15/12/2017

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
X~MEGA FÁBRICAS

1- MV AGUSTA


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
HOJE NO
"DINHEIRO VIVO"
Há um vinho português entre os 50
.melhores do mundo pela Bloomberg

Experiente enóloga da Bloomberg elencou aqueles que considera serem os melhores do mercado. Entre eles está um português.

Custa pouco mais de 9 euros em Portugal (16 dólares nos EUA, o equivalente a 13.5 euros), é “perfeito para um brunch pelo sabor picante e macio das frutas e pelo seu borbulhar suave”. 
 
FILIPA PATO

É desta forma que a enóloga Elin McCoy, da Bloomberg, descreve o espumante Filipa Pato 3B Rosé Extra Bruto, o único vinho português que integra na sua lista anual dos 50 Melhores Vinhos Abaixo dos 50 dólares (42,4 euros). Esta marca nacional faz parte dos cinco melhores espumantes que compõem uma lista que integra também vinho tinto, verde, branco.

Quanto à premiada enóloga que os escolhe, vale a pena referir que Elin McCoy é a única da Bloomberg que escreve sobre o setor vinícola. No seu perfil, descreve que é paga para “provar milhares de vinho por ano” e classificá-los em plataformas (além da Bloomberg) como House Beautiful, Las Vegas Life, Shattered, and Drink e ainda para o The New York Times.
 .
O domínio do tema levou-a também a escrever livros, dos quais são exemplo “Thinking About Wine” e o seu mais recente “The Emperor of Wine: The Rise of Robert M. Parker, Jr. and the Reign of American Taste“, posteriormente editado e traduzido para cinco línguas diferentes. “Sinto-me feliz por dar a notícia de que é possível experimentar grandes sabores a preços acessíveis. Nunca foi tão fácil como em 2017”, afirma McCoy sobre a lista deste ano.

* Filipa Pato é uma grande engenheira de vinhos, tem a quem saír.



.
.

X-MISTÉRIOS
EXTRATERRESTRES
Contactos Imediatos
1.1- À prova D'água


.
.
HOJE NO
"DESTAK"
Fitch tira Portugal do lixo 
ao subir rating em dois níveis

A agência de notação financeira Fitch retirou hoje Portugal do 'lixo' melhorando em dois patamares o 'rating' atribuído à dívida pública portuguesa, de 'BB-' para 'BBB', o segundo nível da categoria de investimento. 
.
Num anúncio feito hoje, a Fitch sobe o 'rating' atribuído à dívida pública e coloca-o sob uma perspetiva positiva, o que significa que se deve manter assim.

A melhoria da sustentabilidade da dívida pública e a redução das vulnerabilidades externas foram os dois principais fatores chave para que a Fitch melhorasse o rating atribuído a Portugal.

* A nossa opinião é a de que este governo conseguiu acender a luz ao fundo do túnel, depois das trevas bíblicas de Passos Coelho e Paulo Portas. Portugal melhorou mas ainda está em estado "não bom", como é que os arautos do diabo e da desgraça dos PSD e CDS se desenvencilham ao comentarem a decisão da Fitch, vamos esperar para rir.

.
.
IV-ARMAS E TÁCTICAS
3 -Armadilhas



FONTE: Universo do Documentário

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores. 
.
.
 
HOJE NO 
"i"
Regulador da Saúde arrasa conclusões
 do Hospital da Guarda sobre 
grávida que perdeu bebé

Deliberação da ERS dá 30 dias ao hospital para rever procedimentos e conclui que profissionais de saúde falharam no atendimento da mulher, ao contrário do que concluiu o inquérito interno.

A Entidade Reguladora da Saúde considera que a informação que lhe foi remetida pelo Hospital da Guarda sobre o caso da mulher que perdeu o bebé às 37 semanas de gravidez, no passado mês de fevereiro, não permite constatar por que motivo os peritos responsáveis pelo inquérito interno concluíram que não houve negligência por parte dos médicos, concluindo que a equipa que se encontrava escalada para o serviço de urgência falhou no atendimento. 
.
Em causa, o facto de uma médica ter decidido não observar a utente quando terá sido informada por uma enfermeira de que não havia registos de batimento cardíacos. Perante esta informação, a médica optou por acompanhar outra utente a uma TAC. Outro médico, confrontado com a mesma situação, decidiu ir ver outra utente que se encontrava em trabalho de parto. A ERS censura também a enfermeira, por não ter informado corretamente o médico quando este chegou ao serviço, remetendo para registos em cima da mesa.

Assim, a deliberação da ERS sobre este caso, conhecida hoje, assinala o tempo de espera excessivo da utente após a admissão no serviço de urgência, não havendo registos de triagem; registos pouco fiáveis e uma eventual falta de comunicação entre os diferentes profissionais no serviço.

Neste sentido, a ERS ordena à Unidade Local de Saúde da Guarda que adote procedimentos que garantam a prestação de cuidados em tempo útil e a devida monitorização dos doentes enquanto estão no serviço de urgência, mas também que melhore os registos clínicos dos utentes. A unidade tem 30 dias para ar seguimento à instrução. Caso o hospital não cumpra, poderá ser punido com uma coima até 44 891 euros 

* Uma triste história.

.

FRANCISCO MENDES DA SILVA

.




Em defesa da hipocrisia 


O estado judaico - uma solução imposta por lei, hoje com fronteiras frágeis, porosas e duvidosas - é ele próprio uma forma (boa) de "hipocrisia", que só à conta da (boa) "hipocrisia" internacional tem sobrevivido.

A hipocrisia tem péssimo nome. Mas ela é como o colesterol: há a boa hipocrisia e a má hipocrisia. Donald Trump desbaratou a primeira e abusou da segunda, na sua decisão de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, e de para lá mudar a embaixada dos Estados Unidos, actualmente em Telavive.

Os apoiantes da decisão celebram precisamente o fim de uma hipocrisia. Ela existe, sim. Jerusalém não é só a capital simbólica e prometida de Israel: Jerusalém é, de facto, a capital de Israel. É lá a residência oficial do Presidente da República e do primeiro-ministro, a sede do Governo e dos ministérios, da Universidade Hebraica e do Banco de Israel; é lá que funcionam o Parlamento e o Supremo Tribunal, o Museu de Israel e a Biblioteca Nacional. A soberania de Israel foi sempre exercida a partir de Jerusalém.

Na verdade, a decisão dos Estados Unidos, que já foi tomada em 1995, tem tido o apoio generalizado dos políticos americanos. Em 2008, na conferência da AIPAC (o lóbi americano pró-Israel), o então candidato Barack Obama foi claro: "Qualquer acordo com o povo palestiniano deve preservar a identidade de Israel enquanto estado judaico, com fronteiras seguras, reconhecidas e defensáveis, e Jerusalém deve manter-se a capital indivisível de Israel." No entanto, também em 1995, os Estados Unidos aprovaram uma espécie de moratória, de seis meses, até começarem a concretizar aquela decisão. Essa moratória tem sido prorrogada desde então. Sim, tudo isto é uma hipocrisia.

E depois há ainda a hipocrisia suprema: a ideia de que o conflito israelo-palestiniano é insolúvel porque ambos os lados têm razão. Não é verdade: ambos os lados têm razões de queixa, mas não contem comigo para estabelecer um paralelo perfeito entre a luta pela sobrevivência do estado de Israel, uma democracia liberal reconhecida pela comunidade internacional, e o anti-semitismo das forças políticas dos territórios e países seus vizinhos, cuja política oficial é ainda hoje a aniquilação do povo e do estado judaicos.

Ora, é exactamente por causa do perigo existencial que Israel enfrenta que convém assegurar a contenção e moderação dos seus inimigos. O estado judaico - uma solução imposta por lei, hoje com fronteiras frágeis, porosas e duvidosas - é ele próprio uma forma (boa) de "hipocrisia", que só à conta da (boa) "hipocrisia" internacional tem sobrevivido. É esta "hipocrisia" que tem mantido viva a ideia de que é possível a coexistência de dois estados e a partilha de Jerusalém, a única solução plausível para uma paz duradoura. A "hipocrisia" é aqui uma forma de defesa, prudência e pragmatismo. É o que separa a civilização da barbárie, a diplomacia da guerra e a validade de um determinado princípio da sua destruição às mãos da ideia infantil de que qualquer princípio pode a todo o momento ser concretizado integralmente.


Trump e os seus apoiantes dizem que só agora, com esta decisão, estão reunidas as condições para um novo e frutuoso processo de paz. Qual? Como? Ninguém explicou. Porque o que o Presidente quis foi só alegrar a sua base eleitoral e desviar as atenções dos muitos escândalos que o afectam. É a hipocrisia oportunista dos pequenos merceeiros políticos. Quanto aos seus apoiantes, estes estão convencidos de que só haverá paz entre judeus e palestinianos quando uma das partes subjugar definitivamente a outra. Talvez tenham razão, tragicamente. Mas enquanto não assumirem o que pensam escusam de criticar a hipocrisia dos outros.

Advogado

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
12/12/17


* Um alerta com todo o respeito ao sr. dr. Mendes da Silva, não há colesterol mau, o LDL e o HDL são ambos bons!

.
.


1442.UNIÃO



EUROPEIA



.
HOJE NO 
"A BOLA"
Europeus: 
Diogo Carvalho a dois centésimos
 do bronze

O português Diogo Carvalho falhou por pouco a conquista da medalha de bronze na final de 200 metros dos Europeus de piscina curta que decorrem em Copenhaga, na Dinamarca.
 .
O nadador luso ficou no quarto lugar com o tempo a menos de dois centésimos de segundo o terceiro classificado, o norueguês Tomoe Zenimoto Havas.

O alemão Philipe Heintz ganhou o ouro e o grego Andreas Vazaios a prata.

Além de Diogo Carvalho, recordista nacional, também Alexis Santos participou nesta final, terminando a prova em sétimo com o tempo 1.54,85, um recorde pessoal que já tinha batido nas eliminatórias.

Durante a manhã, numa série inédita com três portugueses, Gabriel Lopes não conseguiu um lugar na final (1.56,14 minutos). Noutra série João Vital também não conseguiu a qualificação.

Miguel Nascimento (50 metros livres) e Victoria Kaminskaya (200 metros mariposa) também não passaram as respetivas eliminatórias.

* Azar, fica para a próxima, continua a ser um bom nadador.

.
.

XII-HUMANIDADE

A HISTÓRIA DE TODOS NÓS

2- JAPÃO
 BOMBAS DE HIROSHIMA E NAGASAKI
 MILHARES DE OGIVAS NUCLEARES
 APLICAÇÃO DA ENERGIA NUCLEAR

3 ÁFRICA
 CIDADE DO CABO:
 1ºTRANSPLANTE CARDÍACO

14 AMÉRICA
 SELMA:ALABAMA: 
 AMELIA BOYNTON:
 1965 -DOMINGO SANGRENTO
 SUL DOS EUA- RACISMO:



* Neste vídeo da série vão cruzar-se 3 situações de relevo , em cada episódio encontra em subtítulo os items correspondentes.

**As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios

.
.
INCRÍVEL POR 100€
O MAIS BARATO
DA GEARBEST



FONTE:  Nuno Agonia

.
.
HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"
Reforçada vigilância 
à tuberculose nos javalis

Em causa está ameaça à saúde humana. Plano de controlo sanitário prevê colheita de amostras de animais em todo país. Zona de risco poderá ser alargada.
.
O Ministério da Agricultura vai reforçar a vigilância de javalis e veados para avaliar a prevalência de doenças como a tuberculose. Em causa estão "potenciais efeitos na saúde humana". Já a partir deste mês e até fevereiro, vão ser colhidas amostras em mil animais, em cem zonas de caça de todo o país, para determinar um eventual alargamento da área epidemiológica de risco, que atualmente abrange 19 concelhos.

* Sobre os javalis convém acrescentar que existem zonas do país com excesso de população que destrói literalmente terrenos de cultivo, uma praga.


.
.

Taylor Swift

Gorgeous


.
.
HOJE NO 
"AÇORIANO ORIENTAL"

Ex-ministro Vítor Gaspar “regressa” 
ao parlamento em debate do CDS 
sobre subsídios

Vítor Gaspar “regressou” hoje ao parlamento, na discussão de um projeto do CDS, com a acusação da esquerda ao ex-ministro das Finanças de ter querido “liquidar com o 13.º e 14.º mês”. 
 .
Este regresso ao passado foi motivado pela discussão sobre um projeto de lei do CDS para alterar o Código de Trabalho e que visa dar liberdade de escolha aos trabalhadores sobre a forma como recebem os subsídios de férias e de Natal, tudo junto ou em duodécimos e tem chumbo garantido pela esquerda.

“É um exercício de liberdade. Não de direitos dos trabalhadores que sejam postos em causa”, reclamou o deputado centrista António Carlos Monteiro.

A esquerda, PS, PCP, BE e PEV, lembrou que a diluição dos subsídios nos salários serviu para “esconder”, na expressão de Rita Rato, do PCP, o aumento de impostos decidido pelo Governo PSD/CDS, em 2012.

Embora o objetivo do então ministro das Finanças, Vítor Gaspar, segundo Rita Rato, e Vanda Guimarães, deputada do PS, tenha sido “acabar com os dois subsídios”, de férias e de Natal.

João Soeiro, do Bloco de Esquerda, também voltou à acusação de que o anterior Governo PSD/CDS quis “disfarçar” os cortes salariais e o aumento de impostos com a diluição dos subsídios nos 12 meses de salário.

