quarta-feira, 10 de maio de 2017

.
HOJE  NO 
"DESTAK"

Contabilista diz que não devia ter
.assumido como "erro", omissão da
.dívida da Espírito Santo International

O antigo contabilista da Espírito Santo International (ESI) admitiu em tribunal que não devia ter assumido a omissão de 1,3 mil milhões de euros de dívida como um "erro" seu para evitar a queda do Grupo Espírito Santo (GES). 
 .
"Dei o corpo às balas, por uma questão de lealdade" disse ao tribunal Francisco Machado da Cruz, reiterando que em 2013 assumiu como "um erro" seu a omissão de 1,3 mil milhões de euros de dívida da Espírito Santo International (ESI) para evitar a queda do grupo.

"Hoje penso que não o deveria ter feito", acrescentou, considerando que deveria "ter dito à Inês Viegas [auditora da empresa KPMG] que falasse com quem de direito", ou seja, Ricardo Salgado.

* Grande caldeirada e o mestre cozinheiro continua a rir-se de nós.

.

Sem comentários: