quarta-feira, 7 de junho de 2017

.
HOJE  NO 
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Altice estuda oferta
 para comprar a Media Capital

A Prisa reforçou os esforços para vender a empresa que tem em Portugal e a Altice está a estudar apresentar uma oferta pela Media Capital, noticiou a Bloomberg.

A Altice está a estudar lançar uma oferta para comprar a Media Capital, noticia a Bloomberg, dando conta que uma decisão final ainda não foi tomada.
.
Este interesse na Media Capital, que já tem sido noticiado no passado, surge depois de a Prisa ter renovado os esforços para vender a empresa que controla a TVI, já que não conseguiu vender a sua filial Santillana.

Este falhanço, de acordo com a mesma fonte, deverá custar o cargo de CEO a Jose Luis Sainz, pois o chairman Juan Luis Cebrián pretende efectuar uma remodelação na gestão da empresa que tem o jornal El Pais entre os seus principais activos.

Citando fontes com conhecimento do processo, a Bloomberg adianta que o objectivo renovado de vender a Media Capital surge precisamente depois de ter falhado a venda da Santillana.

Um dos entraves à venda da empresa que controla a TVI está na avaliação da empresa, que a Prisa coloca entre 300 e 500 milhões de euros.

As acções da Media Capital dispararam 13,6% para 2,84 euros, em reacção a esta notícia da agência norte-americana. Foram transaccionados apenas 200 títulos. A Prisa desce mais de 5%.

A Prisa controla cerca de 95% da Media Capital, que depois desta subida em bolsa apresenta uma capitalização bolsista de 240 milhões de euros.

Contactada pelo Negócios, fonte oficial da PT Portugal, controlada pela Altice, disse que a empresa não comenta esta notícia de hoje da Bloomberg.

Gestão da Prisa pressionada
A Bloomberg adianta que os accionistas e obrigacionistas da Prisa têm pressionado a gestão da companhia a tomar medidas para contrariar a perda de valor dos títulos em bolsa. A empresa de media espanhola tem 687 milhões de euros em títulos de dívida que chegam à maturidade no próximo ano e crescem as preocupações sobre a capacidade para cumprir os compromissos com os credores.

A venda da editora de livros Santillana visava precisamente cumprir o objectivo de angariar fundos para baixar a dívida da Prisa, daí que a companhia esteja agora a reforçar os esforços para vender outros activos que tem em carteira.

Um deles é precisamente a Media Capital, que tem como principal activo a TVI, estação de televisão líder em Portugal. Controla ainda várias rádios, entre elas a também líder Rádio Comercial.

O hedge-fund Amber Capital, que controla 19% da Prisa, tem criticado publicamente a gestão de Cebrián, o antigo director do El Pais que tem até agora continuado a merecer o apoio da família Polanco, que controla a Prisa.

Interesse da Altice não é novo
As noticias que dão conta do interesse da Altice na Media Capital e de que a Prisa quer vender a unidade portuguesa não são novas. Têm até sido recorrentes e já este ano a Prisa foi obrigada a desmentir que tinha colocado a Media Capital à venda.

Em Março, precisamente quando anunciou que a editora Santillana estava à venda, a empresa espanhola garantiu que "não existe qualquer negociação para a venda de nenhum outro activo", pelo que "desmentem-se assim, redondamente, as falsas notícias publicadas por diversos meios digitais sobre eventuais desinvestimentos na Rádio Caracol da Colômbia e na Media Capital de Portugal".

Resta agora saber se essa posição se mantém depois de ter falhado a venda da Santillana e de o actual CEO estar de saída.

Já nessa altura a Altice, que em Portugal controla a operadora Meo, era apontada como potencial interessada na Media Capital. No ano passado, Patrick Drahi, fundador do grupo, tinha admitido que a Altice estava "a olhar para activos de media portugueses". Na altura, Patrick Drahi explicou que em todos os países" onde são líderes ou ocupam o segundo lugar do mercado de telecomunicações", o grupo tem activos de media. Por isso, "sendo a PT Portugal líder em Portugal", era uma estratégia para ser seguida também em relação aos media portugueses.

Mais recentemente, em Fevereiro deste ano, Michel Combes, CEO da Altice, voltou ao tema, não se comprometendo com uma futura compra de activos de media portugueses. "Como sabem temos activos (de media) em outros países, portanto logo se verá", disse.

* Ser líder em audiências não significa liderança em qualidade, no seu tempo Hitler, Estaline, Mussolini, Franco e Salazar também lideravam  audiências.

.

Sem comentários: