quarta-feira, 7 de junho de 2017

.
HOJE  NO 
"CORREIO DA MANHÃ"
Portugeses em Londres 
temem resultado das eleições

 Campanha eleitoral no Reino Unido ficou contaminada com o tema da segurança.

Depois do ataque deste fim-de-semana, a campanha eleitoral no Reino Unido ficou contaminada com o tema da segurança. Os dois grandes partidos trocam acusações. 

Paulo Costa, 59 anos, não tem dúvidas que isso mudou a ideia de muitos. "Obviamente que os ataques vieram marcar a campanha. 
 .


O primeiro ponto forte foi o Brexit, passou pelo SNS de cá e agora é a segurança", refere o português que vive há mais de quatro anos em Londres. Faz parte de um grupo que luta para garantir os direitos dos portugueses no Reino Unido, os Migrantes Unidos. 

Com os ataques, a oposição aproveitou para criticar a atual primeira-ministra. "Os conservadores podem estar agora sob ataque porque cortaram 20 mil policias quando mais eram precisos mas por outro têm uma atitude mais dura em relação a segurança", explica o português. 

Theresa May já disse que está disposta a mudar leis relacionadas com as liberdades individuais de forma a facilitar o combate ao terrorismo. Mas o que preocupa mais os portugueses é a saída do Reino Unido da União Europeia. "Para a comunidade portuguesa, o que mais preocupa é mesmo o Brexit e como vai decorrer", sublinha Paulo Costa, ao acrescentar que há o "risco de ter um Brexit brutal e muito limitativo de direitos. Nesse caso seria muito prejudicial para os portugueses em termos de liberdade de acesso, em termos de acesso à saúde e poderem-nos começar a cobrar nas idas aos hospitais públicos, por exemplo". 

* O terrorismo está a facilitar a erupção de ditaduras em todo o mundo, muito grave.

.

Sem comentários: