quinta-feira, 1 de junho de 2017

.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

43 crianças devolvidas por candidatos
 a pais adotivos num só ano

Destas crianças, duas tinham problemas graves de saúde e seis problemas ligeiros. As restantes eram saudáveis

Entre 1 de agosto de 2015 e 31 de agosto de 2016, 43 crianças foram devolvidas pelos candidatos a pais adotivos, revela hoje o Público, que cita uma resposta do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social dada ao Bloco de Esquerda.

De acordo com a mesma fonte, destas 43 crianças duas tinham problemas graves de saúde e seis problemas ligeiros. As restantes eram saudáveis. Além disso, 20 destas crianças tinham menos de dois anos.
.
O Relatório CASA 2015, do Instituto de Segurança Social indica que nesse ano 26 crianças haviam sido devolvidas, enquanto o de 2016 referia a reentrada no sistema de 36 crianças, segundo a mesma fonte.

O período experimental tem a duração de seis meses e inicia-se depois de concluídos os contactos para garantir que pais e filhos adotivos se conhecem e aceitam mutuamente.

O juiz António José Fialho, do Tribunal de Família e Menores do Barreira, explica ao Público que tecnicamente não se trata de uma devolução, mas sim de abandono, uma vez que as crianças passam a ser filhas dos adotantes.

* Estes infames pseudo-pais fariam o mesmo a filhos biológicos, ainda bem que as crianças regressaram às instituições de acolhimento.

.

Sem comentários: