07/09/2019

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
XI-A HISTÓRIA 
DO SEXO
2- SEXUALIDADE E GÉNERO
2.1 Género e sexualidade
na infância e adolescência


Adela Stoppel de Gueller


CONFERENCISTAS PSICANALISTAS:
Adela Stoppel de Gueller
Julieta Jerusalinsky
Paul Kardous


* Esta conferência ocorreu a 08/03/19, Dia Internacional da Mulher, o assunto em título que todos devemos conhecer cada vez melhor é aqui abordado de modo claro e inteligente pelo que avisamos os nossos visitadores da importância do visionamento de toda a apresentação.
Para facilitar decidimos dividir a conferência em 6 partes, 3 para a dissertação de cada um dos oradores, 2 para interlocução entre os mesmos e uma última para debate com o público.


FONTE:  CEP - Centro de Estudos Psicanalíticos-S. PAULO, BRASIL
.
.

Porta dos Fundos


PORTUGUÊS FLUENTE


.
.
5-SISTEMA NERVOSO
5.2-NEURANATOMIA
5.2.7-Tipos de neurónios: Multipolar
Bipolar e Pseudo-Unipolar


* Uma interessante série produzida para auxiliar alunos da área de saúde mas também muito útil para quem quer que deseje aprender sobre esta matéria. Desfrute.


FONTE: Anatomia Fácil com Rogério Gozzi

.
.
CELULITE


FONTE:  Nerdologia 

PAULA SILVESTRE





A cooperação como factor 
crítico de competitividade

As empresas portuguesas continuam a enfrentar desafios estruturais de competitividade que condicionam o seu desempenho financeiro. O esforço coletivo centrado na cooperação é determinante para atenuar os problemas de escala competitiva e de fragmentação do tecido empresarial.

Dados do INE referentes a 2017 mostram que a percentagem de PME em Portugal representa 99,9% do tecido empresarial, sendo que as microempresas (até 9 trabalhadores) representam 96,2%. O aumento do nível da colaboração nas empresas, entre empresas e com outras fontes externas de inovação é o caminho que se afigura mais rápido e menos oneroso para a consolidação do tecido empresarial nacional, para a construção de redes de negócio e para o desenvolvimento de práticas de inovação.

O estabelecimento de relações com agentes externos é uma forma de manter vigilância sobre avanços tecnológicos, implicar clientes e fornecedores em processos de inteligência competitiva e garantir conhecimento estratégico sobre tendências de mercado. A análise de 2018 da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência ao Inquérito Comunitário mostra que 18,3% das empresas portuguesas com atividades de inovação de produto ou processo reportaram a colaboração com parceiros externos nas suas atividades de inovação. A preferência pelo tipo de parceiro concentrou-se muito nos fornecedores das empresas (11,7%), seguindo-se os clientes ou consumidores do setor privado (9,6%) e as universidades (8,5%). Para mitigar problemas de ritmo e de linguagem que ainda persistem e que certamente contribuem para estas percentagens, as associações empresariais podem intermediar as relações das empresas, mormente as micro e PME, com centros de investigação, academia, fundações, organismos reguladores, entre outros. 
.
Por outro lado, o espaço concedido ao intraempreendedorismo permite encontrar soluções para problemas ou criar novos produtos, serviços, rotinas, com riscos mínimos de investimento. Os colaboradores da organização estão familiarizados com o negócio e através de estratégias como brainstorming, caixas de sugestões, focus groups interdepartamentais ou simplesmente tempo para criar permitem a geração de propostas inovadoras. A experiência da AEP, nomeadamente no programa Formação PME que através da modalidade de formação-ação intervém na gestão, na organização e na qualificação, está repleta de exemplos onde a cooperação intraempresarial, com a moderação de especialistas, permite desde a redução de desperdícios à comunicação mais eficiente e à criação de algo novo. 
.
A colaboração para a inovação é fundamental para sustentar a competitividade das empresas, dos territórios, do país. A criação e dinamização de redes de inovação é um trabalho em contínuo, paulatino, mas que desagua em resultados concretos para as empresas. Este é o caminho que está a ser feito em aeplink.pt para potenciar parcerias e negócios. Por missão e por crença estaremos comprometidos com o aumento do grau de cooperação nas atividades de inovação das empresas, em particular das PME. Registe-se em www.aeplink.pt Paula Silvestre é diretora da AEP Competitividade

* Directora da AEP Competitividade

IN "DINHEIRO VIVO"
03/09/19

.
.


2024.UNIÃO



EUROPEIA




.
Criticamos apenas
o cristianismo?



FONTE:  RazãoConsCiência familyfriendly
 
.

XLII-VIDA SELVAGEM
6- AVESTRUZ
A MAIOR AVE DA TERRA



FONTE:  Hd Documentário

.
.
VIDEOS DE SEMPRE


Katia Guerreiro

Ate ao fim


.
.
13-UM POEMA POR SEMANA


NATÁLIA CORREIA



AUTOGÉNESE




dito por


NATÁLIA CORREIA


.
.
O que  faria se visse esta menina na rua?  




FONTE:  UNICEF Angola

.
.
POBREZA EM ANGOLA



FONTE:  Record TV Africa

.
.
OIT 
Projeto Versos de Liberdade



FONTE:  ONU Brasil

.
.
NA COZINHA/68
21-RECEITA ILUSTRADA


.
.

2089
Senso d'hoje
JEAN CLAUDE TRICHET
EX-PRESIDENTE DA BCE
PREOCUPAÇÃO COM O BREXIT
Absolutamente dramático para o Reino Unido,
tendo em conta os riscos para a economia



FONTE:   euronews

.
.
A GRACINHA
QUE NÓS SOMOS






.

BOM DIA



.
.

18-TEATRO
FORA "D'ORAS"

IX-A VOLTA AO MUNDO
 EM 80 MINUTOS



"A Volta ao Mundo em 80 Minutos" um extraordinário musical de Filipe La Féria com João Baião à frente de um grande elenco.

"A Volta ao Mundo em 80 Minutos" foi um deslumbrante musical de Filipe La Féria que encantou mais de 1 Milhão espectadores ao longo de 9 meses em cena no casino Estoril, 1 mês no Teatro Politeama e na noite de passagem de ano 2017/2018 na SIC. Este musical contou com João Baião à frente de um extraordinário elenco de cantores, bailarinos e acrobatas. 

Inspirado numa das maiores obras da literatura mundial do sec XIX, de Júlio Verne, A Volta ao Mundo em 80 Minutos contou com a participação especial de João Baião à frente de um jovem, talentoso e enérgico elenco de actores-cantores, de um internacional corpo de bailarinos e dançarinos-acrobatas. 

Mais uma vez Filipe La Féria não poupou esforços e voltou surpreender-nos com um luxuoso guarda-roupa, integralmente da sua autoria, que fará cada espectador viajar por todo o mundo, sem sair do seu lugar. 

"A Volta ao Mundo em 80 Minutos" foi uma divertida e alucinante viagem planetária. China, Rússia, Índia, África, Brasil, Argentina, Cuba, Egipto, Itália, França e Espanha, são alguns dos locais por onde Sr Fogg o clássico e bem-humorado cavalheiro inglês, extraordinariamente representado por João Baião visitará, sempre acompanhado do seu assistente pessoal Passepartout o fiel e divertido francês de pronúncia acentuada. 

Neste espectáculo vale tudo. Viagens em balão de ar quente, um barco Titanic, carros antigos, comboios, banheiras com rodas, elefantes, camelos, bicicletas, aviões planadores e tudo aquilo que faça a imaginação voar. 

Filipe La Féria já confessou que "A Volta ao Mundo em 80 Minutos" foi a mais excitante e divertida Produção, explorando cada cultura e cada país através do teatro, do cinema, da música, do bailado e da acrobacia. Tudo isto envolto numa encenação e direcção artística que só La Féria sabe fazer, proporcionando a cada espectador 2 horas inesquecíveis. 

Ao fim de quase um ano em cena a SIC transmitiu este grande espetáculo na ultima noite de 2017.

              
FONTE: Teatro Português
.