quinta-feira, 13 de abril de 2017

.
HOJE  NO 
"OBSERVADOR"

7 perguntas para entender 
a “Mãe de Todas as Bombas”

Como funciona esta arma destruidora de infraestruturas subterrâneas, usada esta quinta-feira para combater o Estado Islâmico? É a maior bomba não-nuclear do mundo e destrói tudo com 11 toneladas TNT

Às 19 horas do Afeganistão, eram 15h30 em Lisboa, os Estados Unidos lançaram uma bomba M.O.A.B. no distrito de Achin, Afeganistão (junto à fronteira com o Paquistão) para destruir túneis subterrâneos usados por pelo Estado Islâmico. Estava lançada, pela primeira vez na História, a “Mãe de Todas as Bombas”.

O que é a M.O.A.B?
A “GBU-43/B Massive Ordenance Air Blast” é uma bomba desenvolvida nos Estados Unidos por Albert L. Weimorts, um militar do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea norte-americana. Mais conhecida por “Mother of All Bombs” (em português, a “Mãe de Todas as Bombas”) foi desenhada em 2003 para ser a mais poderosa arma não-nuclear alguma vez concebida.

Como funciona a “mãe de todas as bombas”? 
Com 10,3 toneladas, mais de 9 metros de comprimento, mais de um metro de diâmetro e com capacidade para produzir uma explosão equivalente a 11 toneladas de TNT, a M.O.A.B. foi especialmente desenhada para ser transportada por aviões Hercules C-130, um dos aviões mais antigos ainda em produção. A bomba é presa a um estrado e empurrada das traseiras do bombardeiro. 
 .

O estrado desprende-se da bomba já no exterior do avião e a bomba dirige-se para o chão em queda livre enquanto é comandada à distância. Ao explodir pode destruir todas as construções e vegetação num raio máximo de um quilómetro. A M.O.A.B foi testada em 2003 com tritonal, uma mistura de 80% de TNT e 20% de alumínio, que torna a arma 18% mais poderosa do que um produto baseado exclusivamente em TNT.

Esta bomba já tinha sido usada?
 Há catorze anos, a M.O.A.B. foi lançada em Range 70, na Base Aérea Eglin (Fórida) num teste controlado. Oito meses depois voltou a ser testada. Julga-se que o arsenal militar norte-americano tem 15 destas bombas. Embora uma das bombas tenha sido enviada para o Golfo Pérsico em abril de 2003, nenhuma delas tinha sido lançada até agora. Foram produzidas na Unidade de Armamentos e Munições de McAlester, no estado do Oklahoma, e projetadas para serem usadas na Guerra no Iraque.

Porquê? 
A M.O.A.B. manteve-se armazenada porque os Estados Unidos tinham preferido usar artilharia menos poderosa, mas suficientemente eficaz quando era necessário: algumas da bombas usadas tinham entre 230 e 910 quilos e eram enviadas de grandes altitudes através de bombardeiros como o B-52 para atingirem grandes áreas. Esta bomba é pelo menos dez vezes mais pesada.

Como é que a M.O.A.B foi concebida? 
Albert L. Weimorts ter-se-á baseado no sistema de armas BLU-82B C/130, mais conhecido como “daisy cutter” e usada para limpar zonas florestais no Vietname e Afeganistão. Todas as BLU-82B foram usadas durante a Guerra do Vietname e no Iraque, tanto para limpar minas como para ameaçar e enfraquecer psicologicamente os militares iraquianos. Eram atiradas para as proximidades dos militares como estratégia de demonstração de poder, sem intenção de matar. Era, por isso, considerada uma “arma psicológica”. Na falta de mais destas armas, o governo norte-americano ordenou a construção de bombas M.O.A.B. para continuar a missão das BL-82B.

O que tem M.O.A.B. que mais nenhuma bomba tem? 
Mas além de ser uma arma psicológica como a bomba usada anteriormente pelas forças norte-americanas, a M.O.A.B. foi desenhada para atingir sistemas de cavernas ou percursos subterrâneos.

Há outras armas equivalentes à M.O.A.B?
Em 2007, a Rússia fez frente às “Mãe de Todas as Bombas” e criou a bomba F.O.A.B. ou “Father Of All Bombs” (em português, “Pai de Todas as Bombas”). O governo de Vladimir Putin apresenta a F.O.A.B. como sendo quatro vezes mais poderosa do que a versão norte-americana. Se assim for, o poder da bomba russa é semelhante ao de uma arma nuclear de uso tático.

* A paz sem equivalência!

.

Sem comentários: