segunda-feira, 13 de março de 2017

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.

1-CONHEÇA OS TRUMP




FONTE: SIC NOTÍCIAS

.

3 - CRAZY HORSE CABARET

.




FONTE: Canal ARTE - 31 Dec 2011
.
.
HOJE NO
 "AÇORIANO ORIENTAL"


Meio milhão de pessoas morre por ano 
no mundo devido a consumo de drogas

Cerca de meio milhão de pessoas morre todos os anos devido ao consumo de drogas, segundo a diretora-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), que avisou que a situação tem piorado nos últimos anos.
  .
PAIS DROGADOS COM FILHO NO CARRO
“A OMS estima que o consumo de drogas seja responsável por cerca de meio milhão de mortos a cada ano. Mas esta estimativa representa apenas uma pequena parte dos danos causados pelo problema mundial das drogas”, disse Margaret Chan na sua intervenção na Comissão de Narcóticos das Nações Unidas, que se reúne em Viena.

Estas estimativas da OMS são superiores às divulgadas pela secção das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, que o ano passado apontava para que as mortes pelo consumo de droga andariam pelas 200 mil por ano.

“Em alguns aspetos a situação está a piorar e não a melhorar. Muitos países estão a experimentar uma crise de emergência sanitária devido a mortes por ‘overdose’”, acrescentou a diretora-geral da OMS.

Margaret Chan não adiantou mais detalhes sobre as estimativas da OMS, mas um recente relatório da Junta Internacional de Fiscalização de Estupefacientes indicava que nos Estados Unidos quase duplicaram as mortes por ‘overdose’ entre 2013 e 2014.

Em Portugal, 40 pessoas morreram por ‘overdose’ em Portugal em 2015, o segundo ano em que se deu um aumento consecutivo deste tipo de mortalidade, segundo o relatório anual sobre a situação em matéria de drogas e toxicodependência apresentado em fevereiro.

Dessas 181 mortes com presença de droga no organismo detetadas em Portugal em 2015, 40 foram consideradas 'overdoses', o que representa 22% do total desse tipo de mortalidade.

“Pelo segundo ano consecutivo que se constata um aumento no número de 'overdoses' (mais 21% face a 2014), apesar de os valores dos últimos cinco anos se manterem aquém dos registados entre 2008 e 2010”, refere o relatório do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD).

Durante a sua intervenção hoje na Comissão de Narcóticos das Nações Unidas, a diretora-geral da OMS pediu, perante os 53 países presentes, que se aborde a questão da droga como um problema de saúde pública e não com medidas penais.

* Somos contra paninhos quentes. É-se voluntariamente drogado e  a doença é um argumento ardiloso, não temos ideia de outros tipos de doentes que "comprem" o remédio através do roubo ou do crime de sangue.

.
.

MINUTOS DE

CIÊNCIA/130


Moda de Pessoa
no Elevador



.
.
HOJE  NO
"CORREIO DA MANHÃ"

GNR regista 4.522 infrações por falta de cinto e sistema de retenção de crianças 

São menos ocorrências que no ano anterior, mas autoridades reforçam apelo à segurança.

A GNR registou, desde o início do ano, 4.522 infrações relacionadas com o uso de cinto de segurança e sistemas de retenção para crianças (SRC), indicou esta segunda-feira a Guarda Nacional Republicana. 
 .

As 4.522 infrações detetadas em 2017 correspondem a uma diminuição de 10% face a período homólogo de 2016 (5.416 infrações), precisou a GNR, que, até ao próximo domingo, vai intensificar a fiscalização nesta área nas vias e estradas onde estas infrações são mais frequentes. 

A GNR alerta que a utilização destes dispositivos reduz a ocorrência e a gravidade de lesões sofridas pelos ocupantes de uma viatura em caso de acidente de viação, pelo que a GNR tem dado particular atenção às ações de prevenção e fiscalização desta matéria. Porto (com 985 infrações), Braga (415), Aveiro (376), Leiria (353), Lisboa (316) e Santarém (319) foram os distritos que, em 2017, registaram maior número de infrações neste domínio. 

A operação de fiscalização da GNR envolve militares da Unidade Nacional de trânsito e dos Comandos Territoriais e enquadra-se no plano europeu do TISPOL, organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa. 

* Portugueses adoram o perigo, são mesmo brutamontes.

.
.
 VII-MEGA MÁQUINAS

3- O Maior Navio do Mundo
Viagem Inaugural



*Interessante série reveladora da quase perfeição mecânica, notável produção da NG.

**  As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores. 

.
.
HOJE  NO
"OBSERVADOR"

Aparelho do PS ameaça ministro para colocar “boys” em gestão hospitalar

O presidente do PS da Guarda ameaça tirar "confiança política" ao ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, se não nomear dirigentes do partido para a gestão hospitalar do distrito.

Caro senhor ministro, ou coloca boys do PS para a Unidade Local de Saúde da Guarda ou retiramos-lhe a confiança política. De uma forma genérica, foi esta a ameaça feita na última sexta-feira pelo presidente da Federação Distrital do PS da Guarda, António Saraiva, ao ministro da Saúde, através de um e-mail enviado para o ministério, ao qual o Observador teve acesso e que já tinha sido noticiado pela rádio Altitude.
 .
O CACIQUE DO PS/GUARDA
 O ministro decidiu nomear para a Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda Isabel Coelho, que não é militante socialista mas tem um currículo adequado à função. O dirigente do PS — que não tem a maioria na comissão política distrital — transmitiu ao ministro que “a federação do PS da Guarda” não pode “concordar e aceitar a proposta de equipa para integrar o próximo Conselho de Administração” da ULS.

O Observador sabe que há um mal-estar no PS da Guarda por causa deste mail “ridículo”, como classifica um dirigente socialista do distrito. “Estamos a insistir na convocação de uma Comissão Política Distrital para pedirmos a cabeça do António Saraiva”, afirma o mesmo socialista com assento neste órgão partidário.

No email ao ministro, António Saraiva diz diretamente que está a pedir que os cargos de gestão sejam ocupados por militantes do PS, escrevendo que, “em termos locais e distritais, não é possível que um Conselho de Administração de uma estrutura como é a ULS da Guarda não integre um único elemento de plena confiança das nossas estruturas locais e concelhias”. No mesmo texto, o presidente da federação distrital socialista considera que a escolha de independentes “é o desacreditar do PS em termos distritais”, bem como da “afirmação” da estrutura e significa o “arrastar de graves consequências políticas.

O dirigente socialista lamenta ainda que apareçam nos órgãos de gestão “clínicos que chegaram a pertencer a conselhos de administração do Governo PSD.”

Depois desta exposição, vem a ameaça velada ao ministro, dizendo que convocou o secretariado e os autarcas para uma “posição conjunta” sobre esta situação e avisando que pode passar por:
Demonstrar publicamente a nossa não confiança política aos responsáveis por esta decisão e à equipa, e, mesmo ao desvincular dos órgãos distritais por parte de alguns membros para além de puderem vir a cair candidatos autárquicos”.





Para aumentar a pressão, o e-mail foi enviado também à secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, ao secretário nacional para a administração, Luís Patrão, ao secretário nacional para a organização, Hugo Pires, e aos dois deputados eleitos pelo distrito, Maria Antónia Almeida Santos e Santinho Pacheco.

Contactado pelo Observador, António Saraiva considera que a interpretação que tem sido feita ao email “está distorcida da realidade” e que, “perante boatos”, sentiu que era necessário fazer um “alerta ao ministério para esta questão”. E atirou: “Foi um alerta ao ministério, tudo o resto são fait divers.” E, para demonstrar que não está desconfortável com a administração escolhida pelo ministro, até revela: “A pessoa que está indicada para presidente do conselho de administração, fui eu que dei a indicação aí para baixo.”

Fonte da distrital do PS explicou ao Observador que o atual presidente da Federação queria colocar dois membros do seu secretariado na gestão da ULS: Nuno Laginhas ou o antigo presidente da Associação de Dadores de Sangue, António Carlos Santos (que há anos esteve envolvido numa polémica de inscrição de militantes em massa através da associação de dadores). Mas o ministro não só nomeou uma independente, como a independente recusou-se a escolher boys para a estrutura, utilizando como critério as habilitações. A mesma fonte diz que o atual presidente da Federação está numa atitude “vergonhosa” a tentar “partidarizar” a administração hospitalar. Lembra ainda que “neste momento ele nem sequer tem a maioria da comissão política, por isso não pode falar em nome da federação”.

A federação da Guarda do PS tem uma história recente atribulada. As eleições para a federação foram anuladas este ano em fevereiro, depois de ter sido detetado que havia um candidato morto nas listas de António Saraiva. O conflito que se desenvolveu depois desta polémica, que ainda tinha a ver com a eliminação de membros da lista que desafiava a da linha do poder vigente no distrito, levou à desistência de Eduardo Brito, deixando Saraiva como único concorrente.

Antes de António Saraiva, o presidente da Federação era José Albano Marques, que obtinha sempre votações recorde nas eleições internas da federação, sobretudo no seu concelho, Celorico da Beira. Foi acusado por outros dirigentes, ao longo de anos, de inventar militantes, de fazer militantes que não sabiam que o eram. Seria o caso de um dos nomes que se perfilavam para aceder à administração da ULS, que era um dos operacionais de Albano Marques.

Ao que o Observador apurou, o ministro da Saúde terá desvalorizado a pressão feita pela estrutura distrital e recusa nomear gestores com base na lógica do aparelho e da pertença partidária. O Observador fez ainda questões ao ministério da saúde, estando ainda a aguardar a resposta às mesmas.

* O cacique Saraiva, um socialista com valor.

.

ROSÁLIA AMORIM

.




Opinião. 
Faltam regras ou capital?

Veremos se a CGD vai ou não aumentar a probabilidade de em 2017 ser ultrapassada a meta psicológica de 3% de défice

Uma riqueza. Esta semana foi uma riqueza de notícias económicas. O governo decidiu criar um novo supervisor financeiro. Uma entidade independente, que fica no topo da hierarquia e que vai reunir informações entre os supervisores CMVM, Banco de Portugal e Autoridade dos Seguros.

Segundo Mário Centeno, ministro das Finanças, esta entidade vai zelar pela estabilidade financeira e supervisão macroprudencial. Na prática, esta criação revela, uma vez mais, que o governo não está confortável nem confia na atuação do Banco de Portugal. A instituição sai fragilizada e ainda está por apurar o impacto desta notícia nos mercados e nas instituições internacionais.

Já é sabido que o governador do banco central é inamovível, pelos estatutos que regem a sua função. Resolver a situação desta maneira, ou seja, dividindo para reinar, pode não ser a melhor solução, nem para a supervisão nem para a saúde do próprio sistema financeiro.

Os bancos precisarão de mais uma figura regulatória? Creio que os bancos precisam muito mais de capital, de crescimento económico, de exportações, de investimento privado. É aí que deve estar o foco do executivo. De capital precisa igualmente a Caixa Geral de Depósitos. O banco público tem a sua recapitalização já aprovada por Bruxelas, mas fica a braços com prejuízos recorde, anunciados ontem pela própria instituição. Se é verdade que a recapitalização acabará por acomodar todos os prejuízos, que são resultado do reconhecimento da perda de valor de créditos concedidos e outros activos como por exemplo o imobiliário e a construção, também é verdade que não há poço sem fundo.

No final desta história, vai ser preciso fazer as contas ao impacto que tudo isto terá no défice. Veremos se a CGD vai ou não aumentar a probabilidade de em 2017 ser ultrapassada a meta psicológica de 3% de défice.

IN "DINHEIRO VIVO"
11/03/17

.
.


1169.UNIÃO



EUROPEIA



.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
Ministra admite haver uma "má relação"
.entre a justiça e os cidadãos

Francisca Van Dunem disse que "enorme volume das execuções e insolvências inundam o sistema"

A ministra da Justiça admitiu hoje que há uma "má relação" entre os cidadãos e a justiça e que a asfixia dos tribunais está em vias de perder a atualidade.
.
Francisca Van Dunem falava no painel "O funcionamento e a asfixia dos tribunais" no seminário Justiça Igual para Todos, a decorrer na fundação da Gulbenkian, em Lisboa, onde destacou a eficiência da justiça, nomeadamente na resposta à pequena e média criminalidade.

"A pequena e média criminalidade resolve-se com celeridade em Portugal, não acontecendo o mesmo na jurisdição cível e administrativa", disse a ministra para quem o volume das insolvências e ações executivas/cobranças de dívidas são os maiores responsáveis pela asfixia dos tribunais.

"O enorme volume das execuções e insolvências inundam o sistema" e depois da crise de 2008 "as insolvências dispararam para níveis perturbadores".

Salientando que os "tribunais foram abalados pelo colapso económico", Francisca Van Dunem sublinhou o papel nefasto da crise económica e de uma década de crédito descontrolado e de endividamento das famílias, que fez disparar as pendências.

Sobre a perceção que os cidadãos têm da justiça, Van Dunem lembrou que os processos mediáticos não são "estatisticamente relevantes", apesar de ser a partir das notícias destes que muitas vezes é formada a opinião dos cidadãos sobre o sistema judiciário.

A ministra enumerou algumas reformas legislativas e programas lançados pelo ministério que tutela, como a Justiça + Próxima e o Capitalizar, pensados no sentido de descongestionar os tribunais.
Porém, ressalvou "não se pode andar de reforma em reforma sem as deixar respirar".

No mesmo painel, o antigo presidente do Supremo Tribunal de Justiça colocou a tónica no facto de a crise da justiça ser um assunto comentado recorrentemente, durante décadas, mesmo antes do 25 de Abril.

Para Noronha do Nascimento, "a concessão de crédito descontrolado" depois da entrada de Portugal na União Europeia (1987) reflete-se ainda hoje no número de ações de execução nos tribunais, representando mais de 65% das ações totais nos tribunais.

O advogado João Correia assumiu-se no painel como provocador e destacou a falta de vontade do poder político em discutir as questões da justiça.

"O poder está desfasado é indiferente a tudo isto da justiça. Recuso que recaia sobre os magistrados e juízes a culpa da crise da justiça", disse o antigo secretário de Estado da Justiça, apontado o dedo aos órgãos de soberania.

O seminário "Justiça para todos" é organizado pela Associação 25 de Abril.

* Continuamos a respeitar esta ministra da Justiça, claramente anti-folclore.

.
.

4-ACESSO SECRETO

 O Vaticano


Além da sua enorme riqueza monetária e artística, o sempre inquietante Vaticano esconde segredos proibidos para o resto do mundo... até agora. Através deste video  irá percorrer as cúpulas abertas e as escavações deste patrimônio religioso e cultural do mundo, focar o olhar em documentos sigilosos da Guarda Suíça, livros que guardam conhecimentos não revelados, e até percorrer um misterioso cemitério onde dizem estar os ossos do próprio fundador da Igreja, São Pedro. Além disso,  conhecerá alguns dos  rígidos sistemas de segurança que protegem este legado incalculável da cultura e da tirania religiosa ocidental.

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

FONTE: GUSTAVO RAMOS

.
.

6-CAPITALISMO

UMA HISTÓRIA DE AMOR


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.
HOJE NO
"RECORD"
Patrick Baumann "honrado e triste"
 com presidência de comissão do COI

O suíço Patrick Baumann garantiu esta segunda-feira estar "honrado e triste" por assumir a presidência da comissão que avalia as candidaturas aos Jogos Olímpicos de 2024, depois da demissão de Frankie Fredericks, após suspeitas de corrupção.
 .
"Estou honrado por um lado, e triste por outro, porque as circunstâncias [nas quais assume o cargo] não são as que desejava", afirmou Baumann, em declarações à agência noticiosa AFP.

Patrick Baumann, secretário-geral da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) e membro do Comité Olímpico Internacional (COI) desde 2007, foi nomeado na terça-feira presidente da comissão de avaliação, que era dirigida pelo ex-atleta namibiano Frankie Fredericks.

