quarta-feira, 7 de junho de 2017

.
HOJE NO 
"RECORD"

Fernando Gomes responsabiliza Nuno Espírito Santo por "prejuízo considerável"

Fernando Gomes responsabiliza Nuno Espírito Santo pelo "prejuízo considerável" apresentado pela FC Porto SAD na época passada. O administrador da sociedade recorda que o então técnico dos dragões se recusou a vender jogadores com Danilo, Herrera ou André Silva, o que fez com que as contas apresentassem um desvio negativo, que já era esperado, mas não poderá ser repetido.
 .
"Quem olhou para as contas da época passada, pode ver que as contas deram um prejuízo considerável. Assumidamente, não houve qualquer supresa, porque ficou definido pela SAD que não haveria vendas, porque o treinador de então achou que os os jogadores não deveriam ser vendidos", começou por explicitar Fernando Gomes, apontando, de seguida, os casos concretos.

"Rememoro-lhes o Danilo, o Herrera e, mais tarde, o André Silva, que ele achava que não deveriam ser vendidos. Isso fez com que o FC Porto tivesse prejuízos financeiros. Teríamos cumprido os nossos objetivos sem qualquer espécie de dificuldade, mas assumimos que nenhuma empresa pode ser saudável se acumular prejuízo. Isto não pode repetir-se. Vamos ter de voltar ao mercado", assume o administrador portista, admitindo que essa é a única forma dos clubes se manterem 'saudáveis'.

Obrigatório vender
"Qualquer dos três grandes, para manter as suas contas equilibradas tem de fazer mais-valias. Não é só vender, porque não se pode vender pelo preço de custo. Nenhum orçamento dos três grandes será equilibrado se não conseguirem fazer mais-valias. Claro que sim, o FC Porto terá de fazer mais-valias", reconhece o antigo autarca portuense, afastando ainda assim o 'fantasma' de umas finanças preocupantes.

"Não o são de nenhuma forma. Evidentemente é preciso ter bom senso, ponderação e não repetir algo que foi feito a nível financeiro. O FC Porto encara um momento mais apurado do que o vivido há algumas épocas, em termos de gestão financeira", garante Gomes, mostrando-se igualmente otimista em relação ao acordo celebrado com UEFA, por causa do fairplay financeiro.

"Temos com a UEFA uma obrigação de confidencialidade até que seja divulgado o acordo estabelecido. Isto vai ser feito proximamente. Não posso dar pormenores, mas posso dizer o seguinte: este acordo é bom para o FC Porto.Fizemos uma proposta que não foi modificada. O que demonstra que não está lá mais nem menos do que aquilo que achávamos que era indispensável fazer para solidificar económica e financeiramente o FC Porto", conclui Fernando Gomes.

* Morder nas costas é batota, mas Fernando Gomes não tem pudores desses. Lembramo-nos de FG e da avécula que foi quando  desempenhou o  cargo de ministro do MAI, ai Carago, não Carago!

.

Sem comentários: