intuito maximizar a presença do Vinho Madeira no mercado francês e de reforçar a grande versatilidade e potencialidade do Vinho Madeira para harmonizar com a gastronomia, o IVBAM promove um jantar de degustação de Vinhos Madeira com a cozinha francesa no restaurante francês – Le Petit Sommelier- afamado pela sua cozinha e pela sua excelente carta de vinhos.

Jantar esse que contará com cinco iguarias francesas, preparadas especialmente para harmonizarem com os vinhos Madeira servidos no jantar que terá como convidados pessoas influentes no sector vínico francês, entre ‘sommeliers’, importadores, jornalistas, ‘opinion leaders’, hoteleiros, ‘restaurateurs’, etc.

A aposta promocional nestes mercados europeus prende-se com a importância destes mercados em termos de exportações do Vinho Madeira, sendo que estes dois mercados ocupam os lugares cimeiros da tabela de exportações do Vinho Madeira, tendo um peso de cerca de 32% no valor total, o que equivaleu, em 2016, a um volume de negócio de 5.597.141 euros.

* Existem verdadeiros néctares nos Vinhos da Madeira.

.

PEDRO GRAÇA

.






Os lugares de Portugal 
onde a comida saudável 
ainda é proibida

Poderíamos começar pelas nossas praias concessionadas, com diversos serviços que nos ajudam em tempo estival, mas onde não existem muitas vezes simples bebedouros públicos, obrigando a comprar água para matar a sede e inundar o nosso planeta de plástico

Portugal e a Europa atravessam novos tempos em termos de saúde e o sistema urge em se modificar. O colapso económico deste modelo é eminente pois está baseado no tratamento, cada vez mais caro de doenças crónicas, em populações cada vez mais idosas, cada vez mais doentes e menos produtivas contributivamente para alimentar o próprio sistema.

Não tem muito para saber e só é estranho que a discussão mediática seja habitualmente em torno dos direitos dos trabalhadores da saúde e pouco em torno da mudança necessária e radical de um sistema que já não tem capacidade para os pagar (e que deveria ter capacidade para o fazer).

Centrando-me na área alimentar e que melhor conheço, os números são fortes. Sabemos hoje que mais de 23% de todas as mortes no espaço europeu podem ser atribuídas a hábitos alimentares inadequados. Cinco dos dez principais determinantes de anos de vida saudável perdidos pelos europeus estão relacionados com hábitos alimentares. Estima-se que 15 milhões de anos de vida perdidos anualmente se devam, na Europa, a hábitos alimentares inadequados. Estima-se que 7% de perdas no Produto Interno Bruto dos países membros, em média, se deva à obesidade. 1 em cada 3 crianças com onze anos no espaço europeu tem excesso de peso.

Em Portugal o panorama não é diferente e até se agrava em alguns casos, pois somos o país da Europa com maior crescimento e prevalência de Diabetes (1 em cada 10) e onde o Acidente Vascular Cerebral (AVC) está significativamente acima da média europeia, alterando drasticamente a vida de milhares de famílias portuguesas por ano e onde o consumo excessivo de sal é uma das suas marcas (44% da população é hipertensa).

Face a estes números, particularmente graves na doença cerebrovascular, pois cerca de 35 mil portugueses morrem anualmente por doenças cardiovasculares (que continuam a ser a principal causa de morte entre nós) sabemos hoje que metade desta mortalidade pode ser atribuída a causas alimentares.

Existe, portanto, um forte consenso no mundo científico para se trabalhar prioritariamente na alteração do panorama alimentar no espaço europeu, promovendo ambientes saudáveis do ponto de vista da alimentação e da promoção da atividade física. Apesar disto, o sistema nada muda continuando a Europa a gastar, em média, 97% dos seus orçamentos de saúde em tratamento e apenas 3% em prevenção e promoção de ambientes saudáveis, sendo que a promoção de hábitos alimentares saudáveis deve rondar valores pouco acima do zero em muitos países europeus. Do outro lado, está um sector muito forte e altamente capacitado, com orçamento quase ilimitado para promover os alimentos que bem entender e, acima de tudo, para promover um ritmo de mudança em função da capacidade de nada perder com a mudança.

O diagnóstico está feito e os métodos para alterar este panorama estão cada vez mais consensualizados em torno da necessidade de facilitar as escolhas alimentares mais saudáveis ao cidadão, deixando-lhe a liberdade para fazer outras, se assim e em consciência o entender. Isto significa abandonar a centralidade do paradigma da educação do consumidor (que continua a ser muito importante) e trabalhar na construção de ambientes diários nos locais onde vivemos (casa, trabalho, tempos livres…) que sejam facilitadores de uma alimentação saudável. Neste aspeto, as políticas promotoras de saúde tendem a abandonar, em parte, o espaço tradicional da saúde (hospitais, centros de saúde…) e deslocam-se cada vez mais para as autarquias, para os locais de trabalho, para os locais de lazer e para a própria casa de cada um, obrigando a novas responsabilidades de todos. Estaremos preparados para isto? Ainda não. E o sistema de saúde está preparado para esta mudança? Menos ainda.

Para ilustrar esta situação centremo-nos por minutos nos nossos locais públicos. Quem viaja pelos locais públicos do nosso país, arrisca por vezes, a entrar em lugares onde a comida saudável parece estar proibida. São muitas vezes locais onde é necessária uma autorização do Estado para estarem abertos e a prestar serviços de diversa ordem. Prestam-se assim todos os serviços, exceto e em muitos casos, serviços de promoção da saúde. Poderíamos começar pelas nossas praias concessionadas, com diversos serviços que nos ajudam em tempo estival, mas onde não existem muitas vezes simples bebedouros públicos, obrigando a comprar água para matar a sede e inundar o nosso planeta de plástico. Ou o que dizer dos nossos transportes públicos. Que se saiba não existem, ou são raros, os bebedouros de água nas estações de metro de Lisboa e Porto, existindo, contudo, diversas máquinas de venda automática onde os refrigerantes custam pouco mais do que a água engarrafada. O mesmo poderemos dizer de diversos recintos desportivos municipais, promotores de desporto, mas “despromotores” da alimentação saudável onde encontrar um refrigerante e um folhado é mais fácil e barato do que encontrar um sumo natural ou uma peça de fruta. Ou ainda dos nossos cinemas e centros comerciais onde impera a bebida embalada, o chocolate, a pipoca doce e similares. E poderíamos continuar não esquecendo as universidades públicas, locais onde o estado paga para formar intelectualmente toda uma geração de portugueses, mas onde abunda o lixo alimentar e onde estão praticamente ausentes as políticas sérias de promoção de uma alimentação saudável e valorização cultural do nosso património alimentar mediterrânico. A lista seria muito longa e significa ainda o longo caminho que temos de percorrer, mas passo a passo e sem hesitar começou a acontecer alguma coisa em Portugal nesta área nos últimos tempos. Não podemos é parar agora.

* Pedro Graça é Diretor do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, da Direcção Geral da Saúde. É doutorado em Nutrição Humana pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) onde é professor associado.
É membro do Conselho Científico da ASAE e ponto focal português da OMS e Comissão Europeia na área da alimentação.

IN "VISÃO"
10/10/17

.
.


1380.UNIÃO



EUROPEIA



.
HOJE NO 
"JORNAL DE NEGÓCIOS"
Sector cervejeiro considera
 “inadmissível” novo aumento de impostos

Os produtores de cerveja lamentam “a insensibilidade política” à contribuição do sector para a economia portuguesa. E consideram “inadmissível” um novo aumento do imposto sobre a cerveja em 1,5%.

A notícia do novo aumento em 1,5% do imposto sobre as cervejas surpreendeu pela negativa o sector. Francisco Gírio, secretário-geral da Associação Portuguesa dos Produtores de Cerveja (APCV) considera que "a confirmar-se a notícia", é "inadmissível" um novo aumento no valor do imposto sobre as cervejas e as bebidas espirituosas, que são maioritariamente importadas, mantendo o vinho inalterado", disse ao Negócios.
.
Para o responsável, esta medida que consta na versão preliminar da proposta do Orçamento do Estado para 2018 demonstra que "existe grande insensibilidade por parte do Governo ao não reflectir o contributo do sector para a economia portuguesa". "É uma frustração", lamentou.

O secretário-geral da APCV relembrou que o sector cervejeiro contribui para as exportações com 250 milhões de euros e com 70 mil postos de trabalho directos e indirectos.

Números que foram recordados ao Governo recentemente, no âmbito das reuniões com os vários sectores de actividade para a elaboração do Orçamento do Estado para o próximo ano.

Nessa reunião, a APCV apelou a que o imposto sobre a cerveja se mantivesse inalterado em 2018, até porque no ano passado já tinha aumentado 3%.

Um novo aumento é "um facto negativo para a indústria, incluindo os cervejeiros artesanais. "Não conseguimos compreender a insensibilidade política total", criticou.

De acordo com uma versão preliminar da proposta de Orçamento do Estado para 2018 as cervejas vão passar a pagar um imposto que começa nos 8,34 euros por hectolitro para os volumes de álcool mais baixos e que vai até aos 29,30 euros por hectolitro no caso dos volumes de álcool mais elevados, o que traduz um aumento de 1,5%.

* As hipóteses:
- Se os portugueses reduzirem o consumo haverá menos talibans na estrada, haverá menos doenças provocadas pelo consumo excessivo de  álcool e se calhar menos pessoas assassinadas em âmbito de violência doméstica, PERFEITO.
 - Se o consumo se mantiver ou aumentar continuará a guerra civil no asfalto, as doenças provocadas pelo consumo excessivo de álcool continuarão a aumentar, violência doméstica idem, mas o Estado terá mais dinheiro para combater estas anormalidades, PERFEITO.

.
.
III- AS MAIS ESTRANHAS 
FORMAS DE MORRER
1-JARDINEIRO TORRADO



As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
1-NASCIDO PARA VIVER



FONTE: ffms

.
.
 HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

GNR destaca 400 militares
 para celebrações de Fátima

Um total de 400 elementos da Guarda Nacional Republicana está em Fátima para assegurar a segurança no recinto e prevenir a criminalidade que possa ocorrer durante as celebrações que marcam o encerramento do Centenário das Aparições. Em declarações à Lusa, o capitão Carlos Canatário, comandante do destacamento da GNR de Tomar, explicou que estão em curso duas operações: a "Peregrinação Segura ", que se iniciou a 7 de outubro, e "Trindade" referente à segurança na Cova de Iria, durante os dois dias de celebrações.
.
No âmbito da "Operação Peregrinação", explicou, a GNR tem feito o acompanhamento dos peregrinos que nestes dias se deslocam para Fátima e até ao momento não foram registadas quaisquer ocorrências. Para os que ainda caminham em direção a Fátima, Carlos Canatário aconselha que o façam com boa sinalização, ou seja usando o colete refletor, que circulem na berma da estrada e em sentido contrário ao trânsito. Aos automobilistas, o alerta da GNR vai no sentido de estarem sensibilizados para a existência de inúmeros peregrinos nas estradas, sendo necessário redobrarem a sua atenção.

A "Operação Trindade" terá em Fátima 200 militares em cada um dos dias (12 e 13 de outubro) para o patrulhamento a cavalo, moto, bicicleta, organização do trânsito e apoio ao turista.

"Estaremos para dar uma resposta adequada às necessidades dos peregrinos", disse. "Fátima é sempre um local que traz muita gente e se em maio a preocupação era também a segurança do papa Francisco, em outubro, junho e agosto, assim como todos os fins de semana a preocupação centra-se nos peregrinos", acrescentou Carlos Canatário. 

A Peregrinação Internacional Aniversária de outubro no Santuário de Fátima começa hoje e decorre até sexta-feira, marcando o encerramento do Centenário das Aparições e inclui, além das celebrações religiosas, um concerto e um espetáculo multimédia. x 

A peregrinação, que tem por tema "Maria, Estrela da Evangelização" e que será presidida pelo bispo da diocese de Leiria-Fátima, António Marto, abre hoje às 18:30 com uma saudação a Nossa Senhora e aos peregrinos, na Capelinha das Aparições. Segue-se, no mesmo local, a bênção solene das velas e rosário e, às 21:30, no recinto do Santuário a Procissão das Velas e a Missa Internacional. 

Após a meia-noite de hoje e depois da procissão do silêncio, o recinto da Cova da Iria recebe, em estreia, a projeção multimédia "Fátima - Tempo de Luz", produzida pela empresa espanhola Acciona Producciones y Design e encomendada pelo santuário de Fátima para encerrar as celebrações do Centenário das Aparições. As celebrações do Centenário das Aparições - que tiveram como momento alto a peregrinação a Fátima do papa Francisco, em maio - decorrem na sexta-feira, a partir das 18:30, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, com um concerto pela Orquestra e pelo Coro Gulbenkian dirigidos pela maestrina Joana Carneiro e que conta ainda com a participação da soprano Elisabete Matos. 

* O grave senão é que os não católicos também pagam esta fraude folclórica.

.
.
Sílvia Pérez Cruz e Júlio Resende

Cu Cucurrucucú Paloma


.
.

HOJE  NO 
"OBSERVADOR"

Ministério da Agricultura avança 
com apoio à alimentação animal 
na próxima semana devido à seca

Luís Capoulas Santos anunciou que o governo vai avançar na próxima semana com apoio à alimentação animal para atenuar os efeitos da seca. O ministro pediu mais "apoio solidário da União Europeia".

O Governo vai avançar no início da próxima semana com medidas adicionais de apoio à alimentação animal para mitigar os efeitos da seca, disse esta quinta-feira o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

Na segunda-feira, o ministro sensibilizou os seus parceiros europeus no Luxemburgo para a necessidade de mais “apoio solidário da União Europeia” para Portugal enfrentar o problema da seca, que atinge particularmente os produtores pecuários.
 .
Esta quinta-feira, na primeira Cimeira de Inovação na Agricultura (Agri Innovation Summit 2007), que decorreu em Oeiras, e ao lado do Comissão Europeu com a pasta da Agricultura, Phil Hogan, o ministro português considerou que Bruxelas “está suficientemente sensibilizada”, mas que não está fechado nenhum apoio europeu adicional.
Independentemente disso [o apoio europeu], o Ministério da Agricultura avançará nos próximos dias com algumas medidas adicionais de apoio. Não vou antecipar, porque estão em preparação, temos de consultar os parceiros, mas em muitos poucos dias, no início da próxima semana, estaremos em condições de anunciar alguns apoios direcionados quer para a questão da garantia do abeberamento dos animais, quer para a alimentação animal”, afirmou Capoulas Santos aos jornalistas no final da sua intervenção em Oeiras.
O ministro da Agricultura considerou que a Comissão Europeia “tem sido excecional” com Portugal, nas últimas crises relacionadas com o leite, os suínos e com os incêndios florestais, recordando que, em agosto, autorizou o Governo português “a antecipar 70% dos pagamentos, o que será feito antes do final do mês e permitirá transferir para os agricultores cerca de 400 milhões de euros de apoio”.

“Mas obviamente que a situação tem vindo progressivamente a agravar-se e o problema que se coloca agora com mais premência é a questão da alimentação animal, uma vez que parte dos ‘stocks’ que tinham sido reservados para o inverno estão a esgotar-se, houve perda de pastagens nas áreas ardidas e a seca tem sido inclemente”, disse o governante.

“É por isso que o Governo está a preparar algumas medidas e espera obter algum apoio da Comissão Europeia e do senhor comissário – que não veio aqui para fechar nenhuma negociação -, mas a Comissão está suficientemente sensibilizada”, considerou.

Por sua vez, o comissário europeu com a pasta da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Phil Hogan, disse aos jornalistas que “enquanto a chuva não chega” Bruxelas está disponível “para trabalhar com o Governo português da melhor forma possível”.

Isso pode incluir, de acordo com Phil Hogan, “encontrar recursos financeiros adicionais no orçamento europeu para ajudar as populações nas zonas rurais”, que podem ser direcionados para a alimentação animal no inverno.

Além disso, acrescentou o comissário europeu, Bruxelas tem trabalhado conjuntamente para “aumentar as medidas de desenvolvimento rural e o adiantamento de pagamentos a pessoas afetadas pela seca e pelos fogos florestais”.

*A seca corresponde a fome.

.
.


6.OS MESTRES
DO DINHEIRO


Como uma série de 1996 está tão actual, à parte algumas afirmações "datadas", tudo o resto ensina-nos a compreender o espírito da Troika, a economia de Trump, os capitalismos russo e chinês.

FONTE: lucas84doc


* Nesta nova época de "bloguices" que vai de Setembro a Julho do próximo ano, iremos reeditar algumas séries que de forma especial sensibilizaram os nossos visitadores alguns anos atrás, esta é uma delas.

.
.
Sabores portugueses 
Na maior feira agroalimentar do mundo




FONTE: EURONEWS

.
.

ONU participa do Aty Kuña,  grande
assembleia das mulheres indígenas,
em Mato Grosso do Sul



FONTE: ONU Brasil

.
.
Para cozer os miolos/27


DOS RESTAURANTES MAIS ESTRANHOS DO MUNDO


FONTE: É MESMO É?


.
.

Fomos à
FEIRA POPULAR
1900-1910












.

.

1395
Senso d'hoje
MAHA MAMO  
FILHA DE PAIS SÍRIOS 
APÁTRIDA, VÍTIMA DA LEI SÍRIA 
"O BRASIL É O PAÍS ONDE EU EXISTO"

 

 FONTE: BBC Brasil


.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS








.
.

 TEIMOSIA INFANTIL


.
.

BOM DIA


.
.


56-CINEMA
FORA "D'ORAS"

IV-A CANÇÃO

DE LISBOA



A Canção de Lisboa é um filme português do género comédia, realizado e escrito por Pedro Varela e uma refilmagem do filme homónimo de 1933, do realizador Cottinelli Telmo. Estreou-se em Portugal a 14 de julho de 2016. Foi o terceiro filme da trilogia intitulada Novos Clássicos, produzida por Leonel Vieira, seguido pelos filmes O Pátio das Cantigas e O Leão da Estrela de 2015. 

 ELENCO 
César Mourão como Vasco 
Luana Martau como Alice 
Marcus Majella como Murilo 
São José Lapa como Margot 
Miguel Guilherme como José Caetano 
Maria Vieira como Maria José 
Dinarte de Freitas como Rui 
Carla Vasconcelos como Sónia 
Dimitry Bogomolov como Ivan 
Jani Zhao como aluna 
Nuno Markl como ele mesmo 
Ruy de Carvalho como Professor Mata

FONTE: Filmes PT


.