O antigo atleta demitiu-se depois de o diário francês Le Monde ter levantado suspeitas sobre o seu alegado envolvimento em irregularidades na atribuição dos Jogos Olímpicos de 2016 à cidade brasileira do Rio de Janeiro,

Apesar de se ter demitido, Frankie Fredericks negou, em comunicado, a implicação "direta ou indireta" em "qualquer conduta inapropriada", e assegurou nunca ter violado qualquer conduta ou regra do COI.

Devido à demissão de Fredericks, o COI alterou as datas das visitas às duas cidades candidatas.

A visita à cidade norte-americana de Los Angeles vai decorrer entre 23 e 25 de abril, enquanto a cidade de Paris deverá receber a comissão de avaliação do COI entre 10 e 12 de maio.

A cidade organizadora dos Jogos Olímpicos de 2024 deverá ser anunciada no próximo mês de setembro, em Lima, no Peru, durante a 130.ª assembleia do COI.
.
* Desejamos que seja incorruptível!

.
.

GOTYE

State of the Art


.
.
HOJE NO  
"JORNAL DE NOTÍCIAS"


Criados manuais para técnicos e
.magistrados na audição das crianças

Os técnicos da Segurança Social e os magistrados têm a partir de agora dois manuais de procedimentos para que a audição da criança em processos, como os de divórcio, tenha uma abordagem uniformizada.

Os manuais de audição da criança e de audição técnica especializada, que surgem na sequência de alterações ao Regime Geral do Processo Tutelar Cível através da lei 141/2015, foram hoje apresentados num seminário realizado em Lisboa, e visam "guiar" os técnicos de segurança social e os magistrados.
 .
Na audição técnica especializada é procurado consenso entre os pais para encontrar a melhor solução para a criança e na audição da criança é dado o seu testemunho, cumprindo um direito consagrado internacionalmente de ser ouvida face a conflitos parentais.

Este regime, que entrou em vigor em outubro de 2015, aponta para um novo paradigma de intervenção em que as soluções devem ser encontradas pelos intervenientes, sendo o acompanhamento centrado na obtenção de consensos que garantam o chamado superior interesse das crianças envolvidas.

Com este regime, o processo é participado pelos pais, pelas crianças - através da audição técnica especializada e na audição da criança - cabendo às equipas de assessoria técnica, apoiar o juiz na obtenção de soluções consensuais.

Em declarações à agência Lusa, o diretor adjunto do centro de estudos judiciários, o juiz Paulo Guerra, explicou que os manuais agora apresentados e que serão instrumentos de trabalho diário dos técnicos chamam a atenção da necessidade de haver comportamento "estandardizado" a nível nacional para que a situação de uma criança não dependa da geografia.

"Uma criança em Portalegre não tem de ter um tratamento diferente de uma criança no Porto. Tem de haver um tratamento igual ao nível da segurança social e dos tribunais", disse.

Paulo Guerra, que hoje moderou um dos painéis do seminário de apresentação dos manuais, explicou que este novo paradigma trazido pela nova legislação de audição da criança cria a necessidade de uma abordagem técnica especializada para que as perguntas que vão definir o futuro da criança sejam as certas.

Os manuais, adiantou, "consensualizam, uniformizam critérios para que todas as crianças em Portugal tenham o mesmo tratamento no que à justiça diz respeito".

O juiz acrescentou que na sequência da nova legislação já é notória uma diminuição do número de julgamentos nas regulações parentais "porque os processos acabam cada vez mais em acordos", através da mediação, com a audição técnica especializada e com os poderes de conciliação do juiz.

* Pode ser um modo de travar as arbitrariedades de funcionárias da Segurança Social em relação a crianças inseridas em famílias frágeis.

.
.
HOJE NO  
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS  
DA MADEIRA"

Presidente turco acusa Alemanha
 de apoio a terrorismo

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, acusou hoje a chanceler alemã, Angela Merkel, de “apoio ao terrorismo”, num novo ataque no âmbito da crise diplomática provocada com o cancelamento de atos eleitorais turcos em vários países europeus.


“A Alemanha está a apoiar o terrorismo de forma aberta. Pode tomar partido pela Holanda, por quem quiser. A senhora Merkel está a apoiar o terrorismo”, disse o Presidente turco, em declarações à emissora A Haber.

Angela Merkel manifestou hoje o seu “total apoio e solidariedade” ao Governo holandês, depois de as autoridades holandesas terem proibido ministros turcos de realizarem no sábado atos eleitorais na cidade de Roterdão.

“Não quero colocar no mesmo saco todos os países da União Europeia, mas alguns deles não aguentam a ascensão da Turquia”, disse Erdogan, que nos últimos dias já tinha acusado a Alemanha e a Holanda de práticas fascistas e nazis.

O Presidente turco assegurou que vai levar a Holanda ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, em Estrasburgo.

“Eles falam da lei internacional quando é bom para eles. Vão ver. Nós também iremos ao Tribunal de Direitos Humanos. Já sei qual vai ser a decisão. Mas vamos fazer o necessário”, disse.

Recep Tayyip Erdogan insistiu que a Alemanha acolhe terroristas, referindo-se à guerrilha curda do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, e do clérigo Fethullah Gulen, exilado nos Estados Unidos e acusado pelas autoridades turcas de estar envolvido na tentativa de golpe de estado de julho.

O chefe de Estado turco assegurou que entregou 4.500 pedidos à Alemanha sobre alegados terroristas que lá vivem e que o país europeu não fez nada.

Acusou também a imprensa alemã de fazer campanha contra a reforma constitucional que vai ser decidida em referendo a 16 de abril e que, caso seja aprovada, entregará o poder executivo ao Presidente.

Angela Merkel reagiu, entretanto, às afirmações do Presidente turco, considerando-as absurdas.

O porta-voz da chanceler alemã, Steffen Seibert, sublinhou também que Angela Merkel não pretende participar num “concurso de provocações”.

* Este é o resultado do milhões de euros que Merkel mandou a União Europeia dar ao bandido turco para tamponar os desgraçados dos refugiados sírios, não  queremos a Turquia na UE!

.
.

GOSTAM DE RIR-SE




FONTE: LUÍS VARGAS

.
.
HOJE  NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Parlamento britânico chumba emenda
 que protegia trabalhadores da UE 
no pós-Brexit

A câmara baixa do Parlamento britânico chumbou as duas emendas à lei do Brexit que foram propostas pela Câmara dos Lordes e que visavam proteger os direitos de cidadãos da UE a viver no Reino Unido e ainda assegurar aos deputados uma palavra final sobre o acordo final para a saída britânica do bloco europeu.

A câmara baixa (Câmara dos Comuns) do Reino Unido reprovou as duas emendas à lei do Brexit formuladas pela Câmara dos Lordes (câmara alta) e que visavam assegurar ao Parlamento britânico a decisão final sobre o acordo que vier a ser alcançado entre Londres e Bruxelas.

A primeira emenda a ser votada foi a relativa à preservação intacta dos direitos adquiridos e pelos cidadãos, e respectivos familiares, oriundos de países-membros da União Europeia e que residem no Reino Unido. Esta emenda foi chumbada por uma maioria de 48, com 335 votos contra e 287 favoráveis.

Resultado idêntico teve a emenda feita pelos Lordes e que estipulava que o Parlamento britânico tivesse uma espécie de direito de veto ao resultado final do que for acordado entre Londres e Bruxelas no que concerne à forma como se processará a saída do Reino Unido da União. Neste caso o chumbo decorreu de uma maioria de 45, com 331 votos contra e 286 a favor.

Entre os votos favoráveis à alteração proposta pelos Lordes não se encontra nenhum de deputados conservadores, o partido do Governo liderado por Theresa May. 
.
Estas votações significam que a legislação que irá enquadrar a invocação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa – que estipula a forma como se processa a saída de um Estado-membro da UE - apresentada pelo Governo britânico ficará intacta tal qual desenhada pela equipa de Theresa May.

