segunda-feira, 1 de maio de 2017

.
HOJE NO 
"RECORD"

Marcelo Rebelo de Sousa
 apela à não violência na fase final 
dos campeonatos de futebol

O Presidente da República reiterou esta segunda-feira em Torres Vedras o apelo à não violência entre os adeptos dos clubes de futebol, nesta fase final dos campeonatos, sublinhando que é necessário dar o exemplo da estabilidade social aos mais jovens.
.
"Apelei, e o apelo foi ouvido porque a última jornada foi menos violenta em termos verbais e físicos, e apelo que, embora a final seja muito disputada, as massas associativas e os dirigentes consigam não fazer aumentar aquilo que pode aparecer como violência verbal ou física", afirmou aos jornalistas Marcelo Rebelo de Sousa, sublinhando que isso é "bom para a estabilidade social".

O Presidente da República lembrou que "os clubes existem não só para disputar campeonatos, mas também para formar a juventude", por isso fez o apelo em nome dessa juventude, defendendo que o desporto deve ser praticado em "ambiente de convivência".

Marcelo Rebelo de Sousa falava à margem das comemorações do centenário do Torreense, onde se deixou fotografar com adeptos e jogadores, inaugurou um campo relvado e participou num almoço popular.

Por ocasião da data, o Presidente da República anunciou que vai condecorar o clube com como membro honorário da Ordem de Mérito, tendo convidado atletas e dirigentes a irem ao Palácio de Belém para receberem a distinção.

Marcelo Rebelo de Sousa é sócio do Torreense desde 1956, altura em que, recordou, ia a Torres Vedras com o seu pai assistir aos jogos e apoiar o clube.

"O Torreense está no meu coração, porque o meu pai era subsecretário de Estado da Educação, com a pasta do Desporto, e desde muito cedo ficou apaixonado pela causa do Torreense", lembrou.

O Presidente da República recordou dois jogos que assistiu em 1956, quando o Torreense ganhou ao Sporting de Braga e quando eliminou o Porto na Taça de Portugal.

Fundado em 1 de maio de 1917, o Torreense conta no historial com o título de campeão da 2.ª Divisão, em 1954/55, e a presença na final da Taça de Portugal de 1955/56, que perdeu frente ao FC Porto, por 2-0.

O clube conta seis presenças na 1.ª Liga, tendo como melhores classificações os sétimos lugares em 1955/56 e 1956/57, e cinco na 2.ª Liga, entre os quais se destaca o terceiro posto em 1990/91.

Vice-campeão da 2.ª Divisão em 1952/53, 1953/54 e 1963/64 e terceiro na Divisão de Honra de 1990/91, o Torreense teve como último momento de glória a eliminação do FC Porto da Taça de Portugal de 1998/99, nos 16 avos de final, com um triunfo por 1-0, no terreno dos então tetracampeões nacionais, com um golo de Cláudio Oeiras.

* Não é com apelos que se educa o futebol português, quando não há educação em casa e a boçalidade impera...

.

Sem comentários: