quarta-feira, 28 de junho de 2017

.
HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

O dentista de Neandertal... 
provavelmente o mais antigo da História

A dor de dentes é tão antiga como a Humanidade. Descobertas recentes mostram que a vontade do homem aliviar o sofrimento dentário tem pelo menos 130 mil anos.

Uma equipa de paleontologistas encontrou indicadores de práticas dentárias nos restos mortais de um homem de Neandertal, que viveu há cerca de 130 mil anos.
.
Os dentes, encontrados há mais de um século no povoamento de Kaprina, na atual Croácia, foram analisados agora por uma equipa da Universidade do Kansas, nos EUA.

A observação microscópica encontrou marcas de manipulação dentária no num pré-molar e num terceiro molar, encontrados durante uma escavação realizada entre 1899 e 1905.

"Apesar de não termos a mandíbula, os dentes estão num estado formidável. Perdeu-se parte das raízes, mas a maioria está intacta", refere um dos autores do estudo, David Frayer, num artigo publicado no Boletim da Associação Internacional de Paleontologia.

Apesar de não ter sido encontrado o instrumento usado por este "dentista do Neandertal", a investigação concluiu que as marcas terão sido feitas numa tentativa de aliviar as dores, com uma espécie de palito de um osso ou um pedaço de madeira.

Como a parte alterada dos dentes está do lado da língua e as marcas apresentam diferentes ângulos, os investigadores descartam a hipótese de terem sido feitas após a morte do indivíduo.

Ainda que a análise não seja conclusiva, David Frayer acredita que "o terceiro molar, muito provavelmente, causava dores" àquele Neandertal. "Os dentes combinam uma série de aspetos que indicam que se tratou a si mesmo de um problema dentário", acrescentou.

David Frayer disse que encontraram também tártaro nos dentes, que "não foi possível analisar", pelo que não puderam averiguar se haveria alguma substância nos dentes eventualmente usada para aliviar a dor.

Uma procedimento conhecido no homem de Neandertal, 81 mil anos adiante no filme da História, segundo uma descoberta feita, em março, na gruta de El Sidrón, nas Astúrias, em Espanha.
Neste povoado Neandertal, paleontologistas espanhóis descobriram vestígios do fungo "Penicillium", um antibiótico natural, numa placa dentária com 49 mil anos.

Uma prova da apetência, bem documentada por vários estudos, do homem de Neandertal para modificar o meio ambiente e até o próprio corpo usando ferramentas.

* A história do Homem é fabulosa, agradeçamos à ciência este maravilhoso conhecimento.

.

Sem comentários: