26/01/2020

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.



43-FUTURANDO

Plantação no fundo do mar



01:04 Existe no leito dos mares uma vegetação que está desaparecendo e que é fundamental para o equilíbrio das regiões costeiras: os prados submarinos. Eles evitam a erosão das praias, por exemplo. O Futurando traz uma reportagem mostrando um projecto para desenvolver grama marinha artificial. A grama poderia reflorestar os locais mais degradados pela actividade agrícola praticada em terra firme e o aquecimento global.

05:30
E uma plantação de frutas e verduras no fundo do mar? Você diria rápido que é utopia? Não. Não é. Um projeto na Itália montou biomas a dez metros de profundidade. São estufas aquáticas alimentadas de forma sustentável e que prometem ser uma alternativa aos modos de produção de alimento agressivos ao meio ambiente.


10:27
Você teria também uma reacção meio de dúvida se alguém te oferecesse um chips de água-viva? Outra vez não, não é mentira. Uma gastrofísica está apostando nisso. Quem provou disse que o gosto é de mar. Mas o sabor ainda pode e está sendo aprimorado com a adição de outros ingredientes no processamento.


14:45
Já que o Futurando está cheio de perguntas, mais uma: tomar café é saudável ou não? O tema sempre foi controverso. Vamos trazer uma pesquisa da Universidade de Kaiserslautern que conseguiu identificar benefícios no consumo da bebida. Só que depende do modo de prepare. Fique ligado!


19:53
No assunto saúde temos ainda uma reportagem sobre a temida artrose. Para quem não ouve muito falar da doença, ela é resultado do desgaste da cartilagem que reveste os ossos das articulações e permite que tenhamos uma mobilidade sem qualquer limitação. O problema é que em algum momento da vida a cartilagem pode ficar rígida. O Futurando vai contar o porquê isso acontece.



23:11
Nessas questões relacionadas ao corpo, fato é que a genética muitas vezes explica tudo – ou quase tudo. Os genes e o ambiente ao nosso redor têm um papel importante. Determinam, muitas vezes, a nossa forma de pensar, nossas características físicas e até psicológicas. Ficou curioso para saber detalhes? Então assista ao Futurando. 


 
FONTE: DW Brasil

.

.
II- G Σ́ N I O S
3-
𝓙𝓸𝓼𝓮𝓹𝓱 𝓑𝓪𝓷𝓴𝓼, 𝓙𝓪𝓶𝓮𝓼 𝓦𝓪𝓽𝓽, 𝓙𝓸𝓱𝓷 𝓗𝓾𝓷𝓽𝓮𝓻, 𝓔𝓭𝔀𝓪𝓻𝓭 𝓙𝓮𝓷𝓷𝓮𝓻, 𝓗𝓮𝓷𝓻𝔂 𝓒𝓪𝓿𝓮𝓷𝓭𝓲𝓼𝓱
𝓙𝓸𝓼𝓮𝓹𝓱 𝓟𝓻𝓲𝓮𝓼𝓽𝓵𝓮𝔂




FONTE:   DocumentariosCiencia

.
.
Provérbio Ilustrado
𝔸 𝕒𝕦𝕤𝕖̂𝕟𝕔𝕚𝕒 𝕗𝕒𝕫 𝕠 𝕔𝕠𝕣𝕒𝕔̧𝕒̃𝕠
𝕔𝕣𝕖𝕤𝕔𝕖𝕣 𝕞𝕒𝕚𝕤 𝕒𝕗𝕖𝕚𝕔̧𝕠𝕒𝕕𝕠



.
.

