segunda-feira, 26 de junho de 2017

.
HOJE NO 
"CORREIO DA MANHÃ"
'Rei Ghob' conhece acórdão 
a 18 de setembro

O Tribunal de Loures agendou para 18 de setembro a leitura do acórdão do processo em que Francisco Leitão, conhecido como 'Rei Ghob', responde por 542 crimes de violação de menores, disse esta segunda-feira à agência Lusa fonte judicial. 
 .

A data foi marcada esta tarde, após as alegações finais, nas quais o Ministério Público não pediu uma pena concreta, sublinhando que a condenação a ser aplicada neste caso terá de fazer cúmulo jurídico com os 25 anos (pena máxima) aplicados em 2012, pelo homicídio de três jovens. 

Durante o julgamento, que se iniciou no dia 15 de maio deste ano, Francisco Leitão nunca quis prestar declarações ao coletivo de juízes. As mesmas fontes adiantaram que a defesa de Francisco Leitão admite que o arguido seja condenado "por quatro ou cinco crimes" mas não pelos 542 de que é acusado. 

Contactado pela Lusa, Hélder Cristóvão, advogado do arguido recusou falar sobre os factos em julgamento, dizendo apenas que neste processo o que releva em termos de defesa "são as questões jurídicas que se levantam, relacionadas com a prescrição do direito de queixa e do crime ser apenas um por vítima e na forma continuada".

 Francisco Leitão, sucateiro de profissão, convivia com vários jovens, na altura com idades entre os 14 e os 17 anos, fazendo-se passar pelo amigo que os levava a passear, pagava jantares ou bebidas e oferecia-lhes telemóveis. Dizia ter poderes sobrenaturais e quando ganhava a sua confiança e sabia que estariam convictos dos seus poderes, levava os jovens para a sua casa, na Carqueja, Lourinhã, onde os amedrontava incorporando "entidades" sobrenaturais ou dizendo que vinha a mando delas informá-los de que eles ou seus familiares corriam perigo de morte. Para evitar as consequências, teriam de se sujeitar a "injeções de energia", que, como descreve a acusação, seriam transmitidas do corpo do arguido para o corpo da vítima sob a forma de relações sexuais. 

As queixas chegaram ao MP ainda em 2009, mas o inquérito veio a ser arquivado. Contudo, o processo foi reaberto na sequência de buscas domiciliárias da PJ e de novas denúncias no período em que o arguido esteve a ser investigado pela morte de três jovens. 

A leitura do acórdão está agendada para as 14h00 de 18 de setembro, em Loures. Francisco Leitão cumpre uma pena de 25 anos no Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus, Alcoentre. 

* É injusto este monstro passar 25 anos de férias em Alcoentre, o Tarrafal devia ser albergue deste tipo de bandidos.


.

Sem comentários: