domingo, 2 de julho de 2017

.
HOJE NA 
"SÁBADO"

Espanha revela todo o material 
militar roubado em Tancos

As autoridades nacionais não tinham divulgado estes dados. Jornal que os revelou indica que é uma nova preocupação para as forças de segurança

O jornal El Español revelou todo o material militar que foi roubado da base militar de Tancos, em Santarém. O Governo ainda não o tinha feito. 

O jornal considera que com este furto, as forças de segurança europeias têm "uma nova razão para se preocuparem" e salienta que Portugal se colocou em contacto com Espanha para comunicar o sucedido.

Eis a lista:
450 cartuchos de 9 mm
22 Bobinas de fio para activação por tracção
1 Disparador de descompressão
24 Disparadores de tracção lateral multidimensional inerte
6 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CS / MOD M7
10 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CM Anti-motim M / 968
2 Granadas de mão de gás lacrimogéneo Triplex CS
90 Granadas de mão ofensivas M321
30 Granadas de mão ofensivas M962
30 Granadas de mão ofensivas M321
44 Granadas foguete antitanque carro 66 mm com espoleta M4112A1 com lançamento M72A3 --M/986 LAW
264 Unidades de explosivo plástico PE4A
30 CCD10 (Carga de corte)
57 CCD20 (Carga de corte)
15 CCD30 (Carga de corte)
60 Iniciadores IKS
30,5 Lâminas KSL (Lâmina explosiva)

Rovisco Duarte, o chefe do Estado-Maior do Exército, anunciou ontem que foram demitidos temporariamente cinco comandantes de unidades do ramo para que não interfiram com as averiguações sobre o caso. Duarte afirmou que o roubo terá acontecido com a cooperação de alguém que conhecesse os paióis. 
 .
Também foram tomadas medidas de reforço à segurança física dos paióis, como, por exemplo, o aumento do número de militares envolvidos na segurança física das instalações e o aumento da frequência das rondas móveis motorizadas e apeadas, informou o porta-voz do Exército, Vicente Pereira, através de comunicado, na noite de sábado.

Azeredo Lopes, o ministro da Defesa, admitiu que as armas roubadas podem ser usadas para fins terroristas, na resposta a uma jornalista que colocou essa possibilidade. "Há, não há que escondê-lo, embora não tenhamos nenhum elemento que aponte num ou noutro sentido. Há um facto indiscutível: que esse material estará agora a tentar entrar no mercado ilícito de tráfico de armas que podem depois servir para os mais diferentes fins, como o que referiu."

* Azeredo Lopes é ministro, não faz sentinela à porta de nenhum paiol, quererem a sua demissão só revela a imbecilidade da oposição. Quanto aos srs. generais protegem-se uns aos outros como reza a tradição. No exército há mais generais que índios.

.

Sem comentários: