sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.

22-A ASCENÇÃO

 DO DINHEIRO

O que também grandes banqueiros
e prestigiados políticos não querem
que se saiba acerca do dinheiro


* Veja também "O DINHEIRO COMO DÍVIDA" editado nas 5 semanas anteriores ao do início  desta série neste mesmo horário.

** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
.
 
HOJE NO

"AÇORIANO ORIENTAL"

Doenças oncológicas podiam 
ser resolvidas rapidamente 
com aposta na prevenção

As doenças oncológicas poderiam ser evitadas ou tratadas precocemente se houvesse uma aposta na medicina preventiva, o que se traduziria numa poupança de milhões de euros, disse o diretor do Serviço de Urologia do Centro Hospitalar de Leiria.
 .
 Segundo o especialista, muitos cancros poderiam ser travados logo no seu início, através de tratamentos mais simples, poupando muito dinheiro ao Serviço Nacional de Saúde.

"Temos uma visão curta no que se refere à medicina. Vamos apostar na medicina preventiva, com menos custos, sem IPO [instituto português de oncologia] cheios, com doentes à espera de seis meses para cirurgia. Não é com tratamento curativo, que tem custos económicos e sofrimento enormes, que se poupa”, disse à agência Lusa.

José Garcia falava a propósito das I Jornadas de Urologia, que decorrem hoje no hospital de Santo André, em Leiria, como forma de "sentar à mesma mesa" médicos da medicina familiar e especialistas, "alterar mentalidades" e "alertar para o diagnóstico precoce".

José Garcia alertou para a necessidade de recorrer aos meios complementares de diagnóstico existentes, como ecografias e análises de rotina, nomeadamente ao PSA, marcador que poderá indicar presença do cancro da próstata, que "saem mais barato do que os tratamentos oncológicos e fármacos são caríssimos".

"Podemos intervir de imediato e eliminar qualquer 'grãozinho' que esteja a começar a crescer", reforçou.

Considerando que o cancro da próstata é "uma praga", José Garcia acusa os homens de "ignorantes", pois "continuam a não quer saber porque é que há mais viúvas que os viúvos", referindo-se à pouca adesão aos rastreios.

O médico alertou ainda quem tem fatores hereditários a ter uma "vigilância precoce" e considerou que o tabaco "é um dos piores inimigos".

José Garcia revelou que as patologias do foro urológico estão presentes em todas fases etárias. Nas crianças são mais comuns a distrofia vesical, síndrome de barragem infra-vesical condicionada por valvas posteriores, refluxo vesico-uretérico e o escroto agudo (torção do testículo, cordão espermático).

A partir dos 16 anos até à idade adulta surgem as infeções do trato urinário, DST (doenças sexualmente transmissíveis) e litíases urinárias. A maior incidência do tumor do rim surge a partir dos 30 a 40 anos.

José Garcia frisou também que o avanço da medicina na área da urologia tem sido grande. "Antes, as pessoas perdiam um rim por causa de uma pedra. Nos anos 1990, o hospital de Leiria introduziu uma técnica a litotrícia intercorpórea. Continua a ser uma grande cirurgia, mas aproveitamos as vias naturais para fazer a intervenção, sem via aberta. Em 24 horas, a pessoa vai para casa".

"Em 2000, avançámos para a cirurgia extracorpórea, através do choque laser. Não é preciso ir ao bloco, não anestesia. Dispensa recursos humanos, ocupação de camas do hospital e permite ao utente ir para casa pouco depois", informou.

As intervenções são cada vez menos invasivas, "com um pós-operatório espetacular e internamento curto".

"Temos vindo a crescer em Leiria e com muito orgulho. Leiria tem capacidade e condições para assumir estas intervenções", rematou José Garcia.

* Obrigado a este médico pelo excelente alerta.

.
.
FACTOS
DA SEMANA
ECONÓMICA



CLIQUE EM "Programa OLHOS NOS OLHOS"

Se no dia do programa, 25 de Janeiro, não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre o tema, dispense-se tempo para se esclarecer agora, este programa é extenso mas terrivelmente claro e polémico.
Fique atento às declarações do Dr. Manuel Villaverde Cabral.

.
.
 HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Bombeiros portugueses 
combatem fogos no Chile

O CM sabe que uma equipa de 52 elementos da Força Especial de Bombeiros vai ser enviada esta sexta-feira para o Chile, no sentido de ajudar a combater os numeros incêndios que alastram no país. 
 .

Portugal respondeu a um pedido de ajuda internacional por parte do governo chileno, que já decretou o estado de "Catástrofe Natural", tamanha é a gravidade do fenómeno.

A equipa partiu para o país sul-americano por volta do 12:00h. O Secretário de Estado da Proteção Civil, João Almeida, e o Embaixador do Chile em Portugal, Luiz Gonzalez,  acompanharam os 52 elementos da Força Especial de Bombeiros até ao Aeroporto de Lisboa, de onde partiram.

Os fogos já tiraram a vida a pelo menos dez pessoas e já destruiram milhares de hectares de florestas. Várias pessoas perderam as suas habitações.

Os EUA também já responderam ao pedido e colocaram bombeiros no local para o apoio ao combate às chamas. O governo chileno espera que a Rússia faça o mesmo em breve. O Ministro do Interior Chileno já alertou para a intensificação dos incêndios nos próximos dias devido às elevadas temperaturas que se fazem sentir no país. 

 * Que a missão corra bem.

.
.

ANGOLA

1-UM PAÍS SEM INFÂNCIA



No final dos anos 90, uma antiga cozinheira fundou no Huambo, em Angola, uma associação para crianças abandonadas. Resgatou centenas de crianças à rua ou à violência das famílias. São a excepção. "Angola, um país sem infância", notável peça de jornalismo, Grande Reportagem SIC.


.
.
 HOJE  NO 
"OBSERVADOR"

É mesmo preciso aquecer
 o motor antes de arrancar?

Quando o frio é mais intenso, é preferível esperar que o motor aqueça ao ralenti, ou arrancar de imediato para que a temperatura suba mais depressa? A ciência explica

Por muito que a tecnologia evolua, e a informação esteja cada vez mais acessível, há dúvidas que teimam em persistir. Uma delas é saber quanto tempo deveremos esperar por que o motor aqueça, após o arranque, antes de iniciarmos viagem. Questão que tende a ser tanto mais pertinente, quanto mais intenso é o frio que no exterior se faz sentir.

Uns defenderão que o ideal é arrancar de imediato, uma vez que a carga sobre o acelerador tenderá a aquecer mais rapidamente o motor. Outros, pelo contrário, considerarão que o melhor é esperar, ao ralenti, que os componentes atinjam a sua temperatura ideal de funcionamento, de forma a não pôr em causa a respectiva longevidade. Pelo meio existirá um número praticamente infindável de opiniões.
 .

A pensar em todos eles, o canal do YouTube Engineering Explained publicou um vídeo bastante instrutivo, que se destaca pela quantidade de informação disponibilizada e pela forma como é trabalhada graficamente (regime do motor, posição do acelerador, temperatura do líquido de refrigeração, temperatura do ar admitido, temperatura ambiente). Através do recurso a uma câmara térmica, é possível verificar, em tempo real, quanto tempo demora um motor a aquecer, ao ralenti, após o arranque a frio.

O discurso, esse, é todo proferido na língua de Shakespeare, mas as unidades são apresentadas tanto no sistema métrico como imperial. E se também é verdade que é considerável a quantidade de informação a assimilar, não o é menos que tudo é explicado detalhada e cabalmente, para que não subsistam dúvidas.

 ELEMENTAR, MEU CARO LEITOR
No final, a conclusão é só uma: não é, de todo, necessário esperar que um motor moderno atinja a sua temperatura de funcionamento antes de começar a utilizá-lo, a não ser que a temperatura exterior seja radicalmente baixa (por exemplo, abaixo dos 40ºC negativos).

Mas há que respeitar algumas premissas, principalmente não esforçá-lo ao máximo antes que tal aconteça, aplicando pouca pressão no acelerador, sendo preferível esperar que os fluídos, nomeadamente os de lubrificação, atinjam a temperatura ideal e, assim, evitar óbvios dissabores.

Registe-se por fim que, neste vídeo, o sistema de gestão do motor só ao fim de 5 minutos e 20 segundos reduziu o ralenti para o seu regime normal, quando a temperatura do motor já tinha atingido o seu valor ideal. Perfeito, mesmo, era o pessoal da Engineering Explained produzir agora um filme nas mesmas condições, mas que ilustrasse o tempo de condução necessário para que o motor atinja a mesma temperatura, que será necessariamente muito inferior.

* Há muitos anos aprendemos com um antigo chefe de manutenção da TAP, ser necessário que o óleo em repouso depois de noite ao relento,  chegasse a todos os componentes do motor com o carro ao ralenti durante 2 minutos, vamos ficar fiel ao seu ensinamento, não contestando os novos conceitos.

.

RICARDO COSTA

.




O começo da história de Donald

A concretização das promessas de Trump e a configuração de cenários da sua destituição não auguram bons tempos para a nova ordem americana

Se havia ansiedade global a propósito do discurso de tomada de posse de Donald Trump, rapidamente se transfigurou em desilusão e em angústia. Se há discurso icónico na política internacional, esse corresponde com certeza às primeiras palavras de um Presidente norte-americano investido no cargo.

Este não ficará para a história, mesmo que se ameace que a história dele se vá recordar. Trump perdeu uma grande oportunidade: não revelou a mínima preparação, não traduziu a mais leve preocupação com a sistematização, muito menos trouxe para o palco de Washington um aceno de um programa substancial e organizado de mandato. Trump exibiu até uma certa indigência na formalidade do acto, como que ostentando subrepticiamente um menosprezo pelas instituições da democracia, bem como pelos seus ritos e procedimentos, substituídos pelos seus próprios maneirismos, tiques e desabafos de propaganda.

Em tudo o mais, equiparou o acto a mais um discurso de campanha, com frases e formulações feitas de retórica, que mais não fizeram do que confirmar uma personalidade (ou um culto da sua própria) e um estilo desviante (e desviado), feito da vontade de isolar e concentrar. E uma estratégia (?) que está aparentemente em contradição com o ordenamento mundial criado após a II Guerra Mundial e os equilíbrios de poder geoestratégico que permitiram prevenir conflitos à escala universal nestes últimos 70 anos. O que significará desgastar e acabar lentamente com as alianças políticas e militares permanentes no Ocidente (o atlantismo ancorado na NATO) e na Ásia (Japão e Coreia do Sul, em concluio com a presença americana no Pacífico), com os acordos de comércio livre, com os progressos de Obama na estabilização de relações “perdidas” (Irão, Cuba, até a China), com a intervenção reguladora dos conflitos “eternos” (orientando Israel, nomeadamente), com a desistência do apoio e concertação com a União Europeia, com o desinvestimento na actuação da ONU. Será assim? Com a China já ali à espreita para ocupar o lugar da potência dominante, hasteando a bandeira da cooperação? Com a Rússia desesperada por concretizar uma espécie de anexação da Europa sem crédito e esburacada e aniquilar a frente de resistência aberta por Merkel?

Desde a posse, passar da retórica à prática significou para Trump exibir na Sala Oval e nas primeiras aparições públicas e institucionais o cumprimento das suas promessas, desde o princípio do fim do “Obamacare” até à compatibilização com os interesses das petrolíferas e da indústria do armamento (para arrasar os terrorismos religiosos), sem esquecer a directiva para construir o muro com o México.

Uma espécie de confirmação de que as ameaças mais fracturantes são para se cumprir à primeira oportunidade, sem espera pelo compromisso e pelo consenso. Autoritarismo puro, caucionado por regras de democracia formal. Populismo económico, legitimado pelo isolacionismo para com os que não interessam e outorgado pelo interesse para com as potências emergentes e reemergentes. Ameaça gratuita sobre a imigração e a abertura aos refugiados. E rapidamente se sublevou a esperança dos cépticos, adversários e manifestantes de rua de que algum escândalo passado possa submergir – na cama ou nos negócios – ou que o voluntarismo e a inexperiência de Trump se precipitem em alguma violação da Constituição. Lembram-se de algum Presidente dos EUA que começasse logo à partida com cenários de “impeachment”?

Claro que votaram nele pela mudança, mas não seria necessariamente esta…


IN "i"
26/01/17

.
.


1124.UNIÃO



EUROPEIA



.
HOJE

"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
Andam a meter motores 
nas bicicletas desde 1998?
 Inventor do mecanismo diz que sim

O chamado "doping mecânico" será mais grave do que se pensava

Istvan Varjas, o engenheiro húngaro considerado o cérebro da invenção do doping mecânico, disse hoje acreditar que os ciclistas profissionais recorrem a essa forma de 'dopagem' desde 1998.



Num segmento do programa '60 Minutes', da cadeia norte-americana CBS, que irá para o ar no domingo, Varjas revela que, em 1998, desenhou um motor para caber dentro do quadro de uma bicicleta, que foi comprado por um anónimo por dois milhões de dólares (cerca de 1,871 milhões de euros).

O acordo, com o comprador anónimo, incluía também uma cláusula que obrigava o engenheiro húngaro a não trabalhar em novos modelos de motores, falar sobre eles ou vendê-los durante dez anos.

Varjas reconheceu que pensa que a sua 'criação' foi usada para fazer "batota" em provas de ciclismo, mas negou ter responsabilidade na disseminação do doping mecânico.

No mesmo programa, o norte-americano Greg LeMond, três vezes vencedor da Volta a França, exigiu maior controlo por parte das entidades responsáveis do ciclismo.

"Isto é curável, é solucionável. Não vou confiar até descobrirem como tirar o motor da bicicleta. Não confiarei em qualquer vitória na Volta a França", disse LeMond.

Em dezembro, em entrevista ao diário francês Le Monde, Varjas revelou que uma grande investigação televisiva pode apresentar, em breve, mais detalhes sobre o doping mecânico ou 'fraude tecnológica', como é apelidada pela União Ciclista Internacional (UCI).

De acordo com o engenheiro húngaro, a investigação poderia ser emitida em janeiro, com o diário francês a arriscar que as novas revelações podem causar um 'terramoto' tão grande como o 'affaire' Festina, o primeiro caso conhecido de um esquema de dopagem organizado, que 'parou' a Volta a França de 1998.

* Afinal o desporto existe???

.
.

IV-HISTÓRIA DO SÉC.XX
7- A LENTA RECUPERAÇÃO
DE 1945 a 1968

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
Noam Chomsky
As Dez Estratégias de
 Manipulação das Massas



FONTE: FORA DA ORDEM

.
.
HOJE  NO
"RECORD"

Futebol deu lucro de 225 milhões
 de euros a Portugal

O mercado do futebol deu a Portugal um lucro de 225 milhões de euros só em 2016. Estes são os dados oficiais do Transfer Matching System (TMS), sistema da FIFA onde são registadas todas as transferências internacionais, divulgados esta sexta-feira.
.

De acordo com o relatório, os clubes portugueses são dos mais ativos a nível mundial. No ano passado, contrataram um total de 557 jogadores, ocupando o terceiro lugar global, apenas atrás de Inglaterra e Brasil. Ao mesmo tempo, venderam 479 futebolistas, o que corresponde ao quinto lugar da tabela, atrás de Brasil, Inglaterra, Espanha e Argentina.
.

Estes números têm também reflexo nos valores envolvidos. Portugal é o sétimo país mais gastador do mundo, com um total de 166,7 milhões de euros dispendidos, o que representa um aumento de 112 por cento em relação a

Em receitas brutas, o nosso país sobe ao quarto lugar global, apenas batido por Espanha, Itália e França. Os 392,1 milhões de euros recebidos em 2016 representam uma quebra de 3,9 por cento relativamente a 2015, mas deixam-nos ainda com uma larga margem de 'lucro'.

* República Offshore das Alvíssaras.

.
.

Camila Gallardo

Crazy


.
.

HOJE NO  
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Maria Vieira ameaça 
levar Ana Bola a tribunal

Maria Vieira quebrou o silêncio relativamente às declarações de Ana Bola e esclareceu que, ao contrário do que tem vindo a ser sugerido, os textos que publica nas redes sociais são da sua autoria.

Ana Bola terá escrito há uma semana que Maria Vieira é "uma criatura execrável" na sua página de Facebook, comentário atribuído à opinião de Parrachita, como é conhecida Maria Vieira, sobre Donald Trump. A publicação foi entretanto eliminada, mas não sem antes se gerar uma onda de críticas à postura da atriz visada perante a sua simpatia para com as políticas do novo presidente dos Estados Unidos. 

Agora, porque Ana Bola falou esta sexta-feira de manhã em direto no programa Você na TV, da TVI, Maria Vieira veio a público defender, não só as suas opiniões, mas também a questão colocada desde então: se será ela a autora das publicações em seu nome nas redes sociais.
 .

"Venho afirmar que os textos publicados na minha página [de Facebook] são escritos por mim e não por outrem, que como qualquer outro cidadão tenho o direito democrático concedido pela liberdade de expressão de expor as minhas ideias e os meus pensamentos sem ser sujeita a insultos e à propagação de mentiras caluniosas por parte de pessoas que se dizem minhas amigas ou conhecidas sejam elas a Srª Ana Bola ou qualquer outra pessoa pública com acesso direto a meios de comunicação que possam de alguma forma me prejudicar, difamar ou ofender", diz a intérprete.

Maria Vieira acrescenta no seu comunicado online que o seu advogado "já tem em seu poder todos os documentos referentes às ofensivas declarações posteriormente deletadas pela Srª Ana Bola na sua página de Facebook, assim como as imagens que documentam as suas declarações proferidas no programa Você na TV". "Faço saber que de imediato darei início a um processo judicial contra a Srª Ana Bola ou qualquer outra pessoa pública que insistir em divulgar publicamente as mentiras que sobre mim forem proferidas ou os eventuais insultos que sobre mim forem efetuados. É assim, desta forma que gostaria de evitar, tendo em conta o passado mais ou menos afável e amistoso que caracterizou a minha relação com a Srª Ana Bola que pretenderei agir, caso estes tristes acontecimentos se voltem a repetir no futuro", escreve.

A atriz acusa ainda a colega de profissão de dizer "mentiras mal-intencionadas que descaradamente tentam prejudicar" a sua "vida pessoal e profissional".

No programa da estação de Queluz de Baixo apresentado por Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira, Ana Bola afirmou que "jamais chamaria execrável à Maria Vieira". "Este post que eu fiz não foi na sequência do post do Trump, com o qual eu não concordo, mas sim na sequência daquele discurso que a Meryl Streep fez na entrega dos Globos de Ouro em que a Maria Vieira fez um comentário estranhíssimo, sendo ela também uma mulher e atriz. Isto vem numa sequência de comentários e que eu não acredito que sejam escritos pela Maria Vieira", frisou.

* Uma questiúncula de faca e alguidar a revelar que ambas já precisam deste tipo de protagonismo para serem notícia. Este é um problema vulgar de quem chafurda no facebook.

.
.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"

Festival Travessuras Culturais 
decorre de 2 a 5 de Fevereiro

Na primeira semana de Fevereiro, a Ponta do Sol será palco das mais diversas formas de arte.

O festival Travessuras Culturais, levado a cabo pela associação Travessias Culturais com a ajuda de produção da Cross Productions, faz parte do projeto nascido em 2015, Pas de Deux.
 .

Este último projecto tem como seu objetivo último a constituição de um manual de boas práticas na organização e produção de festivais culturais multidisciplinares. No seguimento deste trabalho, este festival de cinco dias faz parte do terceiro e último momento de observação pela equipa do Pas de Deux, na óptica de completar os dados até agora recolhidos de forma a constituir o manual.

O festival Travessuras Culturais tem como objetivo último trazer o mundo à ilha, e levar a ilha ao mundo, combinando a arte sob as mais diferentes formas, interagindo constantemente com o seu público.

Desde os concertos de música, às peças de teatro e aos workshops protagonizados por diversas figuras da arte internacional; todas as atividades que constam da programação do festival serão transmitidas em live streaming a partir da página www.pontadosolcolectivo.com.

Temas como a inovação tecnológica, a sustentabilidade na atividade artística e a evolução da arte de mãos dadas com a sociedade, serão abordados nos workshops a terem lugar em diferentes pontos do município, tendo como seu objetivo a interação com o público, bem como promover uma participação ativa de todos os elementos envolventes.

Mais uma vez, a Ponta do Sol prepara-se para acolher um evento sem igual a nível artístico, que promete ficar para a história, de 2 a 5 de Fevereiro.

* Que seja um fartar de travessuras.

.
.
7-VERGONHA ALHEIA
 NÃO EXISTA



* "Vergonha Alheia" é um conjunto de vídeos produzido pelo site brasileiro "AlfaCon Concursos Públicos"
De uma maneira bem humorada são relatadas várias frases "assassinas" da língua portuguesa. Como em todos os países que adoptaram esta língua como nacional, os atentados à gramática são incontáveis, deixamos-vos com esta peça muito bem apresentada que também serve para reflectir sobre o estado da educação nos nossos países.

.
 .
.
HOJE  NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Petróleo em Portugal: Galp obteve luz
.verde para fazer furo no mar do Alentejo

A petrolífera tem 60 dias para procurar por petróleo no mar, com a licença a ser válida até 2019. A atribuição de licença foi revelada pelo Bloco de Esquerda no Parlamento.

A Galp obteve luz verde para furar no mar do Alentejo. A autorização para perfurar foi dada pelo Governo, através da Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM).

A emissão da licença foi revelada pela líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, no Parlamento esta sexta-feira, 27 de Janeiro.

A licença foi concedida à italiana Eni - a operadora do consórcio com a Galp - no dia 11 de Janeiro e conta com a assinatura do director-geral Miguel Sequeira, segundo o documento consultado pelo Negócios.

O documento é válido até 10 de Janeiro de 2019 e tem a duração de 60 dias. A licença prevê a "sondagem de pesquisa de petróleo no deep offshore da bacia do Alentejo - Furo Santola1x, no âmbito do contrato de concessão de direitos de prospecção, pesquisa, desenvolvimento e produção, celebrado com o Estado português em 2007", pode-se ler no documento.

A profundidade inicial vai ser de 1.070 metros, e o furo vai ter lugar entre os 2.500 metros e os 3.000 metros. O furo vai ter lugar 46,5 quilómetros ao largo de Aljezur na bacia do Alentejo.
 .

A Eni/Galp tem de enviar à DGRM e à Direcção-Geral de Autoridade Marítima (DGAM) o cronograma dos trabalhos até 10 dias antes do início da operação de sondagem para arrancar com a sondagem.

A licença também reserva a possibilidade de interrupção dos trabalhos. "A operação de sondagem ocorre durante um período de 60 dias, podendo ser interrompida, nomeadamente em função dos resultados do Programa de Monitorização Ambiental e Caracterização Ecológica, definido por termos de referência constantes da presente licença, ou por causas naturais decorrentes de parâmetros da agitação marítima".

Bloco de Esquerda revela autorização
A autorização por parte do Governo foi revelada pelo Bloco de Esquerda no Parlamento no debate quinzenal com o primeiro-ministro.

"Podemos estar perante o primeiro furo realizado em Portugal em mar de alta profundidade para prospecção de petróleo. As populações levantaram-se contra essa possibilidade – mais de 40 mil pessoas a participar numa consulta pública para parar – e agora soubemos que um director-geral de recursos marítimos mesmo antes de ir embora emitiu uma licença", revelou no hemiciclo a líder bloquista, Catarina Martins.
Em resposta, o primeiro-ministro fez questão de distinguir esta concessão de outras concessões que têm levantado polémica.
 .

"Não havia incumprimento e o atraso era imputável ao Estado e não ao concessionário. Tivemos de manter a concessão. Não foi nenhuma alteração à concessão. É o cumprimento contratual do que estava contratado", respondeu António Costa.

No caso das concessões em terra (onshore) da Portfuel de Sousa Cintra, existiam "situações de incumprimento" pelo que foi decidido "anular as concessões".

Em relação à concessão da Repsol/Partex (offshore), "por incumprimento do concessionário não tinham sido desencadeados procedimentos necessários", com a concessão a caducar e depois proceder à retirada da concessão", explicou o primeiro-ministro.
Catarina Martins voltou à carga e sublinhou que é um "erro permitir que se façam estes furos", pois podem-se se pagar caros a nível ambiental.

"Concessões feitas por directores-gerais que estão de saída, empresas que dão processos por encerrados e encontram formas. Há ainda possibilidade de impedir furos em Aljezur  e esse tem de ser o nosso compromisso", afirmou a líder do Bloco de Esquerda.

* Pobre Costa Vicentina!

.
.
HOJE  NO
"DESTAK"

Candidatos a tropas especiais do Exército
.têm de apresentar relatório clínico

Os candidatos a futuros cursos de tropas especiais do Exército vão ter de apresentar um relatório clínico emitido pelo seu médico de família ou por uma unidade de cuidados primários, para que se aceda ao seu histórico clínico. 
 .
Esta é uma das medidas hoje anunciadas pelo Exército e aprovada após a realização de uma avaliação ao seu sistema de informação clínica, na sequência das recomendações apresentadas pela inspeção técnica extraordinária da Inspeção-Geral do Exército ao curso de Comandos, visando a melhoria da partilha da informação.

"Determinar a apresentação pelos candidatos de um relatório clínico, emitido pelo seu médico de família ou por uma unidade de cuidados primários do SNS, visando o acesso ao histórico clínico dos candidatos disponível no Serviço Nacional de Saúde", refere uma nota do Exército. 

* Estranha-se que o recrutamento e selecção para cursos de forças especiais só agora tenha esta exigência, depois de várias mortes nos cursos de  "comandos". O maior problema não será a aptidão física dos candidatos mas a aptidão intelectual dos instrutores.

.
.

ELISABETE JACINTO
CO-DRIVE
COUÇO-CORUCHE
JUNHO 2011



Co-drive com a piloto do Team Oleoban / MAN Portugal, Elisabete Jacinto, que decorreu nos dias 25 e 26 de Junho, junto à Estalagem Do Sorraia, Couço, Coruche. Na iniciativa participaram 134 convidados, num total de 67 viagens e 380 km's percorridos.

.
.
HOJE  NO  
"i"

Saiba o que os académicos 
querem mudar no acordo ortográfico

Propostas de aperfeiçoamento do acordo foram divulgadas hoje pela Academia das Ciências de Lisboa

Já são conhecidas as propostas dos académicos para aperfeiçoar o acordo ortográfico adotado pelos países de língua portuguesa em 1990.
 .
Os sócios mais antigos aprovaram o documento produzido pelo Instituto de Lexicologia e Lexicografia da Língua Portuguesa, que será apresentado pela Academia das Ciências de Lisboa no parlamento.

Os académicos consideram que o texto legal do AO90 é por vezes “ambíguo, omisso e lacunar” e propõem clarificações. Para os peritos, "pára" (do verbo parar) deve continuar a ser acentuado para se distinguir a preposição "para".

Assim como as terceiras pessoas do plural do indicativo como "crêem", "lêem" ou "vêem".
As consoantes devem cair apenas quando são "invariavelmente mudas em todos os países de língua oficial portuguesa", como em acionar ou atual. Mas devem manter-se em “conectar”, “decepcionado” ou “interceptar”.

Também em situações em que a unificação da grafia entre os países gere confusões na língua portuguesa, os peritos propõem que se mantenha a fórmula nacional. É o caso de aceção (sentido) vs. acessão (consentimento); corrector (quem corrige) vs. corretor (intermediário); espectador (aquele que olha) vs. espetador (o que espeta); óptica (visão) vs. ótica (audição); recepção (recebimento) vs. recessão (retrocesso).

Consulte o documento com as sugestões para o aperfeiçoamento do acordo nesta página.

* Os teóricos do acordo podem limpar-se à trampa que fizeram.

.
.
HOJE  NO 
"A BOLA"

Paris Saint-Germain
«Como é possível pagar 30 milhões
 por um falso jogador» – Dugarry

O antigo internacional francês Christophe Dugarry não compreende a razão do Paris Saint-Germain ter investido 30 milhões de euros em Gonçalo Guedes (ex-Benfica)e afirma que o português não tem uma posição certa em campo.
 .
«Não é possível… Gonçalo Guedes é um falso médio, um falso extremo e um falso avançado. Para um falso jogador é engraçado, mas não é possível comprar o seu passe por 30 milhões de euros. Ele pode jogar em várias posições? Pois, é porque não sabemos qual é a sua posição, pelo que espero que ele não acabe como eu», ironizou Dugarry, em declarações à RMC.

* O vulgaríssimo Dugarry seria careca se a inveja fosse tinha. Admitamos, Gonçalo Guedes será um "falso" mas joga de verdade.

.
.
APRENDER SEM MORRER



.
.

1139
Senso d'hoje

FILIPA SUBTIL
 PROFESSORA UNIVERSITÁRIA DE
 SOCIOLOGIA DA COMUNICAÇÃO
"O estado do jornalismo em Portugal"


* O estado do jornalismo em Portugal, programa INFERNO no Canal Q. Espaço de entrevista com Filipa Subtil, organizadora do livro "A crise do jornalismo em Portugal".

.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS













.