quarta-feira, 19 de abril de 2017

.
HOJE NO  
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Quando as marcas metem a pata na poça

A Adidas enviou uma mensagem de parabéns aos atletas que terminaram a Maratona de Boston, esta segunda-feira, felicitando-os por terem sobrevivido. Palavra mal escolhida para uma prova que foi palco de um atentado em 2013...

A intenção terá sido, esperemos, genuína: saudar a resiliência que leva dezenas de milhares de corredores a esforçar-se até à meta de uma maratona. É corrente e há até provas que vivem desse mote - sobreviver. Mas a palavra era a última a dizer a todos quantos correram, esta segunda-feira, a mítica Maratona de Boston.
.
Ora - oops -, alguém no gigante de equipamento de desporto que patrocinou o evento, a Adidas, não se lembrou que, a 15 de abril de 2013, os irmãos de origem chechena Djokhar emTamerlan Tsarnaev fizeram rebentar duas bombas junto à meta, matando três pessoas e ferindo 264. Muitas delas atletas.

O e-mail de parabéns que a marca fez chegar aos 26492 atletas (entre eles Kathy Switzer, a mulher que foi a primeira a correr oficialmente a prova, em 1967, e voltou ao palco para assinalar os 50 anos do fim forçado do machismo no atletismo) dizia: "Felicitações, sobreviveu à Maratona de Boston! 

Conquistou Boston". Falta de sensibilidade e mensagem deslocada, reagiram milhares de pessoas.
A bronca correu rapidamente as redes sociais e obrigou a marca alemã a emitir um pedido de desculpas pelo erro lamentável e falta de sensibilidade. "Lamentamos profundamente. 

Desvalorizámos claramente a sensibilidade do assunto do email que enviámos na terça-feira. Pedimos profundas desculpas pelo nosso erro. A Maratona de Boston é um dos eventos desportivos mais inspiradores no mundo. Cada ano nos recorda a esperança e a resiliência da comunidade de corredores neste evento."

* Os grandes impérios são grandes porque não têm sentimentos, nem perspectiva histórica, portanto pedir desculpa por uma calinada é manteiga de amendoim.

.

Sem comentários: