05/03/2020

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.

274-ACIDEZ
FEMININA


DIVÓRCIO PÓS PARTO,
PORQUE ACONTECE
COM FREQUÊNCIA


A IMPRESCÍNDIVEL TATY FERREIRA

* Uma produção "ACIDEZ FEMININA" - BRASIL

.
.

All About Them/4

I'm not used to cheating




FONTE:  Cinehouse

.
.
HOJE NO 
"JORNAL DE NEGÓCIOS"
Bolsa de Turismo de Lisboa adiada 
para maio devido ao coronavírus

A decisão é tomada depois de o Turismo de Portugal e as regiões de turismo terem cancelado a participação na BTL, e numa altura em que estão confirmados nove casos de Covid-19 em Portugal.

A Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) vai ser adiada. A informação foi avançada pela TSF e confirmada pelo Negócios junto de fonte oficial da maior feira turística do país. O evento estava marcado para a próxima semana, mas, devido aos últimos desenvolvimentos em torno do coronavírus, deverá decorrer apenas nos últimos dias de maio.
.
Ainda esta semana, a Fundação da Associação Industrial Portuguesa (AIP), entidade que organiza o evento, tinha assegurado que a BTL iria realizar-se entre 11 e 15 de março, como planeado originalmente. Contudo, na quarta-feira, o Turismo de Portugal anunciou o cancelamento da sua participação na BTL, juntamente com as estruturas regionais de turismo e de outras sete associações do setor.
Assim, a feira será mesmo adiada e irá decorrer entre os dias 27 e 31 de maio, confirma, esta quinta-feira, 5 de março, a Fundação AIP. Isto numa altura em que estão confirmados nove casos de Covid-19 em Portugal, havendo outros 115 casos suspeitos.

Esta edição da BTL tem inscritos, para já, 1.500 expositores de 67 destinos internacionais. No ano passado, a feira, que decorre em quatro pavilhões da FIL, foi visitada por cerca de 70 mil pessoas.

Em comunicado, a AIP garante estar confiante de que o evento irá realizar-se. "Em conjunto, seremos capazes de ultrapassar as circunstâncias do momento e seremos capazes de realizar, nas novas datas agora anunciadas, uma BTL ainda mais decisiva para a dinamização da promoção e realização de negócios no setor do turismo".

* A medida revela bom senso. Além da componente sanitária, sobre o vírus escreve-se e fala-se também com alguma ironia, nós alinhamos com a edição de algumas piadas, o que não piada nenhuma é que este vírus pode provocar mais de 500 milhões de desempregados em todo o mundo, muito grave. Desconfiamos que o patronato português estará na linha da frente para despedir.

.
.
Astronomia
Uma visão Geral I

Novas e Supernovas/1



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
 HOJE NO 
"CORREIO DA MANHÃ"
Cobra pitão albina de quatro metros capturada no Algarve

Animal é originário dos continentes africano e asiático e classificada como animal exótico.

Uma cobra pitão albina com quatro metros foi esta quinta-feira capturada na Fonte Benémola, em Querença, Loulé, após cidadãos terem alertado o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), disse à Lusa o diretor regional do instituto.
.
Segundo disse à Lusa Joaquim Castelão Rodrigues, o alerta chegou "por volta das 16h00", tendo sido enviada ao local uma patrulha de vigilantes de natureza do Parque Natural da Ria Formosa para o local, no distrito de Faro.

De acordo com aquele responsável, foram populares que "caminhavam num percurso pedestre junto à Fonte Benémola" que avistaram o animal, alertando as autoridades, "a quem enviaram um vídeo, a testemunhar o encontro e o real tamanho do réptil".

Após buscas no local, a patrulha de vigilantes "conseguiu capturar o espécime", confirmando os dados dos caminhantes e aferindo o tamanho de "quatro metros".

O animal irá "pernoitar nas instalações do ICNF" na Quinta de Marim, em Olhão, até que seja encontrado um local onde possa ser tratada, adiantou.

"Vamos procurar uma solução para a cobra, ver quem tem condições para ficar com ela, um 'zoo' aqui no Algarve, ou talvez em Lisboa", disse Joaquim Castelão Rodrigues.

Adiantando que não foi possível apurar a origem do animal, aquele responsável sublinhou que, sendo um animal exótico e albino, normalmente mantido em cativeiro, há uma "grande probabilidade que tenha sido libertada" por um cidadão, devido ao seu tamanho.

As cobras pitão são originárias dos continentes africano e asiático e classificadas como animais exóticos, mas apreciadas por algumas pessoas como animal de estimação e mantidas em cativeiro.

Nenhuma das serpentes desta família possui dentes inoculadores de veneno, porém, tem presas afiadas curvadas para dentro para agarrar sua presas.

Dependendo da espécie, o seu comprimento pode variar entre os quatro a seis metros.

* Não terá sido um encontro agradável,  quem a teria trazido para Portugal, quem a abandonou, quem responde?

.
.

LXXX-Cidades e soluções

Beata (bituca), de cigarro/2



 FONTE:   Poiato Recicla

.
.
HOJE NO 

"OBSERVADOR"
Motociclos envolvidos em acidentes rodoviários aumentaram 80% em janeiro

O relatório divulgado pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária esta quinta-feira avança que os acidentes que envolveram ciclomotores e motociclos aumentaram para 1.016 em 2020.

Os ciclomotores e motociclos envolvidos em acidentes rodoviários aumentaram 80% em janeiro face ao mesmo período de 2019, mas todos os indicadores da sinistralidade baixaram no primeiro mês de 2020, foi esta quinta-feira divulgado.
 .

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) passou a disponibilizar a partir desta quinta-feira relatórios mensais detalhados e integra, pela primeira vez, os indicadores dos acidentes nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

O relatório de janeiro esta quinta-feira divulgado mostra que o número de acidentes rodoviários em janeiro foi de 2.943 e provocaram 31 mortos, 146 feridos graves e 3.259 feridos ligeiros. Em relação ao mesmo mês de 2019, registaram-se menos 14 acidentes rodoviários com vítimas (-0,5%), menos 17 mortos (-35,4%), menos 27 feridos graves (-15,6%) e menos 263 feridos ligeiros (-7,5%).

Apesar da redução dos dados da sinistralidade verificada no Continente e na Madeira, nos Açores observou-se um agravamento de mais cinco acidentes com vítimas, mais uma vítima mortal e um ferido grave e mais de 20 feridos graves em relação a período homólogo de 2019. O relatório da ANSR faz, no entanto, uma análise mais pormenorizada aos desastres ocorridos em janeiros nas estradas do Continente, onde se registaram 2.825 acidentes com vítimas (menos 0,4% face a ao mesmo mês de 2019), 30 mortos (menos 33,3%), 130 feridos graves (menos 16,7%) e 3.121 feridos ligeiros (menos 8,2%).

De acordo com o mesmo documento, os acidentes que envolveram ciclomotores e motociclos aumentaram 80% em janeiro face ao mesmo mês de 2019, totalizando 1.016, sendo, no entanto, os automóveis ligeiros que mais estiveram envolvidos em desastres.
Entre 2016 e 2020, com exceção do número de acidentes com vítimas, que sofreu um aumento de sete por cento, todos os indicadores da sinistralidade apresentaram uma tendência decrescente”, indica o documento, frisando que, em janeiro, a colisão foi o tipo de desastre mais frequente, mas o maior número de vitimas mortais resultou de atropelamentos.

Segundo a ANSR, face ao mês de janeiro de 2019, há mais quatro vítimas mortais e uma redução de 28 feridos graves por atropelamento, bem como uma diminuição de oito a 11 mortos ocorridos em colisões e despistes. A maioria dos acidentes com vítimas e do número de mortos ocorreu em arruamentos, continuando a predominar os desastres dentro das localidades.

A Segurança Rodoviária indica também que, no primeiro mês do ano, 46,7% de total de vítimas mortais registou-se entre os peões, seguido dos condutores (40%) e passageiros (13,3%). Estes dados dizem respeito aos óbitos ocorridos no local do acidente ou durante o seu transporte para o hospital.
O relatório do primeiro mês do ano avança também com dados da fiscalização, dando conta que foram fiscalizados cerca de 12 milhões de veículos, mais 60,7% do que em janeiro de 2019, que resultaram em mais de 132 mil infrações, o que representa um aumento de 12,9%.

Segundo a ANSR, mais de metade (58,7%) das infrações registadas em janeiro é referente a excesso de velocidade.

* A guerra civil no asfalto continua, Portugal um país de paz?

.

CECÍLIA HONÓRIO

.






Ventura, Chicão e 
a velha “nova direita”

Estou do lado dos e das que entendem que, com menos nervosismo, a nova extrema-direita pode continuar a ser residual, mas à esquerda é bom que se perceba o que é velho e o que é novo e o que é “combate” e “guerra” nesta agenda ideológica.

Eles afirmam-se da “nova direita”, disputam o mesmo espaço e assemelham-se a tantos outros líderes de extrema-direita populista. São frutos dos dias, da trumpização da política, do populismo e do poder das redes sociais, mas a “nova direita” de Ventura e Chicão está cheia de ideias tiradas do baú da “nouvelle droite” à portuguesa de finais dos anos 70 e dos anos 80.

A “nova direita” daqueles tempos, influenciada por Alain de Benoist e com forte audiência na extrema-direita, foi, por cá, protagonizada, entre outros, por Diogo Pacheco de Amorim e Jaime Nogueira Pinto, defensores da “guerra cultural antimarxista”. Percebe-se que o segundo exulte, hoje, por ter encontrado as duas “caras” para a “guerra cultural” contra a “esquerda dominante” há meio século: Francisco Rodrigues dos Santos e André Ventura (Jaime Nogueira Pinto, Observador, “Sinais do Tempo”, 31 de janeiro (link is external)).

A “guerra cultural”, reciclada 40 anos depois, permanece um instrumento para o Chega e o CDS de Chicão ajustarem contas com o 25 de Abril e sustentarem a revisão da História. Para isso, quer o programa de um quer a moção ao congresso de outro recuperam o complô do passado: o “domínio da esquerda” na cultura, na academia, na comunicação social… Comparando o que é diferente em contexto e natureza, na moção “Voltar a Acreditar” (link is external) (que indicarei como MVA) e no “Programa Político Chega, 2019” (link is external) (PPCh) assinalam-se algumas das velhas orientações desta “nova direita”.

Combater a esquerda para responder à “emergência patriótica” perante a “quadrilha de esquerda que assaltou o sistema parlamentar” e combater o “domínio da esquerda na Cultura” (MVA). Para o Chega, a guerra cultural em curso é o combate à “ditadura do pensamento único igualitário em prejuízo da liberdade”, uma vez que “a loucura marxista não desarma” (PPCh) e o “marxismo-gramsciano” está em todo o lado, nas Artes, nas Letras, na Academia, nos meios de comunicação de massas.

Combater a igualdade, uma das mais fortes obsessões da Nova Direita dos anos 80, com a “batalha científica” pela prova da diferença, da hierarquia, do território, da unidade orgânica contra o igualitarismo, está intacta no programa do Chega. Com a rejeição da igualdade e a promoção da “diferença”, à luz de uma visão neopositivista das ciências sociais, tanto se justifica a condenação do Estado “igualizador” como a defesa da igualdade em dignidade “como a “única igualdade desejável para a nova direita”, sendo este eixo necessário para a avaliação do combate à “ideologia de género” e aos direitos LGBT.

Rever a História, contra a esquerda que impôs o “arrependimento coletivo” e para a qual a História e a Cultura são “intrinsecamente más”, fazendo “justiça à missão evangelizadora que Portugal preconizou no passado”, pois a “portugalidade não é um anacronismo” (MVA). Sendo certo que o Chega vai mais longe no ajuste de contas com a Revolução e a Constituição, propondo a IV República, registe-se que ambos investem na criação do Museu das Descobertas, na defesa da identidade nacional e do ensino de uma História de Portugal purgada do “revisionismo” da esquerda.

Recolocar a centralidade da família e reduzir o Estado, pois a família é “instância primária de poder” e exige a criação do Ministério da Família (PPCh), ou é “célula básica” da sociedade, para o “partido da família” (MVA). Ambos propõem libertar o cidadão do Estado, nomeadamente através da redução dos impostos, se bem que o Estado essencialmente “regulador” da moção de Chicão não é exatamente o mesmo que o “Estado arbitral” e a destruição do Estado Social do Chega. Este convoca os economistas do neoliberalismo, Hayek e Von Mises, e tanto propõe o fim do Ministério da Educação como sustenta que o Estado “não é prestador de bens e serviços no Mercado da Saúde”.

Quanto à economia e ao mundo, não há nada que o neoliberalismo não enquadre, que o mercado não resolva, e que a NATO e os EUA não alumiem, nada que os afaste do que a velha-nova direita defendeu há 40 anos. É certo que o programa do Chega refresca, nomeadamente com o fim do Pacto das Migrações da ONU e com o ataque a migrantes e refugiados, espólio da nova extrema-direita populista que deu palco a uma gigantesca campanha de desinformação nas redes sociais.

Depois do 25 de Abril, esta tralha ideológica deixou-os nos fundos da arrecadação da direita institucional, obrigados a engolir o sapo da integração nos partidos do sistema (PSD e CDS), ou a sobreviverem como opinantes e ideólogos de experiências fracassadas. Estou do lado dos e das que entendem que, com menos nervosismo, a nova extrema-direita pode continuar a ser residual, mas à esquerda é bom que se perceba o que é velho e o que é novo e o que é “combate” e “guerra” nesta agenda ideológica.

IN "PÚBLICO"
02/03/20

.
.


2204.UNIÃO



EUROPEIA



.
.
HOJE NO 
"RECORD"
«Transformou por completo 
a dinâmica do United»

Ingleses não poupam elogios a Bruno Fernandes Médio português não marcou nem assistiu, mas voltou a ser bastante elogiado

Mais um jogo, mais um resultado positivo para o Manchester United desde a chegada de Bruno Fernandes. Esta quinta-feira, para a Taça de Inglaterra, os red devils alcançaram a nona partida seguida sem perder (a sétima desde que o ex-Sporting chegou a Old Trafford), agora com um triunfo sem espinhas diante do Derby County, por 3-0. E mesmo não marcando, a verdade é que o internacional português voltou a destacar-se, tal como sucedeu com Diogo Dalot.
 .
DIOGO E BRUNO
Uma vez mais grande parte das análises deixaram palavras elogiosas para o médio luso, com o 'The Sun', por exemplo, a falar de "mais uma atuação impressionante, ainda que desta feita sem marcar". "Algumas das suas incursões nas zonas livres e também na área mostraram a Ole Gunnar Solskjaer aquilo que lhe faltava", acrescenta o título inglês, que atribui nota 8 ao médio.

Já o 'Independent', apontando a uma nota 7, diz que o "médio transformou por completo a dinâmica deste United e foi uma constante ameaça". "Foi o jogador que mais segurou a bola, com a maior parte dos ataques a passarem por ele", acrescenta.

O 'Squawka', por seu turno, não destaca a atuação em notas, mas refere que Bruno Fernandes "enquanto criativo esteve na origem de todos os bons ataques que o Manchester United realizou nos 67 minutos em que esteve em campo".

Quem não parece ter ficado muito impressionado foi o 'Standard', falando na sua análise de um dos "jogos menos eficazes" do português. "Imensa energia gasta na tentativa de se ligar a uma frente de ataque na qual faltou fluidez na primeira metade", escreve o referido título, apontando a uma exibição com nota 6. A mesma nota seria também atribuída pelo 'Daily Post': "Culpado pela sua impaciência em certos momentos, mas os seus riscos provaram-se necessários perante a oposição inicial do Derby."

Também em evidência esteve, Diogo Dalot, merecedor de nota 7 para o 'The Sun' ("atuação muito boa enquanto defesa direito por parte do suplente de Aaron Wan-Bissaka.") e para o 'Independent' ("muito bem defensivamente, ainda que raramente alvo de oposição, adicionou presença perigosa quando subiu"). Já o 'Standard' foi um pouco mais modesto na análise, tal como sucedera com Bruno Fernandes, apontando a uma nota 5: "Esforçado a percorrer e subir a linha, mas a sua bola final deixou a desejar vezes sem conta". Por fim, o 'Daily Post' atribui nota 6 e fala atuação na qual o defesa demorou algum tempo a assentar o seu jogo: "Acabaria por consegui-lo com o passar dos minutos"

* Noticiamos poucas notícias de futebol por considerarmos que a modalidade é uma das maiores lavandarias de dinheiro a nível mundial. No entanto a notícia refere a elevada qualidade de dois profissionais portugueses a jogar no MU e isso deixa-nos muito contentes.

.

.

VIII-OH MAR SALGADO

1-ƛ́ƓƲƛ-ƔƖƔƛ: ƤЄƦƖƓƠ ƖƝƔƖƧƖ́ƔЄԼ



𝑆𝑖𝑛𝑜𝑝𝑠𝑒: 𝐸𝑠𝑡𝑒 𝑝𝑟𝑜𝑔𝑟𝑎𝑚𝑎 𝑒𝑥𝑝𝑙𝑜𝑟𝑎 𝑑𝑒 𝑚𝑜𝑑𝑜 𝑐𝑖𝑒𝑛𝑡𝑖́𝑓𝑖𝑐𝑜, 𝑢𝑚 𝑝𝑟𝑒𝑑𝑎𝑑𝑜𝑟 𝑖𝑛𝑣𝑖𝑠𝑖́𝑣𝑒𝑙: 𝑎 𝑎́𝑔𝑢𝑎-𝑣𝑖𝑣𝑎. 𝐶𝑜𝑚𝑜 𝑢𝑚𝑎 𝑐𝑜𝑖𝑠𝑎 𝑡𝑎̃𝑜 𝑝𝑒𝑞𝑢𝑒𝑛𝑎 𝑝𝑜𝑑𝑒 𝑎𝑓𝑒𝑡𝑎𝑟 𝑡𝑎𝑛𝑡𝑎𝑠 𝑣𝑖𝑑𝑎𝑠? 𝑁𝑎 𝐴𝑢𝑠𝑡𝑟𝑎́𝑙𝑖𝑎, 𝟤𝟢𝟢𝟣 𝑒 𝟤𝟢𝟢𝟤 𝑓𝑜𝑟𝑎𝑚 𝑜𝑠 𝑎𝑛𝑜𝑠 𝑐𝑜𝑚 𝑚𝑎𝑖𝑠 𝑜𝑐𝑜𝑟𝑟𝑒̂𝑛𝑐𝑖𝑎𝑠 𝑑𝑒 𝑚𝑜𝑟𝑡𝑒𝑠 𝑝𝑜𝑟 𝑐𝑜𝑛𝑡𝑎𝑐𝑡𝑜 𝑐𝑜𝑚 𝑎́𝑔𝑢𝑎𝑠-𝑣𝑖𝑣𝑎𝑠. 

FONTE: Documentários Discovery Channel
.
 .

·ï¡÷¡ï·𝓡𝓞𝓣𝓔𝓘𝓡𝓞 𝓓𝓞 𝓢𝓐𝓑𝓔𝓡·ï¡÷¡ï·
1-𝐼𝒞𝒪𝒩𝐸𝒮 𝒟𝒪 𝑀𝒜𝒰 𝒞𝒪𝑀𝒫𝒪𝑅𝒯𝒜𝑀𝐸𝒩𝒯𝒪
1.1-𝓙𝓤́𝓛𝓘𝓞 𝓒𝓔́𝓢𝓐𝓡




FONTE:
Fabio Guerra
  .
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
"Voltaria a fazê-lo".
 Ana Gomes partilha mensagem
.manuscrita de Rui Pinto

Antiga eurodeputada partilhou no Twitter um bilhete escrito pelo hacker. "Como cidadão fiz simplesmente o meu dever ao ajudar a expor este e outros crimes", lê-se na nota.

O objetivo, explica Ana Gomes no Twitter, era ler a mensagem do hacker português durante a conferência europeia sobre corrupção no desporto, e que deveria ter acontecido em Florença. Devido ao surto de Covid-19, o encontro acabou por não acontecer e a antiga eurodeputada decidiu partilhar a mensagem na rede social.
.

No bilhete, manuscrito, Rui Pinto aborda as revelações feitas pelo Luanda Leaks - de que terá sido o autor da fuga de informação - e garante que "voltaria a fazê-lo", "mesmo sabendo de antemão da primitiva perseguição de que os denunciantes são alvo em Portugal". 

"Hoje eu deveria estar em Florença ⁦ [...]⁩ a participar [na] "High-Level Policy Dialogue on Corruption in Sports Governance" organizada por @MaduroPoiares. Pedi a Rui Pinto que escrevesse a mensagem para ali ler em seu nome. Covid19 adiou conferência. Aqui fica [a] mensagem", tuitou Ana Gomes.

No bilhete, Rui Pinto escreve que "O Luanda Leaks é o exemplo mais recente de que os denunciantes e o jornalismo de investigação são essenciais para a nossa democracia. Durante anos, e apesar dos constantes alertas de que Portugal se tornara uma plataforma de lavagem de dinheiro da cleptocracia angolana, as autoridades judiciárias e de regulação nada fizeram. Como cidadão fiz simplesmente o meu dever ao ajudar a expor este e outros crimes, e mesmo sabendo de antemão da primitiva perseguição de que os denunciantes são alvo em Portugal, voltaria a fazê-lo", escreveu Rui Pinto.

Depois de ter sido preso na Hungria e extraditado para Portugal, ao abrigo de um mandato internacional, Rui Pinto está preso desde março de 2019, tendo revelado recentemente que entregou um disco rígido à Plataforma de Proteção de Denunciantes na África, que permitiu a recente revelação dos Luanda Leaks, um caso de corrupção relacionado com a empresária angolana Isabel dos Santos.

Aos 30 anos, Rui Pinto vai ser julgado por 68 crimes de acesso indevido, por 14 crimes de violação de correspondência, por seis crimes de acesso ilegítimo e ainda por sabotagem informática à SAD do Sporting e por extorsão, na forma tentada, este último um crime pelo qual o advogado Aníbal Pinto também foi pronunciado.

* Sobre este caso estamos divididos, não percebemos que justificação existe para pedir a liberdade de um indivíduo que por conta própria invadiu a privacidade de entidades e pessoas.
Justifica-se que Rui Pinto acedeu aos sites de  organizações  criminosas e por isso devia ter outro tipo de atenção mas não se refere que ele queria extorquir dinheiro, porquê?

Hoje soubemos que os polícias portugueses têm pouca informação sobre o Covid-19, não têm equipamentos de protecção e não sabem como actuar quando confrontados com pessoas infectadas. Por causa do vírus uma médica que pretendia aceder por telefone a um centro de informação técnica específico, ligou durante 44 minutos e não obteve resposta. O MAI e a SAÚDE com dois ministros palavrosos mas ineficazes.

.
.
Ana Moura e Antonio Zambujo

Morna


.
.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/ 
/DA MADEIRA"
Funchal promove tertúlia sobre 
Igualdade de Género nas profissões

A Câmara Municipal do Funchal dinamizou, na tarde de ontem, no salão nobre da autarquia, a tertúlia ‘Em 2020 ainda existem papéis de género?’, inserida na Semana das Mulheres que assinala as comemorações do Dia Internacional da Mulher, celebrado no próximo dia 8 de Março.
.
O painel teve como convidados Raquel Ramos, piloto de aviação comercial, Leonor Pereira, campeã de karting, Nuno Farinha, a educadora de infância e Alferes Francisca Albergaria, oficial da GNR, “todas com profissões que outrora eram exercidas pelo género oposto e que a sociedade por vezes ainda descrimina”.

Este debate pretendeu precisamente “desmistificar esses preconceitos e combater esse julgamento que um determinado género não pode desempenhar esta ou aquela função”, explicou na ocasião a vereadora com o Pelouro da Igualdade no Município, Madalena Nunes.

A Semana das Mulheres tem o intuito de promover acções sobre a temática da Igualdade, através de um programa diversificado de sessões de informação e sensibilização, debates, oficinas de trabalho e jogos lúdico-pedagógicos.

A tertúlia contou com uma plateia com mais de uma centena de participantes, onde também estava presente Guida Vieira, Conselheira Municipal para a Igualdade.

Amanhã terá lugar na Biblioteca Municipal do Funchal o lançamento do livro ‘Feminismo e Igualdade’, e no dia 8 de Março será projectado o filme ‘Mulheres do Meu País’, de Raquel Freire, no Teatro Municipal Baltazar Dias, cujo bilhete tem um custo de 3 euros.

Além destas acções, o programa da Semana das Mulheres contempla actividades diárias com públicos infantil, juvenil e sénior e com a exposição ‘Mundo Igualitário do ponto de vista do género - Um tributo a quem luta pelos direitos das mulheres’, patente no Átrio da Câmara Municipal até dia 12 de Março.

* E abunda o machismo na Madeira...

.
.

ĆŘƗΜ€Ş ΜƗŁƗØŇÁŘƗØŞ
8.3-𝐵𝓇𝒾𝑔𝒶 𝒹𝑒 𝒻𝒶𝓂𝒾𝓁𝒾𝒶



FONTE: tbrsete

.
.

Outros malefícios
das calças jeans



 FONTE: Saúde da Mulher com Dra Laura Lucia
.
DESUMANIDADE
(OS BRANCOS EUROPEUS SÃO ASSIM)
Não há país que aceite o povo sírio, 
conta migrante na fronteira turco-grega

.
E DEFENDEM OS DIREITOS HUMANOS?


FONTE: euronews

.
.
Para cozer os miolos/149


A guerra dos sapatos: os irmãos inimigo
que fundaram a ADIDAS e a PUMA


FONTE:  Fatos Desconhecidos

.
.


4.PROVEDORIA DA ESTUPIDEZ

A Polícia de Segurança Pública (PSP) emitiu, esta quarta-feira à noite, um comunicado sobre as ocorrências relacionadas com as cerimónias fúnebres das vítimas da Segunda Circular, em Lisboa.

𝐀 𝐚𝐮𝐭𝐨𝐫𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐟𝐚𝐥𝐚 𝐝𝐞 𝐝𝐮𝐚𝐬 𝐬𝐢𝐭𝐮𝐚𝐜̧𝐨̃𝐞𝐬 𝐝𝐢𝐬𝐭𝐢𝐧𝐭𝐚𝐬, 𝐬𝐞𝐧𝐝𝐨 𝐪𝐮𝐞 𝐚 𝐩𝐫𝐢𝐦𝐞𝐢𝐫𝐚 𝐨𝐜𝐨𝐫𝐫𝐞𝐮 𝐩𝐞𝐥𝐚𝐬 𝟏𝟑𝐡𝟒𝟎: "𝐀𝐩𝐨́𝐬 𝐧𝐨𝐭𝐢́𝐜𝐢𝐚 𝐝𝐞 𝐪𝐮𝐞 𝐜𝐢𝐫𝐜𝐮𝐥𝐚𝐯𝐚 𝐮𝐦 𝐠𝐫𝐮𝐩𝐨 𝐝𝐞 𝐦𝐨𝐭𝐨𝐜𝐢𝐜𝐥𝐢𝐬𝐭𝐚𝐬 𝐞𝐦 𝐝𝐢𝐫𝐞𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐚̀ 𝐀𝐯𝐞𝐧𝐢𝐝𝐚 𝐃𝐨𝐦 𝐏𝐞𝐝𝐫𝐨 𝐕, 𝐧𝐚 𝐃𝐚𝐦𝐚𝐢𝐚, 𝐬𝐞𝐦 𝐜𝐚𝐩𝐚𝐜𝐞𝐭𝐞𝐬, 𝐨 𝐠𝐫𝐮𝐩𝐨 𝐟𝐨𝐢 𝐚𝐛𝐨𝐫𝐝𝐚𝐝𝐨 𝐩𝐨𝐫 𝐩𝐨𝐥𝐢́𝐜𝐢𝐚𝐬 𝐝𝐚 𝐄𝐬𝐪𝐮𝐚𝐝𝐫𝐚 𝐝𝐞 𝐓𝐫𝐚̂𝐧𝐬𝐢𝐭𝐨 𝐝𝐚 𝐃𝐢𝐯𝐢𝐬𝐚̃𝐨 𝐏𝐨𝐥𝐢𝐜𝐢𝐚𝐥 𝐝𝐚 𝐀𝐦𝐚𝐝𝐨𝐫𝐚", 𝐜𝐨𝐦𝐞𝐜̧𝐚 𝐩𝐨𝐫 𝐞𝐱𝐩𝐥𝐢𝐜𝐚𝐫 𝐚 𝐏𝐒𝐏.

𝐃𝐮𝐫𝐚𝐧𝐭𝐞 𝐞𝐬𝐭𝐚 𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨, 𝐨𝐬 𝐚𝐠𝐞𝐧𝐭𝐞𝐬 𝐟𝐨𝐫𝐚𝐦 "𝐜𝐞𝐫𝐜𝐚𝐝𝐨𝐬 𝐝𝐞 𝐟𝐨𝐫𝐦𝐚 𝐡𝐨𝐬𝐭𝐢𝐥 𝐩𝐨𝐫 𝐦𝐚𝐢𝐬 𝐦𝐨𝐭𝐨𝐜𝐢𝐜𝐥𝐢𝐬𝐭𝐚𝐬, 𝐪𝐮𝐞 𝐞𝐧𝐭𝐫𝐞𝐭𝐚𝐧𝐭𝐨 𝐟𝐨𝐫𝐚𝐦 𝐜𝐡𝐞𝐠𝐚𝐧𝐝𝐨", 𝐭𝐞𝐧𝐝𝐨 𝐬𝐢𝐝𝐨 𝐞𝐦𝐩𝐮𝐫𝐫𝐚𝐝𝐨𝐬. 𝐓𝐞𝐧𝐭𝐚𝐫𝐚𝐦 𝐚𝐢𝐧𝐝𝐚 "𝐢𝐦𝐩𝐞𝐝𝐢𝐫 𝐚 𝐟𝐢𝐬𝐜𝐚𝐥𝐢𝐳𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐝𝐨𝐬 𝐢𝐧𝐟𝐫𝐚𝐭𝐨𝐫𝐞𝐬, 𝐜𝐡𝐞𝐠𝐚𝐧𝐝𝐨 𝐚𝐭𝐞́ 𝐚 𝐭𝐞𝐧𝐭𝐚𝐫 𝐚 𝐚𝐠𝐫𝐞𝐬𝐬𝐚̃𝐨 𝐚𝐨𝐬 𝐚𝐠𝐞𝐧𝐭𝐞𝐬". 
.

"𝐏𝐞𝐫𝐚𝐧𝐭𝐞 𝐨 𝐚𝐮𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 𝐝𝐚 𝐚𝐦𝐞𝐚𝐜̧𝐚 𝐞 𝐝𝐞 𝐟𝐨𝐫𝐦𝐚 𝐚 𝐫𝐞𝐬𝐭𝐚𝐛𝐞𝐥𝐞𝐜𝐞𝐫 𝐚 𝐨𝐫𝐝𝐞𝐦 𝐞 𝐦𝐚𝐧𝐭𝐞𝐫 𝐚 𝐬𝐞𝐠𝐮𝐫𝐚𝐧𝐜̧𝐚 𝐝𝐨𝐬 𝐩𝐨𝐥𝐢́𝐜𝐢𝐚𝐬 𝐧𝐨 𝐥𝐨𝐜𝐚𝐥, 𝐞𝐦 𝐧𝐮́𝐦𝐞𝐫𝐨 𝐦𝐚𝐧𝐢𝐟𝐞𝐬𝐭𝐚𝐦𝐞𝐧𝐭𝐞 𝐢𝐧𝐟𝐞𝐫𝐢𝐨𝐫 𝐚𝐨𝐬 𝐝𝐞𝐬𝐨𝐫𝐝𝐞𝐢𝐫𝐨𝐬, 𝐟𝐨𝐢 𝐧𝐞𝐜𝐞𝐬𝐬𝐚́𝐫𝐢𝐨 𝐫𝐞𝐜𝐨𝐫𝐫𝐞𝐫 𝐚𝐨 𝐫𝐞𝐜𝐮𝐫𝐬𝐨 𝐩𝐚𝐬𝐬𝐢𝐯𝐨 𝐝𝐚 𝐚𝐫𝐦𝐚 𝐝𝐞 𝐟𝐨𝐠𝐨, 𝐛𝐞𝐦 𝐜𝐨𝐦𝐨 𝐚̀ 𝐚𝐩𝐫𝐨𝐱𝐢𝐦𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐝𝐚 𝐯𝐢𝐚𝐭𝐮𝐫𝐚 𝐩𝐨𝐥𝐢𝐜𝐢𝐚𝐥, 𝐜𝐨𝐦𝐨 𝐟𝐨𝐫𝐦𝐚 𝐝𝐞 𝐝𝐢𝐬𝐬𝐮𝐚𝐬𝐚̃𝐨, 𝐭𝐞𝐧𝐝𝐨 𝐧𝐨 𝐞𝐧𝐭𝐚𝐧𝐭𝐨, 𝐡𝐚𝐯𝐢𝐝𝐨 𝐜𝐨𝐧𝐭𝐢𝐧𝐮𝐚𝐝𝐚𝐦𝐞𝐧𝐭𝐞 𝐮𝐦 𝐚𝐮𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 𝐝𝐚 𝐡𝐨𝐬𝐭𝐢𝐥𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐩𝐨𝐫 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐞 𝐝𝐨𝐬 𝐢𝐧𝐭𝐞𝐫𝐯𝐞𝐧𝐢𝐞𝐧𝐭𝐞𝐬", 𝐬𝐮𝐛𝐥𝐢𝐧𝐡𝐚 𝐚 𝐏𝐒𝐏 𝐧𝐚 𝐦𝐞𝐬𝐦𝐚 𝐧𝐨𝐭𝐚. 
 .
𝐂𝐨𝐦 𝐚 𝐜𝐡𝐞𝐠𝐚𝐝𝐚 𝐝𝐞 𝐦𝐚𝐢𝐬 𝐦𝐞𝐢𝐨𝐬 𝐝𝐚𝐬 𝐟𝐨𝐫𝐜̧𝐚𝐬 𝐝𝐞 𝐬𝐞𝐠𝐮𝐫𝐚𝐧𝐜̧𝐚 𝐚𝐨 𝐥𝐨𝐜𝐚𝐥, 𝐨 𝐠𝐫𝐮𝐩𝐨 𝐝𝐢𝐬𝐩𝐞𝐫𝐬𝐨𝐮. 𝐂𝐨𝐧𝐭𝐮𝐝𝐨, "𝐩𝐞𝐫𝐚𝐧𝐭𝐞 𝐚 𝐚𝐮𝐬𝐞̂𝐧𝐜𝐢𝐚 𝐝𝐞 𝐜𝐨𝐧𝐝𝐢𝐜̧𝐨̃𝐞𝐬 𝐝𝐞 𝐬𝐞𝐠𝐮𝐫𝐚𝐧𝐜̧𝐚 𝐧𝐚̃𝐨 𝐟𝐨𝐢 𝐩𝐨𝐬𝐬𝐢́𝐯𝐞𝐥 𝐩𝐫𝐨𝐜𝐞𝐝𝐞𝐫 𝐚̀ 𝐢𝐝𝐞𝐧𝐭𝐢𝐟𝐢𝐜𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐝𝐞 𝐧𝐞𝐧𝐡𝐮𝐦 𝐝𝐞𝐬𝐨𝐫𝐝𝐞𝐢𝐫𝐨."

𝐍𝐨𝐮𝐭𝐫𝐨 𝐜𝐚𝐬𝐨, 𝐩𝐞𝐥𝐚𝐬 𝟏𝟓𝐡𝟑𝟎, 𝐟𝐨𝐢 𝐚𝐯𝐚𝐧𝐜̧𝐚𝐝𝐨 𝐩𝐨𝐫 𝐦𝐞𝐢𝐨𝐬 𝐝𝐞 𝐜𝐨𝐦𝐮𝐧𝐢𝐜𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐚 𝐧𝐨𝐭𝐢́𝐜𝐢𝐚 𝐝𝐞 𝐮𝐦 𝐠𝐫𝐮𝐩𝐨 𝐞𝐥𝐞𝐯𝐚𝐝𝐨 𝐝𝐞 𝐦𝐨𝐭𝐨𝐜𝐢𝐜𝐥𝐢𝐬𝐭𝐚𝐬 𝐪𝐮𝐞 𝐚𝐜𝐨𝐦𝐩𝐚𝐧𝐡𝐚𝐯𝐚𝐦 𝐮𝐦𝐚 𝐜𝐞𝐫𝐢𝐦𝐨́𝐧𝐢𝐚 𝐟𝐮́𝐧𝐞𝐛𝐫𝐞 𝐞𝐦 𝐝𝐢𝐫𝐞𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐚𝐨 𝐂𝐞𝐦𝐢𝐭𝐞́𝐫𝐢𝐨 𝐝𝐨𝐬 𝐏𝐫𝐚𝐳𝐞𝐫𝐞𝐬, 𝐧𝐚 𝐄𝐬𝐭𝐫𝐞𝐥𝐚, 𝐞𝐦 𝐋𝐢𝐬𝐛𝐨𝐚 𝐞 "𝐪𝐮𝐞 𝐞𝐟𝐞𝐭𝐮𝐚𝐯𝐚𝐦 𝐚𝐜𝐞𝐥𝐞𝐫𝐚𝐜̧𝐨̃𝐞𝐬 𝐜𝐨𝐧𝐬𝐭𝐚𝐧𝐭𝐞𝐬 𝐞 𝐫𝐮𝐢𝐝𝐨𝐬𝐚𝐬, 𝐭𝐞𝐧𝐝𝐨 𝐝𝐚𝐝𝐨 𝐞𝐧𝐭𝐫𝐚𝐝𝐚 𝐜𝐨𝐦 𝐨𝐬 𝐦𝐨𝐭𝐨𝐜𝐢𝐜𝐥𝐨𝐬 𝐧𝐨 𝐫𝐞𝐟𝐞𝐫𝐢𝐝𝐨 𝐜𝐞𝐦𝐢𝐭𝐞́𝐫𝐢𝐨, 𝐩𝐫𝐨𝐯𝐨𝐜𝐚𝐧𝐝𝐨 𝐞𝐥𝐞𝐯𝐚𝐝𝐨 𝐫𝐮𝐢𝐝𝐨 𝐞 𝐩𝐨𝐥𝐮𝐢𝐜̧𝐚̃𝐨".

"𝐓𝐞𝐧𝐝𝐨 𝐞𝐦 𝐜𝐨𝐧𝐭𝐚 𝐨 𝐥𝐨𝐜𝐚𝐥" 𝐞 𝐨 "𝐝𝐞𝐜𝐨𝐫𝐫𝐞𝐫 𝐝𝐨 𝐞𝐧𝐭𝐞𝐫𝐫𝐨", 𝐭𝐞𝐧𝐭𝐚𝐧𝐝𝐨 "𝐞𝐯𝐢𝐭𝐚𝐫 𝐞𝐱𝐩𝐨𝐧𝐞𝐧𝐜𝐢𝐚𝐫 𝐨 𝐜𝐨𝐧𝐟𝐥𝐢𝐭𝐨 𝐞𝐧𝐭𝐫𝐞 𝐨𝐬 𝐢𝐧𝐭𝐞𝐫𝐯𝐞𝐧𝐢𝐞𝐧𝐭𝐞𝐬", 𝐨𝐬 𝐩𝐨𝐥𝐢́𝐜𝐢𝐚𝐬 𝐦𝐨𝐧𝐢𝐭𝐨𝐫𝐢𝐳𝐚𝐫𝐚𝐦 𝐚 𝐬𝐢𝐭𝐮𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐩𝐚𝐫𝐚 𝐪𝐮𝐞 𝐞𝐬𝐭𝐚 𝐧𝐚̃𝐨 "𝐚𝐥𝐭𝐞𝐫𝐚𝐬𝐬𝐞 𝐚 𝐨𝐫𝐝𝐞𝐦 𝐞 𝐭𝐫𝐚𝐧𝐪𝐮𝐢𝐥𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞". 
.

𝐀 𝐏𝐒𝐏 𝐚𝐩𝐮𝐫𝐨𝐮 𝐚 𝐢𝐝𝐞𝐧𝐭𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐝𝐞 𝐚𝐥𝐠𝐮𝐦𝐚𝐬 𝐦𝐚𝐭𝐫𝐢́𝐜𝐮𝐥𝐚𝐬 𝐞 𝐩𝐨𝐬𝐭𝐞𝐫𝐢𝐨𝐫𝐦𝐞𝐧𝐭𝐞 𝐚𝐠𝐢𝐫𝐚́ 𝐞𝐦 𝐜𝐨𝐧𝐟𝐨𝐫𝐦𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐜𝐨𝐦 𝐚𝐬 𝐢𝐧𝐟𝐫𝐚𝐜𝐜̧𝐨̃𝐞𝐬 𝐯𝐞𝐫𝐢𝐟𝐢𝐜𝐚𝐝𝐚𝐬 𝐞𝐦 𝐚𝐦𝐛𝐚𝐬 𝐚𝐬 𝐬𝐢𝐭𝐮𝐚𝐜̧𝐨̃𝐞𝐬, 𝐜𝐨𝐧𝐜𝐥𝐮𝐢 𝐨 𝐜𝐨𝐦𝐮𝐧𝐢𝐜𝐚𝐝𝐨.

𝐃𝐞 𝐫𝐞𝐜𝐨𝐫𝐝𝐚𝐫 𝐪𝐮𝐞 𝐮𝐦𝐚 𝐯𝐢𝐚𝐭𝐮𝐫𝐚 𝐥𝐢𝐠𝐞𝐢𝐫𝐚 𝐬𝐞 𝐝𝐞𝐬𝐩𝐢𝐬𝐭𝐨𝐮 𝐜𝐞𝐫𝐜𝐚 𝐝𝐚 𝟏𝐡𝟎𝟎 𝐝𝐞 𝐬𝐞𝐱𝐭𝐚-𝐟𝐞𝐢𝐫𝐚, 𝐧𝐮𝐦 𝐚𝐜𝐢𝐝𝐞𝐧𝐭𝐞 𝐪𝐮𝐞 𝐜𝐚𝐮𝐬𝐨𝐮 𝐚 𝐦𝐨𝐫𝐭𝐞 𝐚 𝐭𝐫𝐞̂𝐬 𝐡𝐨𝐦𝐞𝐧𝐬, 𝐮́𝐧𝐢𝐜𝐨𝐬 𝐨𝐜𝐮𝐩𝐚𝐧𝐭𝐞𝐬 𝐝𝐨 𝐜𝐚𝐫𝐫𝐨. 𝐎 𝐯𝐞𝐢́𝐜𝐮𝐥𝐨 𝐜𝐚𝐩𝐨𝐭𝐨𝐮 𝐞 𝐞𝐦𝐛𝐚𝐭𝐞𝐮 𝐧𝐮𝐦 𝐩𝐨𝐬𝐭𝐞 𝐝𝐞 𝐢𝐥𝐮𝐦𝐢𝐧𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨, 𝐪𝐮𝐞 𝐚𝐜𝐚𝐛𝐨𝐮 𝐩𝐨𝐫 𝐢𝐧𝐯𝐚𝐝𝐢𝐫 𝐚𝐬 𝐯𝐢𝐚𝐬 𝐝𝐨 𝐬𝐞𝐧𝐭𝐢𝐝𝐨 𝐜𝐨𝐧𝐭𝐫𝐚́𝐫𝐢𝐨 (𝐁𝐞𝐧𝐟𝐢𝐜𝐚-𝐀𝐞𝐫𝐨𝐩𝐨𝐫𝐭𝐨), 𝐝𝐚𝐧𝐢𝐟𝐢𝐜𝐚𝐧𝐝𝐨 𝐮𝐦 𝐩𝐨́𝐫𝐭𝐢𝐜𝐨 𝐝𝐞 𝐩𝐚𝐢𝐧𝐞́𝐢𝐬 𝐝𝐢𝐫𝐞𝐜𝐢𝐨𝐧𝐚𝐢𝐬.

𝐉𝐚́ 𝐧𝐚 𝐬𝐞𝐱𝐭𝐚-𝐟𝐞𝐢𝐫𝐚 𝐨 𝐭𝐫𝐚̂𝐧𝐬𝐢𝐭𝐨 𝐞𝐬𝐭𝐞𝐯𝐞 𝐩𝐚𝐫𝐜𝐢𝐚𝐥𝐦𝐞𝐧𝐭𝐞 𝐜𝐨𝐫𝐭𝐚𝐝𝐨 𝐩𝐚𝐫𝐚 𝐚 𝐫𝐞𝐭𝐢𝐫𝐚𝐝𝐚 𝐝𝐨 𝐩𝐨́𝐫𝐭𝐢𝐜𝐨 𝐢𝐧𝐟𝐨𝐫𝐦𝐚𝐭𝐢𝐯𝐨 𝐪𝐮𝐞 𝐟𝐢𝐜𝐨𝐮 𝐝𝐚𝐧𝐢𝐟𝐢𝐜𝐚𝐝𝐨 𝐚𝐪𝐮𝐚𝐧𝐝𝐨 𝐝𝐨 𝐚𝐜𝐢𝐝𝐞𝐧𝐭𝐞. .

FONTE: https://www.noticiasaominuto.com/pais/

Não vamos tecer muitas considerações sobre as boçalidades com que a PSP se confrontou e registou em comunicado.

Tudo o que aconteceu nos funerais era previsível, tudo o que for um atentado à paz social é chamariz para estes cobardolas que apenas são capazes de "ajavardar" quando são muitos. Temos de confessar que os defuntos não tiveram qualquer responsabilidade nas festividades.

Desejamos que os primatas participantes nas várias manifestações tenham também funerais agendados para breve e para os quais aconselhamos acompanhamento musical da Maria Leal ou do Zé Cabra.

A REDACÇÃO

.
.
COVID-19
COMBATE EFICAZ



.
.


2266
Senso d'hoje
RÚBEN TIAGO PEREIRA
JORNALISTA
JORNAL "EXPRESSO"
Portugal está mesmo preparado
para lidar com o coronavírus?



FONTE:
.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS






.
.

'MI' DÁ ATENÇÃO!


.
.

BOM DIA


.

.

93-CINEMA
FORA "D'ORAS"

𝒳𝐼𝐼-A cαѕα ∂σѕ єѕριяιтσѕ




𝒮𝐼𝒩𝒪𝒫𝒮𝐸:

𝒜 𝓃𝒶𝓇𝓇𝒶𝓉𝒾𝓋𝒶 𝑒́ 𝒸𝑒𝓃𝓉𝓇𝒶𝒹𝒶 𝓃𝒶 𝓋𝒾𝒹𝒶 𝒹𝒶 𝒻𝒶𝓂𝒾́𝓁𝒾𝒶 𝒯𝓇𝓊𝑒𝒷𝒶 𝑒 𝒶𝒸𝑜𝓂𝓅𝒶𝓃𝒽𝒶 𝓉𝓇𝑒̂𝓈 𝒹𝑒 𝓈𝓊𝒶𝓈 𝑔𝑒𝓇𝒶𝒸̧𝑜̃𝑒𝓈 𝓅𝑜𝓇 𝓂𝑒𝒾𝑜 𝒹𝒶𝓈 𝓅𝑒𝓇𝓈𝑜𝓃𝒶𝑔𝑒𝓃𝓈 𝒻𝑒𝓂𝒾𝓃𝒾𝓃𝒶𝓈 𝓆𝓊𝑒 𝑒𝓃𝒸𝒶𝓇𝓃𝒶𝓂 𝑜 𝓁𝓊𝑔𝒶𝓇 𝒹𝑒 𝓂𝒶̃𝑒, 𝒹𝑒 𝒻𝒾𝓁𝒽𝒶 𝑒 𝒹𝑒 𝓃𝑒𝓉𝒶, 𝓅𝑒𝓇𝒸𝑜𝓇𝓇𝑒𝓃𝒹𝑜 𝓆𝓊𝒶𝓈𝑒 𝓉𝑜𝒹𝑜 𝑜 𝓈𝑒́𝒸𝓊𝓁𝑜 𝒳𝒳..

𝒪 𝒹𝓇𝒶𝓂𝒶 𝓅𝒶𝓈𝓈𝒶-𝓈𝑒 𝓃𝓊𝓂 𝓅𝒶𝒾́𝓈 𝒾𝓃𝑜𝓂𝒾𝓃𝒶𝒹𝑜 𝑒 𝒻𝒾𝒸𝓉𝒾́𝒸𝒾𝑜, 𝓅𝑜𝓇𝑒́𝓂 𝒸𝑜𝓂 𝓅𝓇𝑜𝓅𝑜́𝓈𝒾𝓉𝒶 𝑒 𝑒𝓍𝓅𝓁𝒾́𝒸𝒾𝓉𝒶 𝓈𝑒𝓂𝑒𝓁𝒽𝒶𝓃𝒸̧𝒶 𝒸𝑜𝓂 𝑜 𝒞𝒽𝒾𝓁𝑒, 𝑒𝓈𝓅𝑒𝒸𝒾𝒶𝓁𝓂𝑒𝓃𝓉𝑒 𝓃𝒶 𝓈𝓊𝒶 𝒸𝑜𝓂𝓅𝑜𝓈𝒾𝒸̧𝒶̃𝑜 𝓈𝑜́𝒸𝒾𝑜-𝑒𝒸𝑜𝓃𝑜́𝓂𝒾𝒸𝒶 𝑒 𝒸𝑜𝓃𝓋𝓊𝓁𝓈𝑜̃𝑒𝓈 𝓅𝑜𝓁𝒾́𝓉𝒾𝒸𝒶𝓈, 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝑜 𝓁𝒶𝓉𝒾𝒻𝓊́𝓃𝒹𝒾𝑜 𝑒 𝑜 𝑔𝑜𝓁𝓅𝑒 𝓂𝒾𝓁𝒾𝓉𝒶𝓇 𝒹𝑒 𝟣𝟫𝟩𝟥.

𝒢𝓇𝒶𝓃𝒹𝑒 𝓅𝒶𝓇𝓉𝑒 𝒹𝒶𝓈 𝒸𝑒𝓃𝒶𝓈 𝒻𝑜𝒾 𝒻𝒾𝓁𝓂𝒶𝒹𝒶 𝓃𝒶 𝒟𝒾𝓃𝒶𝓂𝒶𝓇𝒸𝒶, 𝑒𝓂 𝐿𝒾𝓈𝒷𝑜𝒶 𝑒 𝒞𝑒𝓇𝒸𝒶𝓁 𝒹𝑜 𝒜𝓁𝑒𝓃𝓉𝑒𝒿𝑜

𝒜𝓁𝑒́𝓂 𝒹𝒾𝓈𝓈𝑜, 𝒶 𝑒𝓈𝒸𝓇𝒾𝓉𝑜𝓇𝒶 𝒷𝒶𝓈𝑒𝑜𝓊-𝓈𝑒 𝓃𝒶 𝒽𝒾𝓈𝓉𝑜́𝓇𝒾𝒶 𝒹𝑒 𝓈𝓊𝒶 𝓅𝓇𝑜́𝓅𝓇𝒾𝒶 𝒻𝒶𝓂𝒾́𝓁𝒾𝒶, 𝒶̀ 𝓆𝓊𝒶𝓁 𝒶𝒹𝒾𝒸𝒾𝑜𝓃𝑜𝓊 𝒶𝒸𝑜𝓃𝓉𝑒𝒸𝒾𝓂𝑒𝓃𝓉𝑜𝓈 𝑒 𝓅𝑒𝓇𝓈𝑜𝓃𝒶𝑔𝑒𝓃𝓈 𝒻𝒾𝒸𝓉𝒾́𝒸𝒾𝑜𝓈, 𝓆𝓊𝑒 𝒹𝒶̃𝑜 𝑔𝓇𝒶𝓃𝒹𝑒 𝓇𝒾𝓆𝓊𝑒𝓏𝒶 𝑒 𝒹𝓇𝒶𝓂𝒶𝓉𝒾𝒸𝒾𝒹𝒶𝒹𝑒 𝒶̀ 𝒽𝒾𝓈𝓉𝑜́𝓇𝒾𝒶.