Os Doze Trabalhos de Asterix/5


.
.
Provérbio Ilustrado
𝔸𝕔𝕔̧𝕠̃𝕖𝕤 𝕗𝕒𝕝𝕒𝕞 𝕡𝕠𝕣 𝕞𝕚𝕝 𝕡𝕒𝕝𝕒𝕧𝕣𝕒𝕤



.
.
Jout Jout Prazer

Vamos nos amar virtualmente



Jout Jout, Prazer fala sobre seu vídeo viral "Não tira o batom vermelho", que alerta sobre relacionamentos abusivos, e sobre como se tornou amiga virtual de mais de 200 mil pessoas pelo seu canal do Youtube falando de temas triviais e "destabulizando" tabus. 
Julia Tolezano é uma jornalista de 24 anos que nunca considerou seguir a carreira e acabou fazendo vídeos para o YouTube. Assim nasceu seu canal "JoutJout Prazer", que acaba de completar um ano. O canal já chega a 122 mil inscritos e seus vídeos já contam com 10 milhões de visualizações. 
Após o sucesso do vídeo “Não tira o batom vermelho”, que alerta homens e mulheres sobre a possibilidade de estarem em um relacionamento abusivo, Julia passou a ser considerada uma expressão do feminismo na internet. 
Seus vídeos, no entanto, não pairam apenas sobre o universo feminista, podendo abordar também as especificidades do seu próprio pé, ou um tutorial de como limpar a geladeira. 
Recentemente, Julia tornou-se colunista da revista Cosmopolitan.
.
Provérbio Ilustrado
ℕ𝕒̃𝕠 𝕛𝕦𝕝𝕘𝕦𝕖 𝕦𝕞 𝕝𝕚𝕧𝕣𝕠 𝕡𝕖𝕝𝕒 𝕔𝕒𝕡𝕒



.

LUÍS ALBERTO MATOS

.






Uma Saúde paliativa

Na RAM a Saúde resume-se a números. O GR diz uns, a oposição afirma outros. Ano após ano, promessa após promessa, com iguais ou outros dirigentes, o povo continua sem soluções, para velhos problemas que se acumulam.

Nos últimos dias, situações díspares mas, curiosas, sucederam-se na Madeira.

Uma troca de cadáveres no hospital. É normal? não. Pode acontecer? sim. Tem acontecido amiúde? Sim, 1 a 2 vezes ano. Porque continua a acontecer?

Uma menina morreu em condições suspeitas. 48h depois, o SESARAM diz que tudo foi feito de “acordo com o quadro clínico apresentado”. O SESARAM esqueceu-se que com as pessoas, o “cut and copy” não existe e cada caso é um caso. Quando esta menina morre de forma suspeita, NÃO EXISTEM QUADROS CLINICOS TÍPICOS. Investiga-se. Se necessário, uma autópsia é feita e depois retiram-se conclusões. Ao SESARAM faltou humanidade e dignidade nesta altura.

A Dra. Filomena Gonçalves foi indicada para Dir. Clínica do SESARAM, pelo CDS-M, com outros nomes para lá exercerem cargos. Chocante que, claramente, se admita que são feitas nomeações, à medida por interesse partidário, logo na Saúde, com a bênção dos profissionais escolhidos (ética?). Na Saúde ajudam-se pessoas, não coisas. Quando se erra, as consequências são desastrosas.

Rafaela Fernandes, promoveu reunião com diretores de serviço do SESARAM. Tudo bem, não se desse o caso de promover uma votação sobre assuntos que só dependem da Administração/dela. O SESARAM vai ter uma gestão colegial? Ou será apenas demonstração de falta de caracter, de liderança, de coragem, usando a “assembleia” para afastar quem não queria? Se o SESARAM estava mal, ficou a saber-se que vai ficar pior, seja pelo “colégio” de interesses instalados, seja porque Rafaela falha como líder.

A Dra. Licínia Araújo, com a especialidade de Medicina Geral e Familiar, como informa a Ordem, é “Coordenadora da Unidade de Cuidados Paliativos, CP, do SESARAM”. A Enfª Teresa Goes, é “Dir. dos Cuidados Continuados Integrados, CC´s, do SESARAM”. No site do SESARAM aparecem lá os CP´s. Mas não CC´s. Normal, porque estão integrados na vice-presidência. Mas estranho, porque Teresa Goes não possui grande experiência em CC´s, para exercer funções de coordenadora regional. Falta-lhe experiência, sobra-lhe teoria e “manha”, que se notou nos acordos com privados e em entrevistas.

Teresa Goes, na RTP-M, disse que na RAM, para os CC´s, foram transpostas as orientações/diretivas nacionais. Não existe informação regional que a contradiga. Mas Licínia Araújo tem que ter a competência ou a especialidade em medicina paliativa, para exercer aqueles cargos (ver Plano Estratégico para o Desenvolvimento dos Cuidados Paliativos, biénio 19/20, quadros 2/3). As equipas de cuidados paliativos devem integrar profissionais de Saúde com formação avançada, tendo um número mínimo de horas em formação prática. Quem nomeou Licínia Araújo, não cumpriu a lei e ela, ética e moralmente, não agiu bem, no mínimo. A(s) equipa(s) de CP´s regionais obedecem às diretivas “nacionais” ou “regionais”? Como aconteceu com Rita Andrade, foram feitas “leis” à medida ou simplesmente ignorou-se o normativo nacional?

Isolados, estes casos seriam invulgares mas, no seu todo, mostram o estado da Saúde na RAM. Não está morta, mas está paliativa. Porque onde sobram a sobranceria, a desilusão, o desinteresse, e o amor à ca(u)sa, faltam o humanismo, o rigor, o método, o brio, as competências próprias e a igualdade.

 IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA"
24/01/20

.
.


2165.UNIÃO



EUROPEIA




.
.
Provérbio Ilustrado
𝕌𝕞𝕒 𝕔𝕠𝕟𝕤𝕔𝕚𝕖̂𝕟𝕔𝕚𝕒 𝕔𝕦𝕝𝕡𝕒𝕕𝕒 𝕟𝕒̃𝕠
𝕟𝕖𝕔𝕖𝕤𝕤𝕚𝕥𝕒 𝕕𝕖 𝕟𝕖𝕟𝕙𝕦𝕞 𝕒𝕔𝕦𝕤𝕒𝕕𝕠𝕣
.


.
.
IV-𝒜𝑒𝓇𝑜𝓅𝑜𝓇𝓉𝑜 𝒞𝑜𝓁𝑜̂𝓂𝒷𝒾𝒶/3



O El Dorado é o principal terminal aéreo da Colômbia, por onde passam milhões de pessoas todo ano. Tráfico de drogas e pessoas, deportação de criminosos e emergências médicas são apenas alguns dos casos que os agentes da segurança enfrentam todos os dias.


FONTE:  JP Moura
.
.
.

XXXVI-VISITA GUIADA

Pitões de Júnias/1
PORTUGAL


* Viagem extraordinária pelos tesouros da História de Portugal superiormente apresentados por Paula Moura Pinheiro.
Mais uma notável produção da RTP

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
Provérbio Ilustrado
𝔸𝕥𝕣𝕒𝕧𝕖𝕤𝕤𝕖 𝕠 𝕣𝕚𝕠 𝕠𝕟𝕕𝕖 𝕖́ 𝕞𝕒𝕚𝕤 𝕣𝕒𝕤𝕠



.
.
Placido Domingo e Andrea Bocelli

Pearl Fishers duet


Georges Bizet

.
.
Provérbio Ilustrado
𝔸 𝕓𝕖𝕝𝕖𝕫𝕒 𝕡𝕠𝕕𝕖 𝕒𝕓𝕣𝕚𝕣 𝕡𝕠𝕣𝕥𝕒𝕤,
𝕞𝕒𝕤 𝕤𝕠𝕞𝕖𝕟𝕥𝕖 𝕒 𝕧𝕚𝕣𝕥𝕦𝕕𝕖 𝕖𝕟𝕥𝕣𝕒

.


.
.


5-ꉣꍏꀤꊼꂦ̃ꍟꌗ ꉣꃅꀤ꒒ꂦꌗꂦ́ꎇꀤꉓꍏꌗ
5.1-𝓞 𝓪𝓶𝓸𝓻 𝓬𝓸𝓶𝓸 𝓬𝓸𝓷𝓼𝓾𝓶𝓸
Olgária Matos


*  Como falar de amor num tempo que não tem tempo para o amor? “O amor como consumo” é o tema deste Café Filosófico em que a filósofa e professora Olgária Matos reflete sobre como a nossa época vive o tempo e como isso mudou a própria natureza do amar. Matos descreve o processo histórico que fez com que o amor se tornasse mercadoria
FONTE:  Café Filosófico CPFL

.
.
Cinco razões para não usar preservativo



FONTE:  Direção-Geral da Saúde

.
.
188 milhões 
de desempregados no mundo



FONTE:  euronews

.
.
𝗥𝗲𝗹𝗼́𝗴𝗶𝗼 𝗱𝗼 𝗔𝗽𝗼𝗰𝗮𝗹𝗶𝗽𝘀𝗲
𝟭𝟬𝟬 𝘀𝗲𝗴𝘂𝗻𝗱𝗼𝘀 𝗽𝗮𝗿𝗮 𝗼 𝗺𝘂𝗻𝗱𝗼 𝗮𝗰𝗮𝗯𝗮𝗿



FONTE: Band Jornalismo

.
.

PUDIM DE BANANA SEM AÇÚCAR



   Pilotando o fogão com a Lene
.
.
ƐU QUƐRO AƤLAUƊIR


MESMO QUE ELES TRAFIQUEM DIAMANTES
ROUBADOS AO POVO ANGOLANO

.
.

2227
Senso d'hoje
MÓNICA FERRO
DIRECTORA DO "UNFPA-ONU"
GENEBRA
ANDRÉ
PIMENTEL GARCIA
ESTUDANTE AÇORIANO
CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO
CIDADE DO PORTO
 DUELOS PELA EUROPA




* UNFPA-Fundo de População das Nações Unidas


FONTE:  Rádio Comercial
.
.

ANIMAL TV

CÃES SELVAGENS AFRICANOS


  ANIMAL TV

.
.

BOM DOMINGO


.