Ainda na noite desta segunda-feira será aprovada a lei do Brexit, já que se espera que os deputados terão decidido aceitar a vontade maioritariamente expressa pela Câmara dos Comuns. A confirmar esta expectativa estão as declarações de Angela Smith, líder trabalhista na câmara alta, que admitiu que já não fará sentido proceder a alterações às emendas agora chumbadas para posterior reenvio para a câmara baixa. Citada pelo The Guardian, Angela Smith considera que "não há nenhuma indicação" de que a Câmara dos Comuns esteja disponível para "incorporar" as alterações pretendias pelos Lordes na legislação do Brexit. 

* O brexit também é para os que imigraram para Inglaterra.

.
.
HOJE  NO
  "DESTAK"

Exportações do têxtil e vestuário
.português sobem 6,3% 
em janeiro e somam 446ME

As exportações portuguesas de têxteis e vestuário aumentaram 6,3% em janeiro face ao mesmo mês de 2016, para 446 milhões de euros, com os mercados comunitários a subirem 6% e os não comunitários 9%, anunciou hoje a associação setorial.
 .
Destacando o "excelente arranque" do setor em 2017, a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP) adianta que as exportações de matérias-primas têxteis subiram 8,3%, as de vestuário e acessórios 6,4% e as de têxteis lar e outros artigos têxteis confecionados cresceram 2,2%.

No primeiro mês do ano, Espanha, Alemanha, Itália e Holanda foram os mercados comunitários que mais se destacaram pelo maior crescimento absoluto: as exportações setoriais para Espanha aumentaram 4%, para a Alemanha subiram 11%, para Itália cresceram 16% e para a Holanda evoluíram 15%, em termos homólogos. 

* Precisamos de boas notícias.

.
.

CRIANÇAS
JIHADISTAS
 CRIANDO DESUMANIDADES



FONTE: Khadija Kafir

.
.
HOJE  NO 
"i"

Família McCann recebe mais de 95 mil
.euros para continuar à procura de Maddy



A família McCann recebeu mais fundos para que a investigação do caso Maddy se prolongue até setembro.
 .

A VÍTIMA QUE RENDE


O governo inglês aprovou uma extensão de mais de 95 mil euros para dar seguimento às investigações, uma vez que as autoridades apontam para a existência de um novo suspeito que foi visto perto do Ocean’s Club, na altura do desaparecimento de Maddy McCann.

"É com agrado que anunciou este novo apoio à polícia inglesa, que está a tentar chegar ao fundo da questão do que aconteceu a Madeleine McCann. Queremos dar um final à história e justiça à família", disse o ministro do Policiamento, Brandon Lewis este sábado, segundo o The Mirror.

Até agora a investigação já vai em de 12, 5 milhões de euros.

Recorde-se que Madeleine McCann despareceu há quase 10 anos a 3 de maio de 2007 na praia da luz, no Algarve.

* De como a Inglaterra subvenciona a negligência parental e tira filhos a imigrantes.

.
.
HOJE  NO
"A  BOLA"
TAS proibe médico de exercer no desporto

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) proibiu Serguei Portugalov de exercer funções em áreas ligadas ao desporto.
 .
O médico foi acusado de ser responsável por práticas de doping no atletismo russo.

A sanção aplicada ao médico foi anunciada pela Federação de Atletismo da Rússia mas ainda não foi confirmada pelo TAS.

Em 2015, baseando-se nas acusações que davam conta do envolvimento de Portugalov em casos de doping, a Agência Mundial Antidopagem (AMA) pediu que o médico fosse proibido de trabalhar em áreas relacionadas com o desporto.

A Rússia foi suspensa das competições internacionais depois de o relatório McLaren, da AMA, ter revelado um sistema de dopagem alargado, com apoio estatal.

* É normal os "testas de ferro" pagarem pelos mandantes.

.
.
62-NO GINÁSIO
"CIRCUITO DOS GLÚTEOS"



.
.

1184
Senso d'hoje
ANA BOLA
ACTRIZ, HUMORISTA
Eu sempre fui,
uma mulher cheia de sorte"


* Intervenção de ANA BOLA na festa do 40º aniversário da COMISSÃO PARA A CIDADANIA E IGUALDADE DE GÉNERO (CIG), em Março deste ano.


FONTE: CAPAZES

.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS













.
.
Cobaias Brincalhonas


.
.


BOM DIA

.