𝒮𝒶̃𝑜 𝓉𝓇𝑒̂𝓈 𝓅𝓇𝑜𝓉𝒶𝑔𝑜𝓃𝒾𝓈𝓉𝒶𝓈, 𝒶𝓈 𝓉𝓇𝑒̂𝓈 𝑔𝑒𝓇𝒶𝒸̧𝑜̃𝑒𝓈 𝒹𝑒 𝓂𝓊𝓁𝒽𝑒𝓇𝑒𝓈 𝓆𝓊𝑒 𝓈𝒶̃𝑜 𝒶 𝒷𝒶𝓈𝑒 𝓅𝒶𝓇𝒶 𝑜 𝒶𝒸𝑜𝓂𝓅𝒶𝓃𝒽𝒶𝓂𝑒𝓃𝓉𝑜 𝒹𝒶 𝓈𝓊𝒸𝑒𝓈𝓈𝒶̃𝑜 𝑔𝑒𝓇𝒶𝒸𝒾𝑜𝓃𝒶𝓁 𝒹𝒶 𝓃𝒶𝓇𝓇𝒶𝓉𝒾𝓋𝒶; 𝓉𝑜𝒹𝒶𝓈 𝒸𝑜𝓂 𝓋𝒾𝒹𝒶𝓈 𝒹𝒾𝒻𝒾́𝒸𝑒𝒾𝓈 𝑒 𝒶𝒸𝑜𝓃𝓉𝑒𝒸𝒾𝓂𝑒𝓃𝓉𝑜𝓈 𝓂𝒶𝓇𝒸𝒶𝓃𝓉𝑒𝓈 𝑒 𝓉𝓇𝒶𝓊𝓂𝒶́𝓉𝒾𝒸𝑜𝓈: 𝒞𝓁𝒶𝓇𝒶, 𝒶 "𝒸𝓁𝒶𝓇𝒾𝓋𝒾𝒹𝑒𝓃𝓉𝑒", 𝓈𝓊𝒶 𝒻𝒾𝓁𝒽𝒶 𝐵𝓁𝒶𝓃𝒸𝒶 𝑒 𝒶 𝓃𝑒𝓉𝒶 𝒜𝓁𝒷𝒶, 𝓆𝓊𝑒 𝑒́ 𝑜 𝒶𝓁𝓉𝑒𝓇-𝑒𝑔𝑜 𝒹𝒶 𝓅𝓇𝑜́𝓅𝓇𝒾𝒶 𝐼𝓈𝒶𝒷𝑒𝓁.

𝐸𝓈𝓈𝒶𝓈 𝓂𝓊𝓁𝒽𝑒𝓇𝑒𝓈, 𝒻𝑒𝓂𝒾𝓃𝒾𝓃𝒶𝓈 𝑒 𝒻𝑜𝓇𝓉𝑒𝓈, 𝑒𝓃𝒻𝓇𝑒𝓃𝓉𝒶𝓂 𝒸𝑜𝓂 𝒸𝑜𝓇𝒶𝑔𝑒𝓂 𝒶𝓈 𝓅𝒶𝒾𝓍𝑜̃𝑒𝓈, 𝑜𝓈 𝒹𝓇𝒶𝓂𝒶𝓈 𝒻𝒶𝓂𝒾𝓁𝒾𝒶𝓇𝑒𝓈 𝑒 𝑜𝓈 𝒶𝒸𝑜𝓃𝓉𝑒𝒸𝒾𝓂𝑒𝓃𝓉𝑜𝓈 𝓉𝓊𝓇𝒷𝓊𝓁𝑒𝓃𝓉𝑜𝓈 𝒹𝑒 𝓈𝓊𝒶𝓈 𝑒́𝓅𝑜𝒸𝒶𝓈.
𝒜𝓈 𝓋𝒾𝓋𝑒̂𝓃𝒸𝒾𝒶𝓈 𝑒 𝒹𝒾𝒻𝒾𝒸𝓊𝓁𝒹𝒶𝒹𝑒𝓈 𝓅𝒶𝓈𝓈𝒶𝒹𝒶𝓈 𝓅𝑜𝓇 𝒸𝒶𝒹𝒶 𝓊𝓂𝒶 𝒹𝑒𝓁𝒶𝓈 𝓃𝒶̃𝑜 𝓈𝑒 𝒾𝓃𝓉𝑒𝓇𝓇𝑜𝓂𝓅𝑒𝓂 𝓅𝒶𝓇𝒶 𝒹𝒶𝓇 𝒾𝓃𝒾́𝒸𝒾𝑜 𝒶 𝓊𝓂 𝓃𝑜𝓋𝑜 𝒸𝒾𝒸𝓁𝑜 𝒸𝑜𝓂 𝒶 𝓈𝑒𝑔𝓊𝒾𝓃𝓉𝑒, 𝓂𝒶𝓈 𝓈𝒾𝓂 𝓈𝑒 𝓈𝑜𝒷𝓇𝑒𝓅𝑜̃𝑒𝓂 𝑒 𝑒𝒸𝑜𝒶𝓂 𝑒𝓂 𝓊𝓂𝒶 𝓁𝒾𝑔𝒶𝒸̧𝒶̃𝑜 𝓂𝒶𝒾𝓈 𝓆𝓊𝑒 𝓂𝒶𝓉𝑒𝓇𝓃𝒶𝓁, 𝑒𝓈𝓅𝒾𝓇𝒾𝓉𝓊𝒶𝓁 𝑒𝓃𝓉𝓇𝑒 𝒶𝓈 𝑔𝑒𝓇𝒶𝒸̧𝑜̃𝑒𝓈. 


𝓔𝓛𝓔𝓝𝓒𝓞:

𝑀𝑒𝓇𝓎𝓁 𝒮𝓉𝓇𝑒𝑒𝓅 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝒞𝓁𝒶𝓇𝒶 𝒹𝑒𝓁 𝒱𝒶𝓁𝓁𝑒 𝒯𝓇𝓊𝑒𝒷𝒶  
𝒢𝓁𝑒𝓃𝓃 𝒞𝓁𝑜𝓈𝑒 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝐹𝑒́𝓇𝓊𝓁𝒶 𝒯𝓇𝓊𝑒𝒷𝒶  
𝒥𝑒𝓇𝑒𝓂𝓎 𝐼𝓇𝑜𝓃𝓈 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝐸𝓈𝓉𝑒𝒷𝒶𝓃 𝒯𝓇𝓊𝑒𝒷𝒶  
𝒲𝒾𝓃𝑜𝓃𝒶 𝑅𝓎𝒹𝑒𝓇 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝐵𝓁𝒶𝓃𝒸𝒶 𝒯𝓇𝓊𝑒𝒷𝒶  
𝒜𝓃𝓉𝑜𝓃𝒾𝑜 𝐵𝒶𝓃𝒹𝑒𝓇𝒶𝓈 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝒫𝑒𝒹𝓇𝑜 𝒯𝑒𝓇𝒸𝑒𝓇𝑜 𝒢𝒶𝓇𝒸𝒾́𝒶  
𝒱𝒶𝓃𝑒𝓈𝓈𝒶 𝑅𝑒𝒹𝑔𝓇𝒶𝓋𝑒 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝒩𝒾́𝓋𝑒𝒶 𝒹𝑒𝓁 𝒱𝒶𝓁𝓁𝑒  
𝒜𝓇𝓂𝒾𝓃 𝑀𝓊𝑒𝓁𝓁𝑒𝓇-𝒮𝓉𝒶𝒽𝓁 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝒮𝑒𝓋𝑒𝓇𝑜 𝒹𝑒𝓁 𝒱𝒶𝓁𝓁𝑒  
𝑀𝒶𝓇𝒾𝒶 𝒞𝑜𝓃𝒸𝒽𝒾𝓉𝒶 𝒜𝓁𝑜𝓃𝓈𝑜 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝒯𝓇𝒶𝓃𝓈𝒾𝓉𝑜  
𝒥𝒶𝓃 𝒩𝒾𝓀𝓁𝒶𝓈 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝒞𝑜𝓃𝒹𝑒 𝒥𝑒𝒶𝓃 𝒹𝑒 𝒮𝒶𝓉𝒾𝑔𝓃𝓎  
𝒱𝒾𝓃𝒸𝑒𝓃𝓉 𝒢𝒶𝓁𝓁𝑜 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝐸𝓈𝓉𝑒𝒷𝒶𝓃 𝒢𝒶𝓇𝒸𝒾𝒶  
𝒯𝑒𝓇𝒾 𝒫𝑜𝓁𝑜 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝑅𝑜𝓈𝒶 𝒹𝑒𝓁 𝒱𝒶𝓁𝓁𝑒 
𝒢𝓇𝒶𝒸𝑒 𝒢𝓊𝓂𝓂𝑒𝓇 𝒸𝑜𝓂𝑜 𝒿𝑜𝓋𝑒𝓂 𝒞𝓁𝒶𝓇𝒶

FONTE: Betty Niza