Da intervenção de todos, só o PSD, através de Pedro Roque, anunciou o apoio ao projeto do seu ex-parceiro do Governo, dado tratar-se de “uma questão de liberdade de escolha”.

Rita Rato acusou ainda CDS de só se lembrar “dos trabalhadores” quando lhe dá jeito, lembrando que os centristas se esqueceram de “consultar os trabalhadores”, dado que não houve consulta pública do projeto de lei.

Ao que António Carlos Monteiro respondeu que Rita Rato pertence a um grupo de trabalho no parlamento sobre a transmissão de estabelecimento nos contratos de trabalho, um disposto que também não teve consulta pública.

O debate terminou com Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS, a acusar a esquerda de “instrumentalizar os trabalhadores”, sem lhes dar a possibilidade de escolha, “porque acham que não podem ou não sabem”.

* O CDS não encontra nada de importante para pôr em causa, atira-se a  redundâncias. Quanto a Vítor Gaspar é melhor ficar onde está, não faz falta em Portugal.

.
.


15- A HISTÓRIA
   
DO AUTOMÓVEL 


MAIS HISTÓRIAS NA HISTÓRIA




ATENÇÃO SRS./AS VISITADORES/AS
Esta série foi difundida pela TVE, Rede Minas, em 1986, é portanto muito datada. No entanto até à data indicada, o seu conteúdo tem rigor histórico.


* Nesta nova época de "bloguices" que vai de Setembro a Julho do próximo ano, iremos reeditar algumas séries que de forma especial sensibilizaram os nossos visitadores alguns anos atrás, esta é uma delas.

.
.
.
SALMA HAYEK
A terrível experiência
com Weinstein



FONTE: AFP Brasil

.
.
Trump e o Efeito Jones
Democratas esperam novo ciclo 



FONTE: EURONEWS


.
.

MANKIND IS NO ISLAND

por Jason Van Genderen





.
.
SACANAGEM

FORJANDO UM CADÁVER E
PIRAR-SE DO HOTEL


SIMPATIA


DEVOLUÇÃO DE DÍVIDA


DUPLA PENETRAÇÃO


YOGURTE, PÊSSEGO,
 TIRAS DE MAÇÃ


LIBIDINOSOS


BOLACHAS DE CHOCOLATE
COM PASTA DE DENTES


COPOS INVERTIDOS
COM ÁGUA


LEITURAS


UM TUBO DE COLA NO
MEIO DE REMÉDIOS


COMO LIMPAR????


.
.


1459
Senso d'hoje
LUÍS MARQUES MENDES
COMENTADOR POLÍTICO
EX-MINISTRO
EX-PRESIDENTE PSD
"O KARMA SERVE-SE FRIO"
"Disparatadamente 'erudito'"


*  Tiros na água do notável comentador da SIC, proferidos ao longo do ano de 2017 a propósito da possível ida do ministro MÁRIO CENTENO para a presidência do Eurogrupo.

 FONTE: LUÍS VARGAS

.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS









.
.

E VAI OUTRA VOLTINHA


.
.

BOM DIA


.
.

3-BIZARRO

FORA "D'ORAS"

XII-MOUNT OLYMPUS/3



*Quem diz que os artistas não são atletas?

 O artista belga Jan Fabre e 27 outros artistas conceberam uma apresentação de 24h sem paragem nem intervalos, intitulada de Mount Olympus, que foi estreada no Berliner Festspiele. 
O incrível feito de resistência foi escrito, dirigido e coreografado por Fabre, que novamente empurra os limites do teatro.

Depois de 12 meses de ensaios, Mount Olympus tentou unir todas as facetas do trabalho anterior do artista. 

Descrito como 'um projecto excepcional' no site do Berliner Festspiele, os artistas  'dançaram, actuaram, amaram, sofreram, dormiram e sonharam ao percorrerem os mitos da Grécia antiga'.  Levaram os espectadores através duma actuação entre o acordar e o sonhar, entre o sonho e a realidade.

Actuações anteriores baseadas na resistência, tal como a sua peça de oito horas 'Isto é Teatro Como Era Esperado e Antecipado'  (1982), revolucionaram o conceito da arte de teatro e actuação.

Desde 1951 que o Berliner Festspiele une uma variedade de entre-cruzamentos de disciplinas artísticas e de eventos culturais para promover a rica e colorida paisagem artistica de Berlim.


** Somos suficientemente incultos e incapazes para considerar como arte este espectáculo, não há como aprender e digerir.

*** A primeira parte da encenação foi editada neste blogue entre 07 e 25 de Abril.

**** A segunda parte da encenação foi editada neste blogue a partir de 02/06/17.
Disfrute.