11/05/2020

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


.
.


147-SUBTILEZAS

Este é o seu cérebro



RESUMO ANIMADO


FONTE:   Minutos Psíquicos
..

.

7.KONTAKTHOF

Por  PINA BAUSCH



O presente artigo pretende contextualizar o trabalho da coreógrafa e bailarina alemã, Pina Bausch (1940-2009), referência mundial do Tanztheater. 
Nosso recorte foca na análise da utilização do gestual quotidiano na obra de sua autoria Kontakthof
O espetáculo cênico foi criado em 1978 com bailarinos do Tanztheater Wuppertal e sua construção girou em torno dos conflitos inerentes às relações humanas, relações de poder, de carinho, de submissão, de descoberta e de exposição. 
Realiza-se uma análise das formas de utilização do gestual cotidiano no espetáculo cênico que no ano 2000 teve uma remontagem com senhores e senhoras maiores de 65 anos, e em 2008 com alunos das escolas públicas da cidade de Wuppertal, todos sem nenhuma experiência profissional em dança. Suporta teoricamente este artigo as abordagens de autores como: Stanislavski, Brecht e Gil em diálogo com outras obras cênicas de Bausch.

Por Marina Milito de Medeiros, Sayonara Pereira


FONTE:  Hvanngil

.
.
ESTE MÊS  NA
"EXAME INFORMÁTICA"
ANACOM
No Norte, ainda há zonas 
sem sinal de redes móveis

No Norte do País, "a velocidade de transferência de ficheiros registada nas áreas mediamente urbanas e predominantemente rurais é significativamente inferior à registada nas áreas predominantemente urbanas, tanto em download como em upload", denuncia a reguladora das telecomunicações

Na região Norte do País, as redes móveis tendem a ter um pior desempenho nas zonas predominantemente rurais – a ponto de haver zonas com “alguns níveis significativos de cobertura rádio ‘Inexistente’”, refere a Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom) no mais recente estudo de análise à qualidade das redes móveis. O estudo agora publicado aponta ainda a Vodafone como a operadora que garante melhor desempenho no que toca à qualidade das redes móveis de quarta geração (UMTS ou 3G) do Norte do País.
À semelhança do sucedido no estudo sobre a qualidade das redes móveis do Alentejo, que foi publicado em janeiro, a Anacom voltou à “estrada” para levar a cabo um conjunto de medições de comunicações de voz, cobertura e qualidade do sinal de rádio, e ainda velocidades de download e upload.
.
“A velocidade de transferência de ficheiros registada nas áreas mediamente urbanas e predominantemente rurais é significativamente inferior à registada nas áreas predominantemente urbanas, tanto em download como em upload. Este indicador apresentou uma elevada variabilidade, observando-se valores máximos acima de 249 Mbps e 64 Mbps, respetivamente em download e upload, e mínimos abaixo de 0,05 Mbps, que dificultam ou impossibilitam a transmissão de dados em condições adequadas”.

Ainda no acesso à Net e na transferência de dados, os peritos da Anacom identificaram algumas diferenças entre os operadores quando se trata de medições de download e upload, mas também foi apurada uma tendência para a perda de qualidade do serviço nas zonas predominantemente rurais.

“Os serviços de navegação na Internet e YouTube video streaming, e também a latência de transmissão de dados, apresentaram desempenhos inferiores, face à transferência de ficheiros, observando-se também algumas diferenças entre operadores e tipologias de áreas urbanas. De uma forma geral, registaram-se piores desempenhos nas áreas mediamente urbanas e predominantemente rurais”, informa a Anacom em comunicado.

Nas comunicações por voz, as zonas rurais são igualmente prejudicadas face às zonas urbanas. A reguladora das telecomunicações classifica como “bom” o desempenho global em todos os operadores no que toca às comunicações por voz, mas denuncia uma “acentuada degradação, nomeadamente no tocante às capacidades de estabelecimento e de retenção de chamadas” nas zonas rurais.

A Anacom recorda que as medições foram levadas a cabo de forma sistematizada, sem intervenção humana e em plano de igualdade para Nos, Meo, e Vodafone. As medições incidiram na totalidade dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real e Bragança, e ainda nas parcelas mais a norte dos distritos de Aveiro, Guarda e Viseu. Foram abrangidos 86 municípios, que correspondem a 23% da superfície terrestre de Portugal.

“O trabalho de campo relativo a este segundo estudo decorreu entre os dias 3 e 13 de fevereiro de 2020, tendo sido realizadas 952 chamadas de voz, 6 475 sessões de dados e 578 712 medições de sinal rádio, correspondendo a aproximadamente 317 chamadas de voz, 360 sessões de dados e 64 300 medições de sinal rádio, por indicador e operador. Foram percorridos 303 quilómetros em testes”, informa a entidade reguladora.

A Anacom informa que deverá publicar, nos tempos mais próximos, relatórios de qualidade das redes móveis para as restantes regiões do País.

A Anacom publicou ainda a seguinte tabela que permite comparar a qualidade das redes móveis dos três operadores na região Norte.

* Não é só no norte do país, a Beira Interior, o Alentejo Interior também  são afectados em termos de qualidade, isto porque as operadoras mandam no país e os seus clientes são alvo de desrespeitosas regras  comerciais como por exemplo o embuste da  fidelização.

.
.
MINUTOS DE
CIÊNCIA/280

Problema do BOLSONARO vs. CORONAVÍRUS 
 Desafio viral




FONTE:  Matemática Rio com Prof. Rafael Procopio

.
.
HOJE  NO 
"i"
'Dê a cara por quem não pode' e ajude
 no combate à violência doméstica

A nova campanha da Altice, através da Meo, em conjunto com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), PSP e GNR, pede aos familiares, amigos ou vizinhos 'que não permaneçam em silêncio nesta altura de crise'.

O número de denúncias à PSP pode ter diminuído, mas a violência doméstica não desapareceu durante a pandemia. É por isso que a Altice Portugal e a MEO, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), a PSP e a GNR se juntaram numa campanha de sensibilização, lançada esta segunda-feira, “incentivando a uma maior atuação cívica” e à denúncia de casos de violência doméstica. “Se, por um lado, a quarentena tem sido uma das ações mais eficazes no combate ao vírus, por outro, torna-se uma ameaça para as vítimas de violência doméstica”, lê-se no comunicado conjunto de divulgação da campanha que tem como mote “Dê a cara por quem não pode”.
.
A entidades envolvidas na campanha apelam “aos familiares, amigos ou vizinhos, bem como a outros membros do círculo próximo das vítimas, que não permaneçam em silêncio nesta altura de crise e que deem voz a quem não o pode fazer por si próprio”.

Para Alexandre Fonseca, presidente executivo da Altice Portugal, “ninguém pode ficar indiferente” a este tema e, a Altice “tem desafiado os portugueses a quebrarem todas as barreiras do silêncio, apelando para que se unam a favor de uma causa que é de todos”. Também João Lázaro, presidente da APAV, sublinha os objetivos comuns das várias entidades no combate à violência doméstica: “incentivar a participação cívica de todos/as e alertar para a urgência de uma sociedade sem violência”.

A PSP deixa também o alerta ao crime: “Por ser praticado pelos que nos são mais próximos, pais, filhos ou cônjuges, o seu efeito é ainda mais traumático. As sensações de profunda vulnerabilidade e abandono fazem a vítima crer-se sem solução, transformando o medo comum em pânico”. Já a GNR, pela voz do comandante-geral da GNR, tenente-general Botelho Miguel, evidencia a contribuição desta campanha para a “mudança de comportamentos da sociedade e para a progressiva intolerância social face a este flagelo”.

* O legislador foi muito brando na penalização da violência doméstica, o "tuga" agressor só com muito medo do exercício da justiça refreia a barbárie.

.


XLV - MEGA MÁQUINAS

4-Air force one
acesso secreto



O título da rubrica MEGA MÁQUINAS não se conforma apenas com as enormes dimensões de algumas que temos exibido, abrange todas as que têm MEGA INFLUÊNCIA nas nossas vidas.

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


FONTE: Mega Buques
.
HOJE  NO
"A BOLA"
DGS sobre risco de contágio no futebol: “Nem queremos chegar ao ponto de ter casos positivos”

"Não quero estar a fazer um exercício de futurologia. Isso tem muito a ver com o número de casos positivos que podem aparecer a determinada altura", explicou Graça Freitas sobre qual o número de casos a partir do qual pode ser reavaliada a retoma da I Liga.

Graça Freitas, responsável máxima da Direção-Geral de Saúde, realçou esta segunda-feira em conferência de imprensa que o código de conduta associado à retoma da I Liga visam evitar as infeções no contexto do futebol profissional e recusou-se a dar um patamar a partir do qual pode ser reavaliado o regresso do futebol.
.
“Não quero estar a fazer um exercício de futurologia. Isso tem muito a ver com o número de casos positivos que podem aparecer a determinada altura. Os procedimentos que definimos servem para minimizar o risco de surgimento de casos com o maior isolamento social possível. Não queremos chegar ao ponto de ter casos positivos e de equacionar o que possa acontecer perante o número de casos que surjam”, realçou Graça Freitas.

Sobre a responsabilização que está a ser apontada e que pode apenas ser direcionado aos jogadores, a responsável da DGS sublinha que “os atores envolvidos têm diferentes níveis de responsabilização” e que “não é apenas um dos intervenientes que fica responsável por todo o processo”.

Antes, António Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde, realçou que o regresso do futebol tem que ser baseado na testagem, no isolamento, na proteção e no tratamento e esse é o trabalho da saúde; à Federação Portuguesa de Futebol cabe o trabalho de operacionalizar as normas instituídas pela DGS. Recorda o governante que “se todas as partes fizerem bem o seu trabalho, vai correr tudo bem”.

O regresso da Primeira Liga e da Taça de Portugal vai contar com estádios vazios, testes antes dos jogos e recolhimento obrigatório por parte dos atletas.

 O Governo tem previsto o regresso das competições oficiais da Primeira Liga de Futebol e Taça de Portugal a partir do fim de semana de 30 e 31 de maio. Estas são as condições impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), depois das reuniões entre a DGS, Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Liga Portugal.

Portugal conta com um total de 27.679 casos confirmados da Covid-19, mais 98 face ao dia anterior, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde divulgado esta segunda-feira, 11 de maio. O número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 1.144, o que corresponde a mais nove mortes nas últimas 24 horas.

* Mas já existem jogadores, técnicos e dirigentes de clubes a salientarem o exagero das medidas, sabem zero de ciência mas mandam bitates.

.

PEDRO MARQUES LOPES

.





 O costume

A Federação Portuguesa de Futebol achou que não havia ninguém melhor para presidente do seu Conselho de Disciplina do que a deputada e jurisconsulta Cláudia Santos. De todos as pessoas competentes para exercer esta tarefa, Fernando Gomes escolheu alguém com um carinho especial pelo Benfica e um ódio especial pelo F. C. Porto e seus dirigentes. São opções, claro está.

A senhora em causa tinha pertencido a uma Direção da Liga especialmente marcante: o mandato de Mário Figueiredo. Já se sabe que a memória não abunda no futebol português, mas talvez valha a pena lembrar que esse período não foi, digamos, um exemplo de isenção e dignidade. A coligação entre o Benfica e essa Direção da Liga é um facto publico e notório.

Por falar em comadres, Mário Figueiredo apareceu a escrever uma série de textos no Facebook. Neles, fala da sua presidente da Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga e do atual presidente da FPF.

Seria insultar a inteligência do cidadão dizer que o que o ex-presidente da Liga afirma não é discutível, muitíssimo longe disso, particularmente a parte em que desenvolve uma tese sobre Fernando Gomes. O que estranhei foi o silêncio sepulcral em redor do que Mário Figueiredo escreveu. Afinal o homem foi presidente da Liga, não há jornalistas e comentadores desportivos que achem curiosa esta tomada de posição do homem? Imagine-se o que seria se um ex-dirigente desportivo de primeira linha fizesse as considerações que ele fez mas se em vez do Benfica fosse o F. C. Porto a estar em causa.

Porque será que nada disto me espanta?

A subir
A primeira Liga vai recomeçar: são excelentes notícias. Feliz ou infelizmente, há poucas coisas no nosso país que digam tanto a tanta gente como o futebol. O lento regresso à normalidade não teria o mesmo significado sem a chegada desta paixão. Nós precisamos do futebol e o país também.

A descer
A Federação de Andebol não gosta do F. C. Porto. Basta lembrar a homenagem feita ao Sporting no ano em que o F. C. Porto fez a mais brilhante época de todos os tempos do andebol nacional. Agora não nos atribui o título apesar de estarmos à frente na classificação depois de terminada a época regular. A FPA não merece esta nossa equipa.

*Adepto do F. C. Porto

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
03/05/20

.
.


2267.UNIÃO



EUROPEIA

E FOI PRECISO UM VÍRUS...




* Obrigado ALEX CARIOCA por esta reflexão

.
.
HOJE  NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"
Trump atira-se a Obama após críticas
 e fala na "administração mais 
corrupta" dos EUA 

Donald Trump acusa o ex-presidente Barack Obama da "administração mais corrupta" da história dos EUA. Desde que Obama considerou que a gestão da pandemia por Trump é um "desastre caótico absoluto" que Trump não para de falar do "Obamagate".

Numa das publicações mais recentes, Donald Trump escreve que o "Obamagate" faz o "Watergate" (escândalo que levou à demissão de Richard Nixon em 1974) parecer um assunto menor.
.
É apenas mais um post no Twitter nas últimas horas, onde o presidente norte-americano tem lançado diversas acusações contra o seu antecessor.

As críticas passam por Trump dizer que Barack Obama esteve de conluio com o seu ex-conselheiro de segurança nacional, Michael Flynn, para derrubar a nova administração dos EUA.

Flynn estava acusado de ter mentido ao FBI sobre o caso que envolvia uma eventual ligação de Trump ao Governo russo, para interferir nas eleições presidenciais de 2016.

O general declarou-se culpado, mas o processo foi arquivado pelo Departamento de Justiça norte-americano, após este considerar que as declarações de Flynn ao FBI tinham sido feitas durante uma investigação que "não se justificava".

As críticas de Trump contra Obama intensificaram-se após este descrever a sua gestão da pandemia de covid-19 como um "desastre caótico absoluto", apelando aos seus antigos dirigentes que se juntem a Joe Biden, candidato democrata às presidenciais de novembro.

O presidente dos EUA tem publicado dezenas de mensagens nas últimas horas a defender a tese de que Obama trabalhou de forma conspirativa para minar a sua gestão e o forçar a abandonar o cargo.

As palavras de Obama foram gravadas durante uma reunião de trabalho e divulgadas sem a autorização do ex-presidente norte-americano.
* Mas há alguém mais corrupto que Donald Trump?

.
.
III Misterios Revelados

1- Funeral de Sangue


Maurício Souza
.
.


10. Inesquecíveis Viagens
de Comboio

10.5 - Passeio pela ESPANHA



* Estas viagens que desfrutaremos são também observação atenta às pessoas com que o viajante se cruza, problemas sociais, conformismo e também ilusões, vai perceber porque as viagens são inesquecíveis.


FONTE:  Robalo 

.
.
HOJE NO
"DINHEIRO VIVO"
Portugueses gastaram menos 56 milhões por dia devido ao confinamento

O confinamento da população e o encerramento imposto a grande parte das empresas e atividades gerou uma grave crise económica.

Os pagamentos de compras com cartões caíram 46%, em média, entre 19 de março e o dia 20 de abril, devido ao confinamento da população, tendo os portugueses gasto menos 56 milhões de euros por dia em compras.
.
Segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Banco de Portugal, os portugueses levantaram menos 34 milhões de euros em dinheiro no mesmo período, o que corresponde a uma descida de 46% face ao registado na mesma altura do ano passado.
No dia Páscoa, a quebra atingiu os 77% nos pagamentos de compras com cartões e os 70% nos levantamentos de dinheiro. 
.
No caso dos consumidores estrangeiros, durante o mês de março, terão gasto menos 184 milhões de euros em compras e levantado menos 34 milhões de euros em dinheiro. Trata-se de quebras homólogas de 80% e 60%, respetivamente, de acordo com o ‘Relatório de Sistemas de Pagamentos’ divulgado pelo supervisor financeiro. 
.
Os dados relativos ao mês de abril serão disponibilizados em breve mas deverão demonstrar uma redução dos pagamentos e levantamentos de dinheiro no país devido ao confinamento da população. 
.
Em termos de setores de atividade, o do alojamento foi o mais afetado pelas medidas adotadas face à epidemia, perdendo 56% de receitas face a igual período do ano anterior. Mas o setor mais afetado em termos absolutos foi o da restauração, com uma redução de 229 milhões de euros face ao valor de receitas obtidas no período homólogo.
.
 O período em que esteve em vigor o estado de emergência em Portugal durou de 18 de março a 2 de maio. O confinamento da população e o encerramento imposto a grande parte das empresas e atividades gerou uma grave crise económica. Vários países adotaram a mesma estratégia, exceto a Suécia, que manteve empresas, lojas e escolas a funcionar, apenas informando a população sobre a necessidade de tomar precauções face ao novo coronavírus. 
.
A epidemia do novo coronavírus começou na China, no final de 2019, e a alastrou a todo o mundo, causando 283 mil vítimas mortais. Os dados que têm sido divulgados sobre número de mortes e contagiados abrangem apenas as pessoas que foram testadas.
.
* Pois não há dinheiro para gastar exceptuando os frequentadores dos casinos virtuais que gastam dinheiro em barda.

.
.

Susana Seivane con Milladoiro

Muiñeira da Fonsagrada


.
.
HOJE NO 
"AÇORIANO ORIENTAL"
Deputadas do PS questionam 
Governo sobre impacto da pandemia
 na vida das mulheres

Um conjunto de deputadas do PS questionou as ministras da Presidência e do Trabalho sobre o impacto da Covid-19 na vida das mulheres, solicitando dados desagregados por sexo relativos às medidas de apoio económicas e sociais.

Esta pergunta dirigida às ministras Mariana Vieira da Silva e Ana Mendes Godinho é subscrita pelas deputadas socialistas Elza Pais, Edite Estrela, Catarina Marcelino, Isabel Rodrigues, Alexandra Tavares Moura e Cristina Moreira.
.
As deputadas do PS pretendem saber se "existem dados desagregados por sexo relativamente aos trabalhadores abrangidos pelas medidas adotadas pelos Governo para reduzir o impacto social e económico da crise pandémica, nomeadamente trabalhadores/as em 'lay-off' em apoio para ficarem com os filhos e em teletrabalho".

Caso existam esses dados desagregados por sexo, as deputadas do PS solicitam então que a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social envie esses dados à Assembleia da República.
No entanto, se esses dados não existirem, este grupo de deputadas socialistas questiona se o Governo tenciona proceder a essa desagregação por sexo e quando o pretende fazer.

Para o efeito, as deputadas do PS citam o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que considerou que "os impactos sociais e económicos da crise nas mulheres são muito preocupantes".

Uma conclusão que teve como base o relatório da ONU sobre "o impacto da Covid-19 nas mulheres".
Nesse relatório, de acordo com as deputadas socialistas, refere-se que "a quebra nos empregos remunerados, o trabalho de assistência não remunerado, sobretudo a cargo das mulheres, aumentou exponencialmente em resultado do encerramento das escolas e do aumento das necessidades com a população idosa".

"O relatório mostra também que a pandemia pode aprofundar as desigualdades de género, com o aumento ou o silenciamento das situações de violência doméstica, sendo que muitas vítimas vivem agora em casa com o agressor com medo de pedir ajuda", advertem.

As deputadas do PS dizem "reconhecer o conjunto de medidas de apoio económico e social que, logo desde o início da pandemia, o Governo aprovou para proteger empregos, rendimentos das famílias e evitar a destruição das empresas".

Como exemplos positivos, apontam "o regime excecional de faltas justificadas para trabalho motivadas por assistência à família, o apoio excecional de trabalhadores pelo encerramento de escolas, os apoios à manutenção dos postos de trabalho em teletrabalho, assim como o apoio aos trabalhadores para ficarem com os filhos em casa e o regime de 'lay-off'".

* Será que as ministras citadas estão sensibilizadas para a condição feminina ou juntaram-se aos homens a assobiar para o lado, como é o costume?

.
.
.

Portugal bem português

V-História a História África/11
3- Do Mar Verde a Madina do Boé



O moderno colonialismo começa com a corrida pela partilha de África entre os impérios e países coloniais europeus. Proibido o tráfico de escravos, tratava-se de ocupar militar e administrativamente os territórios e de os explorar economicamente em novos moldes. É o início do ciclo africano do Império. 

Com autoria do historiador Fernando Rosas, “História a História” regressa aos ecrãs, desta vez exclusivamente dedicada à história colonial portuguesa em África. “História a História África é uma revisitação do colonialismo moderno português desde finais do séc. XIX até 1975, que contempla as políticas coloniais dos vários regimes deste período – Monarquia Constitucional, República, Estado Novo – das resistências a elas e dos seus desenlaces. 

O programa é baseado numa investigação feita em arquivos documentais e audiovisuais e vem inserir-se no debate em curso sobre as políticas coloniais portuguesas no mundo da sua época”, conta o Prof. Fernando Rosas. Filmada em Angola, Moçambique, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Portugal, “História a História África” começa nas guerras de ocupação e nas “campanhas de pacificação”, no século XIX, e atravessa diversas dimensões da história imperial portuguesa: as políticas coloniais da Primeira República e do Estado Novo; os projetos de povoamento branco; as diferentes formas de exploração da mão-de-obra nativa e as políticas segregacionistas; as atrocidades cometidas pela PIDE nos territórios africanos; a manutenção da escravatura; os massacres não reconhecidos oficialmente; a origem dos movimentos de libertação; as grandes obras do império em Moçambique e Angola; a Guerra Colonial; a organização das lutas armadas; a insurreição dos colonos; o retorno. 

Pela mão do historiador Fernando Rosas visitam-se os espaços mais simbólicos e marcantes da história do antigo Império Português. Uma oportunidade única para ficar a conhecer alguns dos episódios da nossa história comum, como nunca antes foi contada. “História a História: África” é o resultado de dois anos de trabalho de investigação própria, recolha de materiais iconográficos e documentais, escrita dos guiões e gravações em África. 
Ao longo de 13 episódios serão abordados temas inéditos em televisão e mostrados locais de difícil acesso.

Um excelente trabalho de investigação  do Prof. FERNANDO ROSAS e uma extraordinária equipa da RTP para a execução desta série.


* Esta é uma compilação de séries pelo  nosso país não apenas pelas perspectivas histórica ou social mas pela recolha de vídeos interessantes de várias origens, actividades e sensibilidades, com diferentíssimos temas que reflectem o nosso quotidiano de modo plural.
Desejamos muito que seja do vosso agrado.


FONTE: Lusotropical

.. . .
.
Como o dinheiro se evapora 
debaixo da queixada
e a gente não dá por nada



* Aqui está o método chamado engenharia financeira


** Obrigado por tanta clareza

.
.
MACAU 20 ANOS/20
ANO 2019


(ÚLTIMO EPISÓDIO DA SÉRIE)

*𝗡𝗼𝘀 𝟮𝟬 𝗮𝗻𝗼𝘀 𝗱𝗮 𝘁𝗿𝗮𝗻𝘀𝗳𝗲𝗿𝗲̂𝗻𝗰𝗶𝗮, 𝗮 𝗧𝗗𝗠 𝗺𝗼𝘀𝘁𝗿𝗮 𝗼 𝗾𝘂𝗲 𝗺𝗮𝗶𝘀 𝗶𝗺𝗽𝗼𝗿𝘁𝗮𝗻𝘁𝗲 𝗮𝗰𝗼𝗻𝘁𝗲𝗰𝗲𝘂 𝗮𝗼 𝗹𝗼𝗻𝗴𝗼 𝗱𝗲𝘀𝘁𝗮𝘀 𝗱𝘂𝗮𝘀 𝗱𝗲́𝗰𝗮𝗱𝗮𝘀. 𝗘𝗺 𝗰𝗮𝗱𝗮 𝗽𝗿𝗼𝗴𝗿𝗮𝗺𝗮 𝗲́ 𝗿𝗲𝘁𝗿𝗮𝘁𝗮𝗱𝗼 𝘂𝗺 𝗮𝗻𝗼 - 𝗱𝗲 𝟮𝟬𝟬𝟬 𝗮 𝟮𝟬𝟭𝟵 - 𝗮𝘁𝗿𝗮𝘃𝗲́𝘀 𝗱𝗮𝘀 𝗿𝗲𝗽𝗼𝗿𝘁𝗮𝗴𝗲𝗻𝘀 𝗱𝗼 𝗧𝗲𝗹𝗲𝗷𝗼𝗿𝗻𝗮𝗹.

** Aqui todas as segundas às 15 horas


FONTE:  TDM Canal Macau

.
.
𝗝𝗮𝗶𝗿 𝗕𝗼𝗹𝘀𝗼𝗻𝗮𝗿𝗼
𝗔𝗱𝗺𝗶𝘁𝗲 𝗾𝘂𝗲 𝗽𝗿𝗮𝘁𝗶𝗰𝗼𝘂 𝘇𝗼𝗼𝗳𝗶𝗹𝗶𝗮 𝗰𝗼𝗺 𝗴𝗮𝗹𝗶𝗻𝗵𝗮𝘀



* Ainda como Deputado Federal pelo PP-RJ, no ano de 2012, Março, o actual presidente do Brasil admitia em entrevista a RAFA CORTEZ no programa SEM SAÍDA no canal CQC, ter concretizado relações sexuais com galinhas, declarações confirmadas por técnico que operava num polígrafo durante a entrevista.

Não nos parece que haja qualquer truque de montagem neste vídeo.


FONTE:  Thays Gianni

.
.
225-NO GINÁSIO
Avôzinho atleta com 70 anos
O super Pete Koch



FONTE:  Muscle Madness

.
.

2333
Senso d'hoje
NEY MATOGROSSO
COMPOSITOR E CANTOR
CIDADÃO BRASILEIRO
"Não podemos permitir que
o Estado legisle a nossa cama"



* Entrevista de FABIANE PEREIRA


FONTE:   Papo de Musica

.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS








.

O GUARDA PORTÃO


.
.

BOM DIA


.


96-CINEMA
FORA "D'ORAS"

𝐼𝒳-A Horα dα Lιвerdαde




Sιɴopѕe:

𝐴 𝐻𝑜𝑟𝑎 𝑑𝑎 𝐿𝑖𝑏𝑒𝑟𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑒́ 𝑢𝑚𝑎 𝑓𝑖𝑐𝑐̧𝑎̃𝑜 𝑑𝑜𝑐𝑢𝑚𝑒𝑛𝑡𝑎𝑙, 𝑞𝑢𝑒 𝑟𝑒𝑡𝑟𝑎𝑡𝑎 𝑜𝑠 𝑑𝑖𝑣𝑒𝑟𝑠𝑜𝑠 𝑎𝑐𝑜𝑛𝑡𝑒𝑐𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜𝑠 𝑞𝑢𝑒 𝑝𝑎𝑢𝑡𝑎𝑟𝑎𝑚 𝑜 𝑔𝑜𝑙𝑝𝑒 𝑚𝑖𝑙𝑖𝑡𝑎𝑟 𝑑𝑒 𝟤𝟧 𝑑𝑒 𝐴𝑏𝑟𝑖𝑙 𝑑𝑒 𝟣𝟫𝟩𝟦, 𝑟𝑒𝑠𝑝𝑜𝑛𝑠𝑎́𝑣𝑒𝑙 𝑝𝑒𝑙𝑎 𝑟𝑒𝑠𝑡𝑎𝑢𝑟𝑎𝑐̧𝑎̃𝑜 𝑑𝑎 𝐷𝑒𝑚𝑜𝑐𝑟𝑎𝑐𝑖𝑎 𝑒𝑚 𝑃𝑜𝑟𝑡𝑢𝑔𝑎𝑙. 𝐸́ 𝑑𝑎 𝑎𝑢𝑡𝑜𝑟𝑖𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑚𝑖́𝑑𝑖𝑜 𝑅𝑎𝑛𝑔𝑒𝑙, 𝑅𝑜𝑑𝑟𝑖𝑔𝑜 𝑆𝑜𝑢𝑠𝑎 𝑒 𝐶𝑎𝑠𝑡𝑟𝑜 𝑒 𝐽𝑜𝑎𝑛𝑎 𝑃𝑜𝑛𝑡𝑒𝑠 𝑞𝑢𝑒 𝑎𝑠𝑠𝑒𝑔𝑢𝑟𝑜𝑢, 𝑖𝑔𝑢𝑎𝑙𝑚𝑒𝑛𝑡𝑒, 𝑎 𝑟𝑒𝑎𝑙𝑖𝑧𝑎𝑐̧𝑎̃𝑜.

Eleɴco:


𝐴𝑙𝑏𝑒𝑟𝑡𝑜 𝑉𝑖𝑙𝑙𝑎𝑟 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐶𝑜𝑟𝑟𝑒𝑖𝑎 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑚𝑝𝑜𝑠 
𝐴𝑙𝑒𝑥𝑎𝑛𝑑𝑟𝑒 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑢𝑠𝑎 – 𝐶𝑜𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑉𝑖́𝑡𝑜𝑟 𝐶𝑟𝑒𝑠𝑝𝑜 
𝐴𝑙𝑓𝑟𝑒𝑑𝑜 𝐵𝑟𝑖𝑡𝑜 - 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐴𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝑅𝑜𝑚𝑒𝑖𝑟𝑎𝑠 
𝐴𝑙𝑚𝑒𝑛𝑜 𝐺𝑜𝑛𝑐̧𝑎𝑙𝑣𝑒𝑠 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐴𝑙𝑚𝑒𝑖𝑑𝑎 𝐵𝑟𝑢𝑛𝑜 
𝐴𝑛𝑑𝑟𝑒́ 𝐺𝑎𝑔𝑜 – 𝐵𝑟𝑖𝑡𝑜 𝑒 𝐶𝑢𝑛𝘩𝑎 
𝐴𝑛𝑑𝑟𝑒́ 𝐺𝑜𝑚𝑒𝑠 - 𝑀𝑖𝑛𝑖𝑠𝑡𝑟𝑜 𝑀𝑜𝑟𝑒𝑖𝑟𝑎 𝐵𝑎𝑝𝑡𝑖𝑠𝑡𝑎 
𝐴𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝐶𝑎𝑙𝑑𝑒𝑖𝑟𝑎 𝑃𝑖𝑟𝑒𝑠 - 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝑅𝑢𝑖 𝑅𝑜𝑑𝑟𝑖𝑔𝑢𝑒𝑠 
𝐴𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝐶𝑎𝑝𝑒𝑙𝑜 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝑂𝑡𝑒𝑙𝑜 𝑆𝑎𝑟𝑎𝑖𝑣𝑎 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙𝘩𝑜 
𝐴𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝐶𝑜𝑟𝑑𝑒𝑖𝑟𝑜 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝐴𝑛𝑑𝑟𝑎𝑑𝑒 𝑒 𝑆𝑜𝑢𝑠𝑎 
𝐴𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝐹𝑜𝑛𝑠𝑒𝑐𝑎 - 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝐻𝑢𝑔𝑜 𝑉𝑒𝑙𝑎𝑠𝑐𝑜 
𝐴𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝑃𝑒𝑑𝑟𝑜 𝐶𝑒𝑟𝑑𝑒𝑖𝑟𝑎 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐴𝑛𝑑𝑟𝑎𝑑𝑒 𝑒 𝑆𝑖𝑙𝑣𝑎 
𝐴𝑟𝑡𝑢𝑟 𝑅𝑎𝑚𝑜𝑠 – 𝐵𝑟𝑖𝑔𝑎𝑑𝑒𝑖𝑟𝑜 𝐽𝑢𝑛𝑞𝑢𝑒𝑖𝑟𝑎 𝑑𝑜𝑠 𝑅𝑒𝑖𝑠 
𝐵𝑒𝑛𝑗𝑎𝑚𝑖𝑛 𝐹𝑎𝑙𝑐𝑎̃𝑜 – 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐵𝑒𝑙𝑜 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙𝘩𝑜 
𝐶𝑎𝑟𝑙𝑜𝑠 𝐺𝑜𝑚𝑒𝑠 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝐶𝑎𝑟𝑑𝑜𝑠𝑜 𝐹𝑜𝑛𝑡𝑎̃𝑜 
𝐶𝑎𝑟𝑙𝑜𝑠 𝐿𝑎𝑐𝑒𝑟𝑑𝑎 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝑉𝑖𝑎𝑛𝑎 𝑑𝑒 𝐿𝑒𝑚𝑜𝑠 
𝐶𝑎𝑟𝑙𝑜𝑠 𝑃𝑖𝑠𝑐𝑜 - 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑎𝑏𝑎𝑐̧𝑎𝑠 𝑅𝑢𝑎𝑧 
𝐶𝑟𝑖𝑠𝑡𝑖𝑛𝑎 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙𝘩𝑎𝑙 – 𝐶𝑙𝑎𝑟𝑖𝑠𝑠𝑒 𝐺𝑢𝑒𝑟𝑟𝑎 
𝐷𝑖𝑜𝑔𝑜 𝑀𝑜𝑟𝑔𝑎𝑑𝑜 - 𝐴𝑠𝑝𝑖𝑟𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑇𝑒𝑖𝑥𝑒𝑖𝑟𝑎 
𝐸𝑑𝑢𝑎𝑟𝑑𝑜 𝑉𝑖𝑎𝑛𝑎 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐹𝑒𝑟𝑟𝑎𝑛𝑑 𝐷’𝐴𝑙𝑚𝑒𝑖𝑑𝑎 
𝐸𝑢𝑟𝑖𝑐𝑜 𝐿𝑜𝑝𝑒𝑠 – 𝐽𝑜𝑎𝑞𝑢𝑖𝑚 𝐹𝑢𝑟𝑡𝑎𝑑𝑜 
𝐹𝑟𝑎𝑛𝑐𝑖𝑠𝑐𝑜 𝑃𝑒𝑠𝑡𝑎𝑛𝑎 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐿𝑜𝑝𝑒𝑠 𝑃𝑖𝑟𝑒𝑠 
𝐺𝑜𝑛𝑐̧𝑎𝑙𝑜 𝑊𝑎𝑑𝑑𝑖𝑛𝑔𝑡𝑜𝑛 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐴𝑙𝑚𝑎𝑠 𝐼𝑚𝑝𝑒𝑟𝑖𝑎𝑙 
𝐺𝑢𝑖𝑙𝘩𝑒𝑟𝑚𝑒 𝐹𝑖𝑙𝑖𝑝𝑒 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝑃𝑎𝑡𝑜 𝐴𝑛𝑠𝑒𝑙𝑚𝑜 
𝐻𝑒𝑖𝑡𝑜𝑟 𝐿𝑜𝑢𝑟𝑒𝑛𝑐̧𝑜 – 𝐴𝑙𝑓𝑒𝑟𝑒𝑠 𝑆𝑜𝑡𝑡𝑜𝑚𝑎𝑦𝑜𝑟 
𝐻𝑒𝑛𝑟𝑖𝑞𝑢𝑒 𝐹𝑒𝑖𝑠𝑡 – 𝐴𝑙𝑓𝑒𝑟𝑒𝑠 𝐷𝑎𝑣𝑖𝑑 𝑒 𝑆𝑖𝑙𝑣𝑎 
𝐼𝑣𝑜 𝐶𝑎𝑛𝑒𝑙𝑎𝑠 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑆𝑎𝑛𝑡𝑜𝑠 𝑆𝑖𝑙𝑣𝑎 
𝐽𝑜𝑎̃𝑜 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙𝘩𝑜 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝐿𝑢𝑖́𝑠 𝑀𝑎𝑐𝑒𝑑𝑜 
𝐽𝑜𝑟𝑔𝑒 𝐺𝑜𝑛𝑐̧𝑎𝑙𝑣𝑒𝑠 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝑆𝑎𝑛𝑐𝘩𝑒𝑠 𝑂𝑠𝑜́𝑟𝑖𝑜 
𝐽𝑜𝑟𝑔𝑒 𝑆𝑒𝑞𝑢𝑒𝑟𝑟𝑎 - 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝑁𝑎𝑠𝑐𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 
𝐽𝑜𝑠𝑒́ 𝐵𝑜𝑎𝑣𝑖𝑑𝑎 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝐵𝑖𝑐𝘩𝑜 𝐵𝑒𝑎𝑡𝑟𝑖𝑧 
𝐽𝑜𝑠𝑒́ 𝐽𝑜𝑟𝑔𝑒 𝐷𝑢𝑎𝑟𝑡𝑒 – 𝑃𝑒𝑑𝑟𝑜 𝐹𝑒𝑦𝑡𝑜𝑟 𝑃𝑖𝑛𝑡𝑜 
𝐽𝑜𝑠𝑒́ 𝑀𝑎𝑛𝑢𝑒𝑙 𝑀𝑒𝑛𝑑𝑒𝑠 – 𝑀𝑎𝑟𝑐𝑒𝑙𝑙𝑜 𝐶𝑎𝑒𝑡𝑎𝑛𝑜 
𝐽𝑢́𝑙𝑖𝑜 𝐶𝑎𝑟𝑑𝑜𝑠𝑜 – 𝐺𝑒𝑛𝑒𝑟𝑎𝑙 𝐴𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝑑𝑒 𝑆𝑝𝑖́𝑛𝑜𝑙𝑎 
𝐿𝑢𝑖́𝑠 𝐴𝑙𝑏𝑒𝑟𝑡𝑜 – 𝐺𝑒𝑛𝑒𝑟𝑎𝑙 𝐴𝑑𝑟𝑖𝑎𝑛𝑜 𝑃𝑖𝑟𝑒𝑠 
𝐿𝑢𝑖́𝑠 𝐸𝑠𝑝𝑎𝑟𝑡𝑒𝑖𝑟𝑜 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝐶𝑜𝑠𝑡𝑎 𝑁𝑒𝑣𝑒𝑠 
𝐿𝑢𝑖́𝑠 𝐿𝑢𝑐𝑎𝑠 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝑆𝑎𝑛𝑡𝑜𝑠 𝐹𝑒𝑟𝑟𝑒𝑖𝑟𝑎 
𝐿𝑢𝑖́𝑠 𝑀𝑎𝑠𝑐𝑎𝑟𝑒𝑛𝘩𝑎𝑠 – 𝑀𝑖𝑛𝑖𝑠𝑡𝑟𝑜 𝑆𝑖𝑙𝑣𝑎 𝐶𝑢𝑛𝘩𝑎 
𝑀𝑎𝑛𝑢𝑒𝑙 𝐶𝑜𝑒𝑙𝘩𝑜 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝐷𝑒𝑙𝑓𝑖𝑚 𝑀𝑜𝑢𝑟𝑎 
𝑀𝑎𝑛𝑢𝑒𝑙 𝑊𝑖𝑏𝑜𝑟𝑔 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝑆𝑎𝑙𝑔𝑢𝑒𝑖𝑟𝑜 𝑀𝑎𝑖𝑎 
𝑀𝑎𝑟𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜́𝑛𝑖𝑜 𝐷𝑒𝑙 𝐶𝑎𝑟𝑙𝑜 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐺𝑎𝑟𝑐𝑖𝑎 𝑑𝑜𝑠 𝑆𝑎𝑛𝑡𝑜𝑠 
𝑀𝑎𝑟𝑐𝑒𝑙𝑙𝑜 𝑈𝑟𝑔𝘩𝑒𝑔𝑒 - 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝑆𝑎𝑛𝑡𝑜𝑠 𝐶𝑜𝑒𝑙𝘩𝑜 
𝑀𝑎́𝑟𝑐𝑖𝑎 𝐵𝑟𝑒𝑖𝑎 – 𝐶𝑖𝑑𝑎𝑑𝑎̃ 
𝑀𝑎𝑟𝑐𝑜 𝐷𝑒𝑙𝑔𝑎𝑑𝑜 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝐿𝑢𝑖́𝑠 𝑃𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑒𝑙 
𝑀𝑎𝑟𝑞𝑢𝑒𝑠 𝐷’𝐴𝑟𝑒𝑑𝑒 – 𝐶𝑜𝑟𝑜𝑛𝑒𝑙 𝐴́𝑙𝑣𝑎𝑟𝑜 𝐹𝑜𝑛𝑡𝑜𝑢𝑟𝑎 
𝑃𝑎𝑢𝑙𝑜 𝐹𝑖𝑙𝑖𝑝𝑒 - 𝐶𝑜𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑛𝑡𝑒 𝐶𝑜𝑢𝑡𝑖𝑛𝘩𝑜 𝐿𝑎𝑛𝘩𝑜𝑠𝑜 
𝑃𝑎𝑢𝑙𝑜 𝑀𝑎𝑡𝑜𝑠 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝐻𝑢𝑔𝑜 𝑑𝑜𝑠 𝑆𝑎𝑛𝑡𝑜𝑠 
𝑃𝑎𝑢𝑙𝑜 𝑂𝑜𝑚 – 𝑆𝑎𝑟𝑔𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑑𝑜 𝐶.𝐼.𝐴.𝐴.𝐶. 
𝑃𝑒𝑑𝑟𝑜 𝐿𝑎𝑔𝑖𝑛𝘩𝑎 – 𝐹𝑒𝑟𝑛𝑎𝑛𝑑𝑜 𝐻𝑢𝑚𝑏𝑒𝑟𝑡𝑜 
𝑃𝑒𝑑𝑟𝑜 𝐿𝑖𝑚𝑎 – 𝐴𝑙𝑓𝑒𝑟𝑒𝑠 𝑀𝑎𝑖𝑎 𝐿𝑜𝑢𝑟𝑒𝑖𝑟𝑜 
𝑅𝑖𝑐𝑎𝑟𝑑𝑜 𝐴𝑓𝑜𝑛𝑠𝑜 - 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐴𝑙𝑓𝑟𝑒𝑑𝑜 𝐴𝑠𝑠𝑢𝑛𝑐̧𝑎̃𝑜 
𝑅𝑢𝑖 𝐿𝑢𝑖́𝑠 𝐵𝑟𝑎́𝑠 – 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑃𝑜𝑛𝑐𝑒𝑠 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙𝘩𝑜 
𝑅𝑢𝑖 𝑀𝑒𝑛𝑑𝑒𝑠 – 𝐺𝑒𝑛𝑒𝑟𝑎𝑙 𝐴𝑛𝑑𝑟𝑎𝑑𝑒 𝑒 𝑆𝑖𝑙𝑣𝑎 
𝑆𝑒́𝑟𝑔𝑖𝑜 𝑆𝑖𝑙𝑣𝑎 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝑇𝑎𝑣𝑎𝑟𝑒𝑠 𝑑𝑒 𝐴𝑙𝑚𝑒𝑖𝑑𝑎 
𝑉𝑖́𝑡𝑜𝑟 𝑁𝑜𝑟𝑡𝑒 – 𝑀𝑎𝑗𝑜𝑟 𝐶𝑜𝑚𝑎𝑛𝑑𝑜 𝐽𝑎𝑖𝑚𝑒 𝑁𝑒𝑣𝑒𝑠 
𝑉𝑖́𝑡𝑜𝑟 𝑅𝑜𝑐𝘩𝑎 – 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝐶𝑜𝑟𝑟𝑒𝑖𝑎 𝑃𝑜𝑚𝑏𝑖𝑛𝘩𝑜 
𝑉𝑎𝑠𝑐𝑜 𝑀𝑎𝑐𝘩𝑎𝑑𝑜 - 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝑀𝑖𝑟𝑎 𝑀𝑜𝑛𝑡𝑒𝑖𝑟𝑜 
- 𝐽𝑜𝑎̃𝑜 𝑃𝑎𝑢𝑙𝑜 𝐷𝑖𝑛𝑖𝑧 
- 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎̃𝑜 𝐹𝑟𝑒𝑑𝑒𝑟𝑖𝑐𝑜 𝑀𝑜𝑟𝑎𝑖𝑠 
- 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐹𝑟𝑒𝑖𝑟𝑒 𝑑𝑒 𝑁𝑜𝑔𝑢𝑒𝑖𝑟𝑎 
- 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐺𝑢𝑖𝑜𝑚𝑎𝑟 
- 𝑇𝑒𝑛𝑒𝑛𝑡𝑒 𝐹𝑒𝑟𝑟𝑒𝑖𝑟𝑎 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑢𝑠𝑎 
𝑂𝑡𝑒𝑙𝑜 𝑆𝑎𝑟𝑎𝑖𝑣𝑎 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙𝘩𝑜 𝑐𝑜𝑚𝑜 𝑒𝑙𝑒 𝑝𝑟𝑜́𝑝𝑟𝑖𝑜


FONTE:luis da costa e